sábado, 18 de outubro de 2014

OS FALSOS PROFETAS! ... E OS APÓSTOLOS...



“Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer. Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas”.
Apocalipse 2:2-5

Se você é alguém que já acompanha os textos bíblicos sobre os últimos dias, sabe que há na Bíblia muitas passagens que apontam para a manifestação, nos últimos dias, de falsos profetas, mestres e mesmo falsos “cristos”.
Sendo que a palavra grega que nos levou a esta tradução "cristo", uma palavra que significa "unção", eu também sou levado a pensar que a Palavra nos está revelando acerca de "falsas unções" nestes últimos dias...
"Uma nova unção" ou "uma unção fresca" é uma expressão que virou quase que "um mantra" gospel nos dias em que vivemos...
Mas após tanto tempo, anos, imerso em meio a muitos movimentos de avivamentos, nestes dias últimos dias eu tenho chegado à conclusão que há uma única unção... dada pelo Espírito Santo...
E, se Deus é eterno, e é, e se o Espírito Santo é Deus, e é, a Sua unção não é nova, nem se renova, é a mesma!
Pois é Eterna!
Ou não?
Mas não vou tratar deste tema hoje... embora seja muito rico.
Mas se você não sabia da existência dos falsos, fique sabendo... pois haverão muitos!
Na verdade, já existem. Estão entre nós...
E a meu ver, temos também o surgimento de falsos apóstolos, aqueles que “se declaram apóstolos, mas não são”, como podemos encontrar no texto acima, de abertura do post...
Acompanho bem a distância uma discussão teológica de eminentes pastores e mestres renomados sobre a existência ou não do ministério apostólico em nossos dias...
E eu confesso que fico me perplexo por perceber o quanto pessoas ilustres e cultas podem falar do que não entendem,  gerar discussões inúteis, que mais atrapalham do que ajudam na expansão do Reino e na pregação do Evangelho em nossos dias.
Pessoas que provavelmente nunca conviveram diretamente no ministério com verdadeiros apóstolos contemporâneos...
Não viram diretamente o que estes creem e pregam, creio, com profundidade.
E além disso, se consideram os guardiões da sã doutrina, vivendo como, eu poderia pensar, numa certa casta “nikolaita”, também apresentada em Apocalipse 2:6 e 2:15.
Assim, quando generalizam todos os apóstolos contemporâneos, os bons e os maus, sem discernir uns dos outros, mas lançando todos em uma mesma "vala comum", criam uma "régua de medir", que também poderá atingir aos que combatem os aspectos equivocados e heréticos da igreja contemporânea...
Também ficariam generalizados, e ninguém poderia  mais separar os bons dos maus...
Ou não?
Voltando, a verdade da existência de apenas 12 “apóstolos do Cordeiro” é clara e bíblica.
Em Apocalipse 21:14 encontramos um texto irrebatível:

“A muralha da cidade tinha doze fundamentos, e estavam sobre estes os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro”.

Sim, segundo lemos na Bíblia existem apenas Doze apóstolos do Cordeiro!
Existem requisitos considerados por inferência pelos estudiosos de quem seriam estes doze, que deveriam ter sido chamados diretamente por Jesus, aprendido diretamente com Ele, e outros indicadores que, embora sejam bíblicos, não há um texto que os reúna a todos, nem os rotule como necessários para serem considerados como apóstolos...
Mas embora existam estes Doze, não significa que, segundo a mesma Bíblia, não existam outros apóstolos...
Talvez, poderíamos pensar, "apóstolos menores"...
Se formos simplesmente organizar os textos para ler o que está escrito, encontraremos Matias sendo escolhido em substituição a Judas Iscariotes, conforme direção do apóstolo Pedro, que presidiu a eleição cujo relato encontramos em Atos 1:26.
Embora possamos avaliar que não há referência alguma ao ministério apostólico de Matias nas Escrituras, consideremos que sim, sua eleição foi correta, e que ele foi guindado a ser um dos Doze.
Substituiu a Judas Iscariotes, e foi tratado como parte dos Doze. como lemos que foi tratado em alguns outros textos bíblicos.
Assim, os apóstolos voltariam a ser doze, supostamente os Doze do Cordeiro.
Mas eu perguntaria: e como fica a situação de Paulo? Leia comigo Romanos 1:1?

"Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus".

Quem chamou Paulo para o ministério apostólico? Veja ainda... I Coríntios 1:1:

"Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus"...

E agora? Paulo também viu a Jesus...
Mas ele sim, se declara o “menor dos apóstolos” em I Coríntios 15:9-10

Porque eu sou o menor dos apóstolos, que mesmo não sou digno de ser chamado apóstolo, pois persegui a igreja de Deus. Mas, pela graça de Deus, sou o que sou; e a sua graça, que me foi concedida, não se tornou vã; antes, trabalhei muito mais do que todos eles; todavia, não eu, mas a graça de Deus comigo.

Sim, sejamos sinceros... Ele trabalhou muito mais que todos os outros.
Pelo menos, segundo os relatos bíblicos que possuímos...
A Palavra fala muito mais dele do que de Matias, ou mesmo do que a maioria dos Doze originais...
Ou você conhece o ministério apostólico de Bartolomeu? De Tadeu? Ou de Simão o Zelote? Ou mesmo, ainda, de Tomé, que ficou muito famoso por precisar ver Jesus para crer?
Claro que eles fizeram coisas extraordinárias, pois foram chamados para ser apóstolos do Cordeiro!
Mas se compararmos, inegável é que Paulo é um apóstolo, de ministério ainda mais extraordinário, segundo relato bíblico inspirado pelo Espírito Santo.
Inegavelmente. Inequivocamente...
E neste caso, pela matemática moderna simples, aqui já teríamos 13 apóstolos...
Doze do Cordeiro, e um adicional... Seja Matias, seja Paulo...
Mas e se também incluirmos nesta lista, Tiago, irmão de Jesus?
Sim, ele foi apóstolo, conforme lemos em Gálatas 1:19

"...e não vi outro dos apóstolos, senão Tiago, o irmão do Senhor".

Sim, e podemos pensar pelo texto, que haviam outros...
Que, eventualmente nem nos foram informados seus nomes...
Se existiram já neste momento, não sabemos quem foram, nem quantos foram...
Mas também é possível que o texto estivesse falando apenas dos que conhecemos.
E por agora, por faltar mais informações, vamos ficar assim mesmo...
Mas pelo texto sabemos que, sim, Tiago, irmão de Jesus, autor da Epístola de Tiago, foi um dos apóstolos...
E assim, neste caso, agora teremos quatorze apóstolos bíblicos... os Doze do Cordeiro, mais dois...
Mas tudo bem, pois com certeza saberemos na eternidade se a escolha do próprio Cordeiro, (na verdade, agora, O Leão), caiu mesmo sobre Matias, ou se caiu sobre Paulo, a quem Ele mesmo chamou no caminho de Damasco...
Mas isso não mudará o fato que teremos dois apóstolos adicionais... Biblicamente falando!
Isso, claro, se não incluirmos nesta lista, a Barnabé, se assim entendermos o conteúdo do texto de Gálatas 2:9-10

"... e, quando conheceram a graça que me foi dada, Tiago, Cefas e João, que eram reputados colunas, me estenderam, a mim e a Barnabé, a destra de comunhão, a fim de que nós fôssemos para os gentios, e eles, para a circuncisão; recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também me esforcei por fazer".

Os apóstolos estenderam a Paulo, apóstolo, a destra de comunhão...
E Barnabé? Será que esta destra de comunhão apostólica foi dada a ele também?
Interessante texto...
E o mesmo poderia aplicar a Apolo!
Afinal, Paulo sempre pôs Apolo em um mesmo nível de autoridade espiritual consigo mesmo.
Isso fica subentendido no texto em que, referindo-se a Apolo, Ele diz "nós os apóstolos", com lemos em I Coríntios 4:6-9. 

"Estas coisas, irmãos, apliquei-as figuradamente a mim mesmo e a Apolo, por vossa causa, para que por nosso exemplo aprendais isto: não ultrapasseis o que está escrito; a fim de que ninguém se ensoberbeça a favor de um em detrimento de outro. Pois quem é que te faz sobressair? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te vanglorias, como se o não tiveras recebido? Já estais fartos, já estais ricos; chegastes a reinar sem nós; sim, tomara reinásseis para que também nós viéssemos a reinar convosco. Porque a mim me parece que Deus nos pôs a nós, os apóstolos, em último lugar, como se fôssemos condenados à morte; porque nos tornamos espetáculo ao mundo, tanto a anjos, como a homens".

Apolo e Barnabé!
Se inferirmos pelos textos acima, também eram apóstolos!
E veja que ambos são muito mais citados como inspiração, ministério e influência, mais que os aqueles próprios apóstolos que fazem parte dos Doze, como destaquei antes neste texto.
Bem, podemos perceber que, biblicamente, não existiram apenas 12 apóstolos, mas sim, vários outros...
Creio que você já entendeu que não creio que os apóstolos foram apenas doze, nem que foram “extintos” no início da igreja primitiva.
Já provei pela Palavra que existiram outros...
Mas meu principal argumento reside no texto em que Paulo nos ensina sobre o tema, o qual devemos ler com bastante cuidado. Estou falando de Efésios 4:11-14:

E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro”.

Perdoem-me os ufanistas gospel, mas, sinceramente, eu não creio que tenhamos, em algum momento de nossa história como Igreja, desde Pentecostes até hoje, chegado “à unidade da fé, nem à medida da estatura da plenitude de Cristo”.
Pelo contrário, a meninice está estampada em diversos setores da igreja, e ventos sopram sobre doutrinas ainda hoje...
Além disso, também me parece que os demais dons dados em conjunto ao de apóstolos, continuam ativos até os dias de hoje... se você tem dificuldades com profetas, lembre dos evangelistas, pastores e mestres...
Aceitação seletiva não me parece ser uma boa prática diante de textos bíblicos...
Na verdade, se olhar para os lados nos dias de hoje, me parece que, enquanto igreja contemporânea, continuamos como meninos, agitados “para lá e para cá”, em meio a tanta discussão teológica inútil nas igrejas.
Discussão que muitas vezes escandaliza os novos convertidos...
E que manda, em muitos casos, uma mensagem ridícula a nosso respeito aos perdidos que assistem estes embates inúteis “do lado de fora”.
E neste caso, também me parece que muitos fazem questão de se enquadrar no grupo dos religiosos que Jesus denunciou, “os fariseus contemporâneos”, que “nem entram nem deixam o povo entrar” (Mateus 23:13)...
E em assim fazendo, justamente comprovam que ainda precisamos de apóstolos, (e de profetas, pastores, mestres e evangelistas) conforme Paulo ensina, pois o Senhor ainda está edificando o Corpo de Cristo... Esta obra ainda não terminou...
Edifício que, creio, já esteja em sua fase final, mas será concluído apenas naquele Dia!
Mas nada disso muda o fato que existem falsos apóstolos.
Lembre-se que para existirem os falsos, é necessário haver os verdadeiros!
Como falsos mestres, pastores e bispos necessitam da existência dos verdadeiros para que as fraudes sejam denunciadas.
E eu conheço verdadeiros apóstolos de contemporâneos.
E também, eventualmente, posso saber da existência de alguns outros que podem me causar dúvidas...
Mas o que tem tudo isso a ver com o conteúdo principal deste Blog?
O meu ponto hoje é que a ocorrência do reavivamento do ministério apostólico nas últimas décadas é mais um sinal dos últimos tempos!
Se não tivéssemos o ministério apostólico restabelecido e reconhecido, o texto de Apocalipse que pauta este post não nos chamaria a atenção para a existência dos que “se dizem apóstolos, mas não são”...
Que se confrontados no Espírito, tanto pelos cristãos da igreja de Éfeso antiga, e também, principalmente, em nossos dias, pela igreja de “Éfeso” profética e contemporânea destes últimos dias, podem ser achados mentirosos...
Sim, a existência de toda sorte de falsos líderes cristãos nestes últimos dias comprova a Palavra profética da confusão sendo instaurada no seio da igreja antes da vinda de Jesus.
E no cenário profético contemporâneo, toda esta discussão também faz parte das causas que geram a apostasia que virá, ou que, na verdade, já veio!
E está, tristemente, estabelecida diante de nossos olhos.
E pior, este tipo de discussão, de confusão e de perplexidade para tantos sobre “quem está com a razão doutrinária”, me parece também abrir as portas para o Juízo de Deus que virá sobre estes outros...
Afinal, veja o texto abaixo, em II Pedro 2:1-3

“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme”.

Bem me parece que tudo isso está acontecendo hoje...
Ou não?
Veja os sinais...
Fundamente o que você crê na Palavra, não em pessoas, nem em “títulos gospel”...

Haroldo Maranhão
Pastor
Por chamado, e pela misericórdia de Deus (inspirado na assinatura de um pastor amigo meu...)

Um comentário: