terça-feira, 31 de dezembro de 2013

2014 CHEGOU! REFLEXÕES, GRATIDÃO E NOVOS TEMPOS...




Bem amigos!
Os amigos da minha vida pessoal real, e os amigos do Blog, que me dão a alegria de sua “companhia virtual”...
E, claro, aos amigos de primeira passagem por aqui, que aqui chegaram pelo Google, ou opelos vídeos do YouTube, na verdade, trazidos por Deus...
E  ainda os amigos de longe.
Creio que o post de hoje fará mais sentido para quem me conhece há mais tempo, do que para quem está aqui pela primeira vez.
Mas de qualquer forma, uma reflexão (ou até mesmo uma exposição) pessoal, sempre poderá ser de inspiração ou de avaliação para qualquer um.
Seja por identificação, ou por discordância.
Um tempo de virada de ano como vivemos agora, pode ter importante efeito na vida de uma pessoa, porque paramos, intuitivamente, para fazer reflexões sobre a vida.
Sei que isso pode ser usado por Deus para gerar algo novo, pois, creio, segundo meu entendimento bíblico, que tudo na vida tem ciclos.
Mudanças de ciclo podem não ser fáceis... 
Podem sim, ser equivocadas...
Mas podem produzir algo de bom... ou melhor, de eterno.
E nem sempre as mudanças equivocadas não significam, necessariamente, que o rumo tomado foi errado.
Decisões de sair de casa para casar, estudar fora, aceitar uma proposta de emprego distante, vão afetar uma família, e produzirão um misto de tristeza e alegria, sejam estas decisões certas ou erradas, segundo opiniões divergentes dos envolvidos...
Decisões de se demitir ou demitir alguém, de pedir o divórcio, de romper uma sociedade, vão afetar famílias, e produzirão tristeza e alegria, conforme o lado da circunstância, sejam estas decisões certas ou erradas, segundo opiniões divergentes dos envolvidos...
Mudanças sempre podem ser consideradas certas ou erradas aos olhos de quem as causa.
Mudanças sempre podem ser consideradas certas ou erradas aos olhos de quem sofre com as consequências das decisões tomadas por outros quando os afeta.
Como julgar?
Como avaliar?
Mas as mudanças tem seu lado bom para todos os envolvidos se quiserem avaliar positivamente.
O próprio Deus agiu a partir de mudanças dramáticas na vida de personagens bíblicos quando, embora o que aconteceu possa ter sido mal ou errado aos Seus olhos, não necessariamente a mudança de ciclo ali estabelecida o era.
Muitas vezes, era uma intervenção do próprio Deus, para promover, Ele mesmo, este tempo de mudança.
Tempos de mudança que muitas vezes foram necessários! E ainda o são...
Digo isso, por exemplo, pensando na vida de José, que, tendo uma visão clara dada por Deus, foi precipitado no início de sua vida, e criou sérios problemas a seus pais e irmãos. Que embora o tenham prejudicado ao vendê-lo, foram úteis nas mãos de Deus, a ponto de que o próprio José reconheceu que aquele mal foi útil para o bem posterior, segundo a sabedoria de Deus.
Que neste caso usou algo de mal para produzir algo de bom.
Digo isso acerca do chamado de Deus a Abraão, que, inicialmente, não deixou sua família como deveria ter feito, mas levou Ló consigo. Posteriormente, Deus usou um excesso de prosperidade na vida de ambos para que, finalmente, Abraão viesse a se separar de Ló, e assim pudesse receber uma visão mais clara do seu chamado.
Deus neste caso usou algo de bom para produzir algo de bom.
Digo isso acerca da perseguição sofrida pela igreja primitiva em Jerusalém, usada por Deus para dispersar os apóstolos e diáconos para alcançar lugares mais distantes. Para os quais haviam recebido Poder em Pentecostes.
Deus neste caso usou algo de mal para produzir algo de bom.
Digo isso acerca do dia em que Paulo e Pedro divergiram, e se separaram. Esta separação levou Paulo a aprofundar seu ministério pregando o evangelho aos gentios, conforme lemos no Novo Testamento.
Neste caso, Deus usou a atitude carnal de ambos para produzir algo de bom.
Poderia buscar outros exemplos bíblicos para confirmar o que penso, mas creio que estes são suficientes.
Para firmar o ponto que não necessariamente nas mudanças alguém está absolutamente certo. Nem absolutamente errado.
Nem que Deus está alheio a elas.
Para firmar o ponto de que quando os corações são sinceros, o próprio Deus Se encarrega de tratar dos envolvidos, e, acima de tudo, cumprir o Seu propósito eterno na vida dos envolvidos.
Segundo a Sua Eterna Sabedoria!
Glória a Deus...
Assim, neste fim de ano, em um período sabático, paro para avaliar minha vida ao longo de já quase 53 anos...
Para ser grato a Deus por tantas pessoas, ministérios, irmãos, líderes, que abençoaram a minha vida ao longo do tempo.
Não publicarei nomes, para não ser injusto com ninguém.
Os que se enxergarem no contexto, saberão de quem estou falando.
Meu objetivo principal é dar glória a Deus pela vida de cada um destes...
Meu objetivo é ser grato!
Ser grato aos meus pais, que me ensinaram o amor pela Palavra desde pequeno. Que me instruíram nas Escrituras. Que me mostraram a importância de confiar e depender da inerrante Palavra de Deus.
Ser grato ao pastor e membros da Igreja Cristã Paulistana onde passei meus primeiros anos de vida, e da Batista Regular do Itaim, onde realmente aprendi a Bíblia e tive minhas primeiras experiências de liderança. Onde fiz parte do ministério “Memorizadores da Bíblia”, que me ajudou a conhecer versículos bíblicos de cor, dos quais me lembro até hoje.
Ser grato ao Ministério Palavra da Vida. Desde as “tias” e “tios” do “Rancho”, que tanto contribuíram para me ensinar textos e histórias bíblicas, até todos os missionários que abençoaram minha vida desde o tempo de "acampante" até posteriormente de "equipante".
Ser grato aos pastores, líderes, irmãos e amigos da Igreja Batista do Morumbi, onde, por tantos anos pude ser abençoado com ministrações importantes, que influenciaram tanto a minha vida. Pela família dos fundadores, pela equipe de pastores, pelos acampamentos, pelos ministros de louvor, músicos.
Ser grato a todas as pessoas da Igreja Renascer em Cristo quando de seu início, da Cruzada Estudantil e Profissional para Cristo, e outros tantos queridos daquele período tão importante da minha vida, que foram usados por Deus para que eu pudesse conhecer a Pessoa do Espírito Santo de Deus como nunca havia conhecido antes...
Glória a Deus por este tempo.
Ser grato a todas as pessoas da Igreja Cristã que começou em minha casa, cujo nome original não posso usar agora neste espaço, para não causar confusão nem ser mal compreendido (quem sabe, entende...)...
Ser grato a pastores e bispos da Igreja Sara Nossa Terra, que foram tão abençoadores, tão usados por Deus para ministrar cura em minha vida, e um renovo na minha maneira de ler a Bíblia.
Ser grato ao ministério Living Word Cristian Center, que Deus usou para aprofundar minha compreensão do Evangelho do Reino...
Ser grato ao ministério da Comunhão Cristã – Igreja Apostólica. Ao apóstolo, aos pastores, aos líderes, aos irmãos, aos amigos por tanto amor, tanta benção, tanta comunhão ao longo de tantos anos. Local em que o Senhor restaurou meu ministério pastoral.
Ser grato a tantos outros pastores, líderes, ministros do Senhor que me ensinaram, ministraram, profetizaram, abençoaram...
Ser grato à minha esposa amada, preciosa, querida, Fúlvia Maranhão, pela compreensão, intercessão, amor, lealdade, mesmo na hora mais escura e difícil de nossas vidas. Por ter permanecido ao meu lado, crendo contra a esperança, que Deus iria agir e transformar todas as coisas.
Ser grato a Deus por meus filhos, nora e neto... Pela sensação de posteridade, de expectativa de respostas de oração, de cumprimentos proféticos, de cuprimento da Palavra de Deus...
Ser grato a minha irmã e cunhados pela paciência, perdão, bênção, apoio e orações...
Olhar para trás, nos ensina a olhar para a frente.
Aprender com os erros é preciso.
Se possível, com os dos outros.
Quando não é possível, com os próprios.
Mas o que tem tudo isso a ver com a temática deste Blog, que é, supostamente, um Blog profético e apocalíptico?
Tem a ver com o fato de que tenho observado a igreja de Jesus nos dias atuais.
E vejo que muitas pessoas, como eu, estão desconfortáveis com o que veem.
Igrejas muito bíblicas, mas sem a presença e a manifestação do Espírito Santo.
Conhecem muito a Bíblia, mas conhecem pouco o Inspirador dos textos.
E muitas pessoas destas igrejas, continuam frequentando o ministério, mas, “escondidos”, durante a semana procuram círculos de oração “do poder”.
Vão aos montes buscar algo mais...
Por outro lado, vejo igrejas que conhecem o Espírito Santo, e manifestações do poder de Deus, mas abandonaram as Escrituras.
Conhecem o Inspirador, mas deixaram em segundo Sua obra, Sua referência segura, Escrita, buscando “uma nova revelação”, ou “uma nova unção”...
Quando a Única Unção é a que recebemos (se é que recebemos), que é verdadeira e não falsa, que nos ensina todas as coisas segundo ensino de João.
Que não precisa ser “substituída por outra” por que é Eterna...
SE é de Deus...
Por que se for de homens, nunca será suficiente...
E muitas pessoas destas igrejas continuam frequentando o ministério, mas “escondidas”, buscam outros lugares...
Muitos sentem vontade, mas não saem de onde estão com medo de serem amaldiçoados por seus líderes, se saírem...
Triste, pois, segundo Tiago, da mesma boca não pode sair bênção e maldição...
Vejo coisas tão confusas na televisão, supostamente relativas ao evangelho...
Vejo livros, nos lançamentos do mundo gospel, falando mais de experiências e viagens pessoais do que da Palavra...
Vejo também, por outro lado, tantos e tantos feridos, que se decepcionaram com as pessoas do modelo de igreja atual, e, equivocadamente, saíram das Igrejas...
Para lugar nenhum, para suas casas...
E estão sós...
Sem comunhão, sem ceia, sem Palavra, sem louvor, sem estar ligados ao Corpo...
O que fazer?
Bem, neste novo ciclo que se abre adiante de mim, em uma nova casa, um novo desafio profissional, uma nova “cidade”, um novo tempo para minha avaliação, desejo propor uma reflexão bíblica, pelo Espírito, aos que se identifiquem com estes meus questionamentos.
Tenho já algumas coisas para compartilhar.
Uma visão.
Pela Palavra, e pelo Espírito.
Quem tem questões no coração iguais às que proponho aqui, por favor, pode me procurar.
Por e-mail, para os que não me conhecem pessoalmente, no Haroldo_maranhao@hotmail.com.
Por telefone, para os que tem meus números.
Pessoalmente, os que tem esta proximidade.
Tratarei estes contatos com privacidade e discrição.
Quanto aos que acham que nada do que falei aqui faz sentido, por favor, dispenso críticas e agressividade.
Continuem onde estão... e orem por mim.
Afinal, como disse aqui, se o coração é sincero diante de Deus, e se não há pecado, o próprio Deus se encarrega de ajustar os caminhos.
"Os passos do homem são dirigidos pelo Senhor. Como, pois compreender o Seu caminho?"
Isso é o que creio.
Aliás, vou passar a postar aqui um pouco mais do que creio...
Afinal, as coisas "apocalípticas" que acompanho aqui, já não são mais tanta novidade, pois continuam a acontecer diariamente, em espiral crescente a cada dia...
Quem já está observando, percebe...
Os que não querem ver, não verão, até que seja tarde demais...
Assim, o meu objetivo agora, diante de Deus, é alcançar os perdidos, os órfãos, os remanescentes, os feridos, e outros semelhantes...
Por que o tempo se esvai.
A meia noite se aproxima...
E Jesus está às portas.
Você não consegue perceber?

Veja os sinais... E ore por mim...

SHALOM!

Haroldo Maranhão

3 comentários:

  1. Olá Haroldo, paz !
    Já trocamos alguns e-mails (02 ou 03) que foram bastante encorajadores para mim.
    Obrigado pelo seu ministério aqui no "Apocalipse 2010". Sempre muito proveitoso.
    Quero deixar dois comentárois:
    1 - A "separação carnal" que você menciona no texto não seria entre Barnabé e Paulo, qando discutiram por causa de João Marcos, ao invés de Pedro e Paulo (visto que neste segundo caso Paulo repreendeu Pedro por causa do comportamento duplo deste com relação à mensagem do evangelho; mas não meparece ter havido ali, carnalidade) ?
    2 - Eu tenho uma percepção (que não ouso chamar de "profética") sobre o futuro da igreja no Brasil. Me parece que estamos nos encaminhando para dosi tipos de estruturas eclesiásticas bem definidas: As "super-igrejas", com ministérios milionários, templo gigantescos e grande impacto midiático; e as igrejas-nos-lares (tipo house-churches, porém sem o engessamento de cartilha destas), com foco na comunhão mais íntima entre membro-e-membro, membro-e-Espírito e o tripé oração-louvor-palavra.

    Não vejo esse último como "estratégia de crescimento" ou "visão profética apostólica"; apenas que na Soberania de Deus a igreja completará um ciclo e novamente veremos Atos do Espírito.

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Walter, grato por sua atenção de sempre com o Blog.
      Sempre ponderado, e sempre colaborando comigo.
      Bem, claro que navegando no limite da polêmica, em certa liberdade interpretativa, estou sim, falando de Paulo e Pedro, e, sim, entendo que o que houve entre ambos incluiu carnalidade de parte a parte, já que não conseguiram chegar a bom termo.
      Minha opinião.
      Respeito, como sempre, opiniões em contrário, quando falamos de textos que não fecham uma opinião divina, mas, sim, nos mostram que os homens e mulheres da Bíblia também erravam como nós erramos...
      O que, portanto, não nos isenta de buscarmos ser tão poderosos pelo Espírito como eles foram.
      Quanto a sua visão da igreja nos dias de hoje, concordo.
      Grato pela atenção, conto com suas orações, e, Deus o abençoe!

      Haroldo Maranhão

      Excluir
    2. Estaremos sim - como já temos estado - orando por seu ministério e a condução de Deus em cada etapa de mudança no mesmo, rumo à plenitude da perfeição em Cristo Jesus, sabendo isto; que estes são dias difíceis, dias de espírito de engano, de soberba "gospel", de um encoberto desejo em tantos meios que se dizem "igreja" de que Jesus não venha em breve. O desejo vira lente hermeneutica nos olhos que já não veêm e nos ouvidos que já não ouvem. E a igreja evangélica cairá no mesmo erro que o judaísmo a fim de que ninguém se glorie.
      Obrigado por seu ministério.
      Deus te abençoe.

      Excluir