sexta-feira, 27 de abril de 2012

PLANETA NÃO SE SUSTENTA SEM CONTROLE...


Fiquei muito impactado ao ler ontem a notícia publicada no UOL, mas só consegui publicar hoje.
Esta notícia me fez pensar... e muito... sobre o cenário profético...
Pensando, claro, "fora da caixa", sempre que possível...
Vale a pena você ler o texto, mas, se não tiver tempo, desde já informo que parte do texto abaixo, é transcrição literal de alguns parágrafos do que foi publicado no site.
Mas que a conclusão apresentada neste post é EXCLUSIVAMENTE MINHA, nada tendo a ver com a opinião do UOL ao publicar esta notícia.
Destaco o texto original do site em itálico, para diferenciar do meu texto e minhas conclusões.
Apenas cito o site como fonte da notícia que inspira meu raciocínio e linha de pensamento.
O artigo publicado apresenta a avaliação de que "o consumo excessivo em países ricos e o rápido crescimento populacional nos países mais pobres precisam ser controlados para que a humanidade possa viver de forma sustentável"
O fato de esta conclusão ser de um grupo de especialistas coordenados pela Royal Society (associação britânica de cientistas), trás mais peso ao tema.
Este relatório será um dos referenciais para as discussões da Rio+20, cúpula que acontecerá na capital fluminense em junho próximo.
O  líder deste trabalho é John Sulston que ganhou renome internacional ao liderar a equipe britânica que participou do Human Genome Project, projeto responsável pelo mapeamento do genoma humano.
Em 2002, ele foi ganhador, junto com outro cientista, de um prêmio Nobel de Medicina, e hoje é diretor do Institute for Science Ethics and Innovation, na Manchester University, em Manchester.
Segundo a projeção "média" da ONU, a população do planeta, atualmente com 7 bilhões de pessoas, atingiria um pico de pouco mais de 10 bilhões no final do século e depois começaria a cair.
"Dos três bilhões extra de pessoas que esperamos ter, a maioria virá dos países menos desenvolvidos", disse Eliya Zulu, diretora execuriva do African Institute for Development Policy, em Nairóbi, no Quênia. "Só na África, a população deve aumentar em 2 bilhões".
O relatório recomenda que nações desenvolvidas apoiem o acesso universal ao planejamento familiar - o que, o estudo calcula, custaria US$ 6 bilhões por ano.
Se o índice de fertilidade nos países menos desenvolvidos não cair para os níveis observados no resto do mundo - alerta o documento - a população do planeta em 2100 pode chegar a 22 bilhões, dos quais 17 bilhões seriam africanos.
Em que esta notícia tem relação com este BLOG?
Alguns pontos são muito importantes e precisam ser considerados mas, o principal, é o alinhamento com o padrão de pensamento de que o mundo precisa de controle.
Se precisamos de controle, baseado em argumentos facilmente compreensíveis e aceitos por todos, ou pela maioria, dependendo de tragédias naturais ou estudos e mais estudos que sejam publicados apontando um cenário catastrófico, em pouco tempo ficará muito fácil a criação de um organismo para este fim...
Somemos a isto, o fato deste tipo de conclusão foi publicada pouco antes da Rio+20, "pautando" o evento, não poderia ser mais estratégico...
Creio que esta discussão deverá estar no centro da mídia global, ao longo do evento, claro.
E pergunto...
Será que em pouco tempo haverá um clamor por CONTROLE?
Para existir controle efetivo há a necessidade de serem criadas leis, sistemas, processos, e, claro um organismo que exerça este controle.
Que fiscalize.
Que julgue.
Que puna...
Claro, que seja superior a leis nacionais.
E, SE um organismo assim, vier a existir, para que seja responsável por tal controle, e tal controle seja viável, necessitará, obviamente, da figura de um "coordenador", um "gestor", um "líder"...
Vaga interessante para ser ocupada por alguém que deseje uma posição de poder global, em uma posição que seja supranacional, que seja financiada por importantes organismos econômicos internacionais, e que adquira a simpatia da mídia, e claro, consequentemente, de toda a população.
Principalmente se tais medidas vierem a, aparentemente, melhorar as performances futuras de sustentabilidade global.
Tal pessoa seria considerada um gênio...
Um líder...
Um "deus"?
Quem seria esta pessoa?
Passo a ficar muito curioso e no aguardo.
Observando.
Afinal, o anticristo poderia surgir no cenário de liderança global, em uma cadeira assim... não acha?
De minha parte, passo a observar este raciocínio de sustentabilidade planetária com mais atenção.
Muito mais atenção...

Veja os sinais...

SHALOM...

Haroldo Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário