segunda-feira, 11 de março de 2013

HÁ UM LIVRO DOS QUE SERÃO ARREBATADOS?

“Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrarmos no santíssimo lugar, pelo sangue de Jesus, pelo caminho que ele nos inaugurou, caminho novo e vivo, através do véu, isto é, da sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé; tendo o coração purificado da má consciência, e o corpo lavado com água limpa, retenhamos inabalável a confissão da nossa esperança, porque fiel é aquele que fez a promessa; e consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não abandonando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma expectação terrível de juízo, e um ardor de fogo que há de devorar os adversários. Havendo alguém rejeitado a lei de Moisés, morre sem misericórdia, pela palavra de duas ou três testemunhas; de quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue do pacto, com que foi santificado, e ultrajar ao Espírito da graça? Pois conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu retribuirei. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo. Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo”.

Hebreus 10:19-31

Imagino que muitos estudiosos vão torcer o nariz para este post.
Se é que algum deles passa por aqui...
Talvez seja Um pouco de pretensão da minha parte...
Mas se algum deles passar aqui, e discordar, entendo, e respeito.
Também discordaria de mim mesmo alguns anos atrás...
Peço, entretanto, que me concedam o direito da dúvida e que, por favor, considerem os textos bíblicos que vou referenciar, e, claro, meus argumentos.
E, principalmente, você que encontrou o meu Blog, e que talvez nem tenha muita opinião bíblica formada acerca do fim, do arrebatamento, da Ira de Deus, e tudo o mais que está aí, pouco tempo adiante de nós...
Por favor, leiam meus argumentos até o fim, e depois disso, ficam livres...
Podemos ter um acordo?
Você pode, por favor, ler até o fim?
Posso ouvir um amém?
Afinal, este texto é um dos mais importantes que já publiquei aqui, e, creio, se o Espírito Santo de Deus assim quiser, poderá trazer para você a oportunidade de não ficar aqui após o arrebatamento...
O que será uma grande bênção... eterna...
Ou, ficar...
O que seria terrível em todos os sentidos... embora circunstancial, com efeitos eternos...
Bem, deixe-me apresentar meu raciocínio, ou melhor, claro, os textos bíblicos que o fundamentam.
Se for apenas o que eu acho, a minha opinião, jogue no lixo....
Mas quero mostrar textos...
E defender uma posição controversa...
Claro, nada de novo...
Reconheço que tenho tratado de temas polêmicos aqui...
Mas vamos em frente.
Na Bíblia encontramos que a salvação vem por meio da graça, pela fé, e isso não vem de nós, é dom de Deus, não de obras para que ninguém se glorie.
Estou citando Efésios 2:2 e 9.
Entretanto, não vemos a mesma promessa quanto ao fato de cristãos serem livrados de tribulações.
Pelo contrário.
Exatamente neste momento em que você está lendo este post, tranquilamente, no seu escritório, sua casa, no celular, computador ou tablet, irmãos nossos estão sendo agredidos, presos e mortos...
Pelo “simples fato de serem cristãos e não negarem sua fé”...
Por não crerem nas “religiões de Estado” dos países em que nasceram...
Estão passando por terríveis tribulações, e Deus não os está retirando destes lugares terríveis.
Não há arrebatamento para que sejam livrados destas tribulações.

E isso está acontecendo pelo fato de isso é bíblico.
Muitos têm sido livrados e experimentados milagres...
Outros tantos, não.
Deus disse que perseguições vão acontecer, tribulações virão, e não há um único texto bíblico que diga que TODOS cristãos serão livrados de todas as tribulações.
E muito menos da terrível Grande Tribulação.
A Grande Tribulação é uma parte do tempo do juízo que irá acontecer em um futuro próximo...
Possivelmente, um período de três anos e meio, dentro do último tempo de sete anos...
Se estivermos entendendo corretamente as profecias.
A promessa que temos é a que Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, ao falar sobre os últimos dias, nos apresenta em I Tessalonicenses 5:1-10:

“Mas, irmãos, acerca dos tempos e das épocas não necessitais de que se vos escreva: porque vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como vem o ladrão de noite; pois quando estiverem dizendo: Paz e segurança! então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão. Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que aquele dia, como ladrão, vos surpreenda; porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas; não durmamos, pois, como os demais, antes vigiemos e sejamos sóbrios. Porque os que dormem, dormem de noite, e os que se embriagam, embriagam-se de noite; mas nós, porque somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação; porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançarmos a salvação por nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós, para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele”.

Sim, “Deus não nos destinou para a ira”...
Glória a Deus! Glória a Jesus! Glória ao Espírito Santo de Deus...
Mas isso não significa que nós estejamos livres de tribulações...
Nem dA Tribulação...
Se você ler os textos sobre os últimos dias, com isenção de mente, perceberá que a Grande Tribulação dá início ao período do Juízo de Deus, que tem um aprofundamento quando Ele derrama sobre a humanidade Sua Ira.
Antes, princípio das dores...
Tribulação.
Depois, Ira...
E sim, nós não fomos destinados para a Ira...
Em hipótese alguma...
Glória a Deus...
Mas eventualmente, alguns dos que estão lendo este texto, que frequentam igrejas evangélicas, que se supõe salvos, passarão pela Tribulação...
Ou não?
Vamos para a Bíblia.
Veja o texto de Malaquias, 3:12 a 46, que trata do contexto dos últimos dias...
“E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos exércitos. As vossas palavras foram agressivas para mim, diz o Senhor. Mas vós dizeis: Que temos falado contra ti? Vós tendes dito: lnútil é servir a Deus. Que nos aproveita termos cuidado em guardar os seus preceitos, e em andar de luto diante do Senhor dos exércitos? Ora pois, nós reputamos por bem-aventurados os soberbos; também os que cometem impiedade prosperam; sim, eles tentam a Deus, e escapam. Então aqueles que temiam ao Senhor falaram uns aos outros; e o Senhor atentou e ouviu, e um memorial foi escrito diante dele, para os que temiam ao Senhor, e para os que se lembravam do seu nome. E eles serão meus, diz o Senhor dos exércitos, minha possessão particular naquele dia que prepararei; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve. Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que o não serve. Pois eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como restolho; e o dia que está para vir os abrasará, diz o Senhor dos exércitos, de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo. Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, trazendo curas nas suas asas; e vós saireis e saltareis como bezerros da estrebaria. E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés naquele dia que prepararei, diz o Senhor dos exércitos. Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, a qual lhe mandei em Horebe para todo o Israel, a saber, estatutos e ordenanças. Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição”.

Vamos considerar alguns pontos especiais...
Neste texto, O Senhor estava prestando atenção nos que O temiam, para que Ele pudesse demonstrar a diferença entre o que serve a Deus, e o que não serve.
E sim, óbvio, fazendo diferença entre o ímpio e o justo, também.
Mas veja que o Senhor está falando com os do Seu povo, eles que estavam, inclusive, discutindo por que os ímpios prosperam...
Que diziam que não fazia diferença, não adiantava nada servir a Deus...
Que os ímpios vivem melhor...
Já ouviu alguém falando uma frase tão lamentável quanto esta?
Ou pior, esta frase já saiu dos seus lábios?
Já brotou no seu coração?
Bem, veja que, sim, o Senhor presta atenção neste tipo de pensamentos...
E Ele mesmo diz que fará diferença, “naquele dia”, entre o que O serve, e o que não O serve...
Aliás, lemos neste texto que O Senhor mandou fazer um memorial para aqueles que falavam bem dEle, que encorajavam seus irmãos...
Um memorial dos que serão livrados!
Este memorial, aparentemente, será usado naquele Dia para separar os que servem a Deus dos que não O servem...
E para aqueles que não O servem, aparentemente, ficarão com os demais, naqueles dias...
...  para a Grande Tribulação (não para a Ira).
Será?
Bem, eu sei que muitos dirão que este é um texto específico para Israel, e não para a Igreja.
Que a Igreja é a Noiva, e “blá blá blá bla´”...
Eu confesso que hoje não tenho tanta certeza assim.
Sim, concordo que a Noiva sai DA Igreja...
Mas não, não creio que TODA a igreja seja A Noiva...
Veja que Deus fala muito aqui, sobre a diferença entre quem serve a Deus, e quem não serve.
E por que isso é importante?
Por que foi esta mesma questão que Jesus tratou em Mateus 24:45 a 51, no contexto do conhecidíssimo Sermão Profético!
Que fala justamente sobre os dias do fim...

“Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o senhor pôs sobre os seus serviçais, para a tempo dar-lhes o sustento? Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar assim fazendo. Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens. Mas se aquele outro, o mau servo, disser no seu coração: Meu senhor tarda em vir, e começar a espancar os seus conservos, e a comer e beber com os ébrios, virá o senhor daquele servo, num dia em que não o espera, e numa hora de que não sabe, e cortá-lo-á pelo meio, e lhe dará a sua parte com os hipócritas; ali haverá choro e ranger de dentes”.

Bom, ok...
Muitos creem que Jesus pregou este sermão para os judeus, para uma multidão, como no Sermão do Monte.
Se assim fosse, Jesus estaria falando para uma multidão de judeus.
E já que o livro de Malaquias, também fala para Israel .
E que o livro de Hebreus, teria sido escrito exclusivamente para Hebreus, (claro, Judeus)...
Este conteúdo, portanto, não nos afetaria, a nós que somos cristãos gentios...
Da Igreja...
Que é igual à Noiva...
Será?
Bem, em primeiro lugar, quero advertir que o Sermão Profético foi pregado para “apenas quatro pessoas”!
Não para uma multidão.
Talvez você já sabia... talvez não...
Eu por exemplo, acredite, não sabia...
Na verdade, para APENAS quatro discípulos, e os mais chegados.
Sim, judeus, mas, se tudo o que foi dito para eles é para judeus, nós perdemos praticamente tudo o que Jesus ensinou...
Como gentios convertidos, não temos direito a nada...
Apenas podemos receber o que Paulo ensinou.
O resto da Bíblia nos é inútil...
Não faz sentido, não é?
Ainda mais que eles eram DISCÍPULOS...
Discípulos judeus, mas discípulos...
Fundamentos da igreja.
Estavam todos estes em Pentecostes, no início da era da Graça...
Judeus ou Igreja?
Quem são eles afinal?
Bem, deixe-me prosseguir no raciocínio...
Jesus pregou para Pedro, André, Tiago e João.
Compare o texto de Mateus 24:1-4:

“Ora, Jesus, tendo saído do templo, ia-se retirando, quando se aproximaram dele os seus discípulos, para lhe mostrarem os edifícios do templo. Mas ele lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não se deixará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada. E estando ele sentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Declara-nos quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo. Respondeu-lhes Jesus: Acautelai-vos, que ninguém vos engane”.

... com Marcos 13:1-5, onde suas identidades são reveladas:

“Quando saía do templo, disse-lhe um dos seus discípulos: Mestre, olha que pedras e que edifícios! Ao que Jesus lhe disse: Vês estes grandes edifícios? Não se deixará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada. Depois estando ele sentado no Monte das Oliveiras, defronte do templo, Pedro, Tiago, João e André perguntaram-lhe em particular: Dize-nos, quando sucederão essas coisas, e que sinal haverá quando todas elas estiverem para se cumprir? Então Jesus começou a dizer-lhes: Acautelai-vos; ninguém vos engane”.

Como você pode ver, é o mesmo texto...
Relato paralelo, como tantos que encontramos nos evangelhos...
E, sim, Jesus pregou apenas para “Pedro, Tiago, João e André”...
SE os quatro entenderam mesmo o sermão de Jesus, devem ter ficado impactados com o Seu ensino.
Afinal, Jesus falou acerca dos últimos dias, do Juízo, e, sim, eles criam que a volta de Jesus seria ainda durante suas vidas...
Não imaginavam que demoraria centenas de anos, como sabemos agora...
O que isso impactou o seu ensino?
Quanto aos escritos de André, e de Tiago, não saberemos com certeza, pois não há escritos deles inseridos na nossa Bíblia de hoje...
Mas de Pedro e João, sim...
Podemos comparar...
Será que eles escreveram algo que combina com o que aprenderam diretamente da boca de Jesus?
Creio que sim.
Melhor...
Tenho CERTEZA que sim...
Veja comigo o que Pedro escreveu, por exemplo, quando ele diz que o Juízo começa pela casa do Senhor!
Que casa?
Israel?
Cristãos?
Veja I Pedro 4:17-19:
“Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e se começa por nós, qual será o fim daqueles que desobedecem ao evangelho de Deus? E se o justo dificilmente se salva, onde comparecerá o ímpio pecador? Portanto os que sofrem segundo a vontade de Deus confiem as suas almas ao fiel Criador, praticando o bem”.

Se já começamos a perceber algum sinal do que Pedro entendeu da conversa com Jesus, veja agora Pedro falando claramente de crentes carnais, em II Pedro 2:9-22:

“Também sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar para o dia do juízo os injustos, que já estão sendo castigados; especialmente aqueles que, seguindo a carne, andam em imundas concupiscências, e desprezam toda autoridade. Atrevidos, arrogantes, não receiam blasfemar das dignidades, enquanto que os anjos, embora maiores em força e poder, não pronunciam contra eles juízo blasfemo diante do Senhor. Mas estes, como criaturas irracionais, por natureza feitas para serem presas e mortas, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção, recebendo a paga da sua injustiça; pois que tais homens têm prazer em deleites à luz do dia; nódoas são eles e máculas, deleitando-se em suas dissimulações, quando se banqueteiam convosco; tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecar; engodando as almas inconstantes, tendo um coração exercitado na ganância, filhos de maldição; os quais, deixando o caminho direito, desviaram-se, tendo seguido o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça, mas que foi repreendido pela sua própria transgressão: um mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta. Estes são fontes sem água, névoas levadas por uma tempestade, para os quais está reservado o negrume das trevas. Porque, falando palavras arrogantes de vaidade, nas concupiscências da carne engodam com dissoluções aqueles que mal estão escapando aos que vivem no erro; prometendo-lhes liberdade, quando eles mesmos são escravos da corrupção; porque de quem um homem é vencido, do mesmo é feito escravo. Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo pelo pleno conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, ficam de novo envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior que o primeiro. Porque melhor lhes fora não terem conhecido o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado. Deste modo sobreveio-lhes o que diz este provérbio verdadeiro; Volta o cão ao seu vômito, e a porca lavada volta a revolver-se no lamaçal”.

Não consigo pensar que alguém que “escapa das corrupções do mundo pelo pleno conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo” possa ser alguém não salvo...
Mas posso perceber que hoje, vejo dezenas...
Centenas...
Milhares de pessoas com este exato perfil frequentando as igrejas de Jesus...
Sim, nos dias de hoje...
Pessoas que se envolveram de novo no pecado.
Rebeldes...
Que vivem uma “vida cristã” que entendo bastante comparável com a que encontramos no ensino de Pedro...
Pessoas salvas QUE NÃO SERVEM A DEUS!
Que muito pelo contrário, são pedras de tropeço para cristãos novos.
São fontes SEM água...
Sem frutos, sem testemunho, sem manifestação da vida de Deus.
Crentes que reclamam do pastor, da vida, da santificação, de palavras de confronto, de desafios.
Reclamam do ensino do "fim do mundo", por que não querem que ele venha agora...
Na verdade, não amam a vinda de Jesus...
Querem ou até mesmo exigem, ser prósperos, atendidos, supridos, satisfeitos, curados, “felizes” segundo o mundo, e quase nunca tem nada para dar para ninguém.
Nem mesmo uma oração, ou uma palavra, um testemunho, uma ajuda, uma carona, um dinheiro, ou um mísero abraço!
Vivem uma vida cristã inútil, infrutífera, insipiente, estéril, vã...
Avalie comigo...
Por que tais cristãos deveriam ser livrados da Grande Tribulação, quando comparados com a Noiva de Jesus?
São pessoas da mesma espécie?
Vamos prosseguir no raciocínio bíblico um pouco mais...
Veja João falando acerca dos últimos dias...
Será que ele fala algo parecido com Pedro acerca do que ouviu de Jesus?
Novamente, a resposta é SIM!
Leia I João 2:25-29:
“Portanto, o que desde o princípio ouvistes, permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também vós permanecereis no Filho e no Pai. E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna. Estas coisas vos escrevo a respeito daqueles que vos querem enganar. E quanto a vós, a unção que dele recebestes fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como vos ensinou ela, assim nele permanecei. E agora, filhinhos, permanecei nele; para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança, e não fiquemos confundidos diante dele na sua vinda. Se sabeis que ele é justo, sabeis que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele”.

Não acha suficiente?
Porque você pensa que eles ficariam confundidos diante dEle (Jesus) na Sua vinda?
Por que não foram?
Leia I João 4:13-21

“Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele em nós: por ele nos ter dado do seu Espírito. E nós temos visto, e testificamos que o Pai enviou seu Filho como Salvador do mundo. Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele em Deus. E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele. Nisto é aperfeiçoado em nós o amor, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos também nós neste mundo. No amor não há medo antes o perfeito amor lança fora o medo; porque o medo envolve castigo; e quem tem medo não está aperfeiçoado no amor. Nós amamos, porque ele nos amou primeiro. Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, não pode amar a Deus, a quem não viu. E dele temos este mandamento, que quem ama a Deus ame também a seu irmão”.

Mais alguma dúvida?
Por que confiança no juízo?
Por ver tudo acontecer, e não ser levado?
Será?
Veja o que Jesus disse a João que busca encontrar em Suas sete igrejas, conforme relato em Apocalipse 2 e 3:

2:2 Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua perseverança;
2:19  Conheço as tuas obras, e o teu amor, e a tua fé, e o teu serviço, e a tua perseverança, e sei que as tuas últimas obras são mais numerosas que as primeiras.
3:1 Conheço as tuas obras; tens nome de que vives, e estás morto.
3:8 Conheço as tuas obras (eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, que ninguém pode fechar), que tens pouca força, entretanto guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome.
3:15 Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! 16 Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca.

Neste contexto fica mais fácil entender esta dura palavra de Jesus acerca dos que são mornos...
Ele está a ponto de vomitar da boca!
Que palavra dura!
Por que? Por que veja que Jesus vem nas igrejas para ver suas OBRAS!
Não está discutindo salvação, mas, sim, o que fazemos a partir dela...
Não sei o que você pensa a respeito destes textos, mas...
Se João e Pedro escreveram apenas para judeus, perdemos mais cartas da Bíblia.
Se eles escreveram para os cristãos deste tempo em que vivemos, sejam eles de qual nacionalidade forem...
E saiba que, na verdade, claro, escreveram...
Veja o ensino de Paulo em Gálatas 3:24 a 29, sobre nossa nova posição em Cristo:
“De modo que a lei se tornou nosso aio, para nos conduzir a Cristo, a fim de que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio. Pois todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo. Não há judeu nem grego; não há escravo nem livre; não há homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa”.

Sim, somos um SE o somos em Jesus.
Mas, SE vigiarmos, SE servirmos, seremos livrados...
SE não estamos “nem aí”...
SE não servimos, SE não fazemos a menor diferença, “talvez” tenhamos dias difíceis pela frente...
Dias junto com os hipócritas...
Os ímpios.
Dias de Grande Tribulação, como um juízo de Deus sobre a Sua Casa...
Depois de ter retirado a Sua Noiva...
Que não por coincidência estará adornada com “obras de justiça”!
Apocalipse 19:7 e 8:
“Regozijemo-nos, e exultemos, e demos-lhe a glória; porque são chegadas as bodas do Cordeiro, e já a sua noiva se preparou, e foi-lhe permitido vestir-se de linho fino, resplandecente e puro; pois o linho fino são as obras justas dos santos”.

E os santos que não tem obras justas?
Por que são ocupados, não tem tempo, estão cansados, tem trabalho, tem família, tem filhos, tem dívidas, tem problemas, tem dificuldades?
O que farão?
Serão uma noiva desarrumada?
Sem roupa nupcial?
Serão justificados por estas explicações acima?
Acho meio difícil à luz do texto, não acha?
Meus caros irmãos e amigos...
Eu sempre cri no arrebatamento universal de todos os salvos...
Entretanto, ao avaliar estes textos, ao avaliar minha vida, percebi que se não tenho obras de justiça, corro o risco de não ser achado digno de escapar de todas estas coisas...
Você pode achar que estou errado em minha forma de tratar estes textos...
Pode achar que TODOS serão arrebatados...
E que pode viver como bem entende que tudo estará bem...
Vamos avaliar e comparar estas duas correntes.
Os que creem que tudo está bem, que todos serão arrebatados em oposição aos que, como eu, creem que precisam de obras de justiça, de perseverança e trabalho para serem arrebatados.
SE o primeiro grupo estiver errado, e obras forem fundamentais, todos os que acham que serão arrebatados APENAS por serem crentes, serão deixados para trás...
Que tragédia!
Que surpresa terrível...
Que horror...
SE o meu grupo estiver errado, todos os que achavam que deveriam ter obras de justiça, perseverança e trabalho para serem arrebatados, forem levados junto com crentes que mal frequentavam igrejas, serão livrados!
Juntos com os demais...
MAS terão galardões, e júbilo, e receberão mais do que todos os outros.
E serão considerados por Jesus, servos bons e fiéis... (Mateus 25 - Parábola dos Talentos)
Que fazem parte, sim, de um memorial com os seus nomes...
Os nomes daqueles que serão livrados de todas estas coisas...
Qual o risco que corremos se lutarmos, nos esforçarmos, trabalharmos, servirmos como se fosse a última coisa a fazer nesta terra?
Nenhum.
Estas obras tornam-se, na verdade, uma expressão de gratidão por tão grande salvação e uma atitude de obediência à Palavra que nos exorta a sermos úteis, submissos, e a não abandonarmos a congregação nos últimos dias como tantos tem feito neste tempo...
E quanto aos que vivem de qualquer jeito, e acham que está tudo bem...
Que “não é bem assim”...
Que o pecado não é exatamente como muitos pregam...
Que não precisam nem mesmo ir na igreja...
Que isso é "religiosidade"...
Serão MESMO Noiva?
Serão MESMO salvos?
Serão MESMO gratos porque entenderam MESMO do que foram salvos?
Serão genuinamente nascidos de novo?
Na verdade, correm o terrível risco de ficar aqui durante a Tribulação...
Isso se forem APENAS "salvos indignos"...
Correm por outro lado, risco de morrer e ficar para sempre separados de Deus.
Se nem salvos forem...
Bem, não estou aqui para julgar ninguém...
Mas para encorajar e confrontar os que buscam assuntos como este do meu Blog...
Sei que estou lutando para agradar a Deus...
E que luta é essa!
Terrível.
Constante...
Dia após dia...
Arrependendo, lavando as vestes, trabalhando, buscando ser útil...
Procurando obedecer os Seus mandamentos que não são penosos...
Embora não seja fácil esta luta contra a carne, contra o pecado e contra os demônios, eu encorajo você a, sinceramente, fazer o mesmo.
Pare um pouco agora...
Olhe para dentro de você mesmo...
Examine sua vida.
Você acha que Deus o considera um cristão digno, ou está a ponto de vomitar você da Sua boca?
Que Deus o abençoe e livre.
Que Deus me abençoe e livre.
Que possa eu ser achado digno...
Que possa você ser achado digno...
Que, em Nome de Jesus, possamos estar naquele Livro, naquele Memorial...

“Naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo; e haverá um tempo de tribulação, qual nunca houve, desde que existiu nação até aquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro”.

Daniel 12:1
“Então aqueles que temiam ao Senhor falaram uns aos outros; e o Senhor atentou e ouviu, e um memorial foi escrito diante dele, para os que temiam ao Senhor, e para os que se lembravam do seu nome. E eles serão meus, diz o Senhor dos exércitos, minha possessão particular naquele dia que prepararei; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve. Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que o não serve”.

Malaquias 3:16-18

“Vigiai, pois, e orai, para que sejais achados dignos de escapar de todas estas coisas que hão de acontecer, e estar em pé na presença do Filho do homem”.

Lucas 21:36

Veja os sinais!

SHALOM...

Haroldo Maranhão

Um comentário:

  1. AMÉM!!! Que palavra....Nestes últimos dias nosso TEMOR ao SENHOR cresce cada vez mais. E nestes últimos tempos, vejo que o Espírito Santo tem nos exortado e nos admoestado a pensar e refletir muito sobre estas coisas. E assim dou Graças, pois vejo o quanto NOSSO PAI nos ama, pois na grande tribulação o Seu Espírito não estará mais aqui e que coisa terrível, pensar nisto!!! Minhas orações diárias se iniciam com louvores, ações de graças e pedidos de misericórdia, pois não são é fácil mesmo seguirmos os passos de Jesus incluindo estes dias. Que ELE me ache digno no dia de Sua Maravilhosa volta e tbém reserve um humilde lugar no seu Templo Eterno para poder louvá-lo o tempo todo, é o que peço ao Pai, a Jesus e peço a Espírito Santo a orientação para isto todos dias. E MARANATA!!! Vem Jesus. Deus te abençoe Pr. Abção Pit

    ResponderExcluir