sábado, 31 de março de 2012

O SUDÁRIO, A CONFUSÃO, E A VOLTA DE JESUS!


A Revista Veja que está nas bancas trás, em sua capa, uma chamada para uma matéria em que trata com bastante cuidado um dos temas mais controversos das questões religiosas contemporâneas.
Seria o tal do santo (?) sudário, o pano que envolvia o rosto e corpo de Jesus quando de sua ressurreição?
Teria tal tecido sofrido impacto em suas fibras com o poder do Espírito de ressurreição e vida que veio sobre Jesus no momento da ressurreição?
Será que este tecido poderia conter tal segredo de forma química ou física, que "ajudaria " as pessoas a crerem neste fato?
Mas esta discussão ao longo do tempo tem se perdido em confusão.
E a discussão sobre a autenticidade do tal tecido tem, em muitos momentos, tomado a falsa importância de poder vir a confirmar ou negar a ressurreição de Jesus!
A própria revista, aliás, chega ao ponto de apresentar a matéria em seu interior batizada como a ressurreição do santo sudário, e não a ressurreição de Jesus.
A revista diz que "Tal peça é considerada como a mais valiosa e legítima relíquia da cristandade...
Mas existem laboratórios trabalhando para mostrar que é uma fabricação feita para enganar os crentes ainda na Idade Média..."
Lembro que estamos nas vésperas da Páscoa, data em que se lembra da morte e sim, da ressurreição de Jesus, fato que embora o mundo inteiro conheça, faz questão, em sua maioria, de ignorar tal fato.
E este tal pano que aparece volta e meia parece ter sua suposta autenticidade como algo mais importante que o fato da ressurreição de Jesus.
Aliás, para muitos estamos chegando a um absurdo de pensar que SE ele (o pano) for verdadeiro, estará provada a ressurreição de Jesus.
SE ele (o pano) for falso, estaria lançada uma grave dúvida sobre a ressurreição de Jesus...
Ou mesmo desacreditada sua veracidade.
Você consegue entender algo tão absurdo ganhar força?
Até mesmo Da Vinci entra no meio da história...
Assim como quadros, cientistas, investigadores...
E a mistura e a confusão acerca da fé entram em cena, e os céticos fazem a festa.
E as pessoas cada dia mais distantes da relação com Jesus, e por este motivo mais vulneráveis a discutir assuntos secundários como principais, deixando os principais como os últimos...
Não sabem mais muito bem o que crêem.
Em Quem crêem.
Se crêem.
Embora a vida e Jesus seja comprovada historicamente.
Embora sua morte e ressurreição sejam historicamente indiscutíveis.
Indiscutíveis por que se regimes de ditadura, em países de nossa história recente, conseguiram suprimir biografias, eventos, e reescrever a história...
E veja, que estou falando isso no tempo da existência de máquinas fotográficas, da existência da imprensa de alguma forma estabelecida, com câmeras de vídeo, gravadores, e outros tantos equipamentos para registrar fatos...
Imagine como seria fácil para o Império Romano (alô!! Império Romano... conhece???), 2.000 anos atrás ter suprimido a existência de Jesus.
Mas ainda assim, mesmo com tamanha evidência, sempre Sua morte e ressurreição são matéria de fé.
E para os que duvidam, até mesmo esta evidência histórica fica em segundo plano.
Mas para os que crêem, nada disso é necessário.
Paulo nos diz em Romanos 10 que a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.
Desnecessária, portanto, qualquer evidência histórica ou científica...
Desnecessária comprovação qualquer que seja.
Nada é necessário para os que tem a revelação da realidade de Jesus HOJE.
Para estes, seja este pano falso ou verdadeiro, fraude ou realidade científica, em NADA deveria afetar suas vidas.
Mas dentro do contexto de minhas observações dos últimos dais, que são pauta deste blog, vejo este tipo de discussão com outros olhos...
Vejo que estas afirmações de especialistas, jornalistas, cientistas e outros que aparecem no bojo destas discussões, mudam o foco, e propõem uma discussão sobre questões previamente propostas, para levar pessoas a errarem suas conclusões.
É quase como que se o sudário sendo verdadeiro, a ressurreição de Jesus é real.
Se for falso, seria um escândalo, e a ressurreição poderia ser questionada.
Por este motivo, escondem o pano a sete chaves.
Em um cofre...
Talvez por que saibam que é uma fraude?
E se fosse?
Por que isso seria tão importante?
Por que o própio Apóstolo Paulo escreveu sobre isso:

Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as Escrituras; que apareceu a Cefas, e depois aos doze; depois apareceu a mais de quinhentos irmãos duma vez, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormiram; depois apareceu a Tiago, então a todos os apóstolos; e por derradeiro de todos apareceu também a mim, como a um abortivo. Pois eu sou o menor dos apóstolos, que nem sou digno de ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus.Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus que está comigo. Então, ou seja eu ou sejam eles, assim pregamos e assim crestes. Ora, se se prega que Cristo foi ressucitado dentre os mortos, como dizem alguns entre vós que não há ressurreição de mortos? Mas se não há ressurreição de mortos, também Cristo não foi ressuscitado. E, se Cristo não foi ressuscitado, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé.
I Coríntios 15:3-14

Veja que primeiro Paulo faz uma afirmação indiscutível para sua época, pois relatou que mais de 500 pessoas tinham visto Jesus vivo!
Alô!
Mais de 500 pessoas, no tempo do Império Romano viram Jesus VIVO!
E o Apóstolo fica perplexo quando encontra pessoas dizendo que não há ressurreição.
Ele relata a sua própria experiência com Jesus...
Ele viu Jesus...
Ninguém poderia dizer para ele que isso era uma fraude.
E em seguida ele chega na minha conclusão de que, óbvio, SE Jesus não ressuscitou, é vã a fé.
E assim, percebo que estas discussões sobre o tal sudário levam pessoas a esta dúvida.
Levam estes que nunca tiveram uma experiência real com Jesus, a basear ou fundamentar o que deveria ser sua fé, na discussão sobre a veracidade do sudário...
E neste engano muitos se perdem e não crêem.
Ou tentam preservar uma instituição com fundamento em relíquias...
Que coisa mais triste.
Deveria ser em experiências reais com Jesus.
Mas, aprofundando este post, lembro o conteúdo deste BLOG.
Os últimos dias... as profecias...
E também, a nova era... o sistema do anticristo.
Que, claro, está, de alguma forma, envolvido neste tema.
Como posso ter certeza?
Por que já publiquei aqui várias cartas do Illuminatti Cards Game, RPG desenhado para, previamente, apresentar temas que serão pauta da sociedade.
Antes mesmo de muitos deles acontecerem, como já escrevi antes...
E...
Sim, claro, o sudário é uma delas...
Que tem o claro objetivo de também trazer mais confusão...
Veja a carta:


Pelo texto, posso inferir que seu objetivo tanto é para criar confusão, como para, eventualmente, gerar algum ritual ocultista...
Ou ambos.
Bem meus amigos, para concluir, eu creio que sim, há um segredo, um enigma, no pano que envolveu Jesus.
Seja este o pano que O envolveu, ou não.
Isso pouco importa...
Por que o segredo não está baseado no que os cientistas vão descobrir ou não, mas sim, baseado no relato que a própria matéria da VEJA transcreve.
Curioso que o jornalista publicou o texto inteiro, com o segredo, mas desconhece o poder do conteúdo a que teve acesso.
O texto do Evangelho de João capítulo 20, que aparece na entrada da matéria tem uma revelação preciosa deixada por Jesus.
Aparece no texto como um simples "detalhe"...
Mas trás uma informação preciosa para os discípulos.
Os que decidem sair da multidão...
Os que querem saber mais acerca do ensino de Jesus.
Que querem ter acesso aos Seus segredos...
Ficou curioso?
Veja o texto:

Chegou, pois, Simão Pedro, que o seguia, e entrou no sepulcro e viu os panos de linho ali deixados, e que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte.
João 20:6 e 7

Se você não sabe o que eu sei, também não entendeu o que está oculto no texto...
Jesus antes de morrer falou acerca de uma mesa, de uma Ceia que estará posta na Casa do Pai, em um determinado Dia que irá acontecer em breve.
Há um convite feito a todos, mas que tem sido negligenciado.
Mesmo por muitos que, aparentemente, estão até mesmo ocupando bancos de igrejas.
Além de fazer mensão a esta Ceia preciosa futura, Jesus era um profundo conhecedor da cultura judaica em que viveu.
E com certeza, ele sabia que nesta cultura existe um detalhe muito importante na relação de um servo e seu senhor no que diz respeito a regras que envolvem servir à mesa.
O servo prepara a mesa.
Com todos os utensílios e detahes...
Quando o seu senhor chega para comer, com seus convidados, o servo fica a parte.
Quando o seu senhor se levanta da mesa, e eventualmente sai, o servo não tem como saber se já deve retirar tudo o que está posto na mesa, pois o seu senhor encerrou o que estava fazendo, ou se ele vai voltar para concluir.
Assim, há um sinal que este servo deve saber observar.
Se o senhor lançasse o lenço com que limpava suas mãos, lábios e barbas na mesa, embolado, estava dizendo ao seu servo: "Eu terminei"...
Neste caso, isso faria sentido com o que deve ter sido o entendimento equivocado de muitos, quando Jesus bradou na cruz "está consumado", tudo teria terminado na Sua morte.
Muitos desistiram.
Fugiram...
Mas agora, estamos diante do relato da Sua ressurreição...
E com isso em mente, voltamos para a figura do servo que serve à mesa...
Pois se o lenço estivesse dobrado ou enrolado separado, ao lado do prato, significava: "Eu voltarei"!
Aleluia!
O lenço ou o pano, que envolvia Jesus, o lenço verdadeiro, o que está relatado nos evangelhos, não estava lançado embolado junto com os demais panos de linho que faziam parte dos que envolviam Jesus.
Mas leia o detalhe...
Veja a mensagem sutil de Jesus, que foi vista por Pedro que entrou no sepulcro...
Este lenço estava enrolado num lugar à parte.
Assim, a mais preciosa mensagem do sudário ou qualquer que seja o seu nome, não é se este atual é ou não o verdadeiro, se estava ou não com Jesus, se comprova a ressurreição, ou não.
Isso pouco ou nada importa...
Sua mais preciosa mensagem é que Jesus mais uma vez promete que vai voltar.
E se você acompanha meus textos aqui, ou se quiser dar uma busca nos meus arquivos, vai perceber que não apenas eu creio nisso, como creio que esta data não está mais tão longe...
Pelo contrário.
Assim, minha palavra a você, hoje, é não seja envolvido na confusão da discussão inútil do sudário.
Preste atenção aos detalhes, às "notas de rodapé" estampadas nas próprias revistas e matérias que, tratando do tema, perdem o foco.
Veja que Jesus ainda está falando...
Hoje!
E claramente.
Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!
Veja os sinais...

SHALOM!

Haroldo Maranhão

sábado, 24 de março de 2012

EU TENHO VERGONHA DA APOSTASIA. NÃO DO EVANGELHO.





Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê.

Romanos 1:16

Eu me converti quando tinha 10 anos.
Já se vão aí 41 anos.
Sou bisneto de pastor evangélico.
Naquele tempo, fiquei sabendo por outros familiares, ele debatia em praça pública com um líder de uma grande religião, em praça pública, acerca da Bíblia.
Não era famoso.
Na verdade, nem mesmo era popular.
Chegou mesmo a ser ameaçado por sua fé.
Não era popular ser "crente", "evangélico" ou "protestante".
Pelo contrário.
Quando criança, estudei em uma escola muito grande.
Particular.
Lembro que entre quase 2.000 alunos, eu era um dos poucos "crentes".
Não era muito popular ser "crente".
Era difícil se assumir "crente".
Meu falecido avô foi uma pessoa de notável influência na sociedade paulistana e mesmo brasileira.
Influente na área da medicina, com ênfase na medicina legal.
Mesmo no meio universitário, com importantes cadeiras ocupadas.
Ele era uma raridade.
Algumas pessoas não compreendiam como alguém tão culto, tão inteligente, pudesse ser "crente'.
Era bem estranho.
As igrejas eram pequenas.
Não existiam "megachurches".
Como já falei em outro post, as coisas eram difíceis.
Lembro de um dia em que meu pai me levou ao Ginásio do Ibirapuera aqui em São Paulo.
Um evento cristão.
Eu tinha menos de 10 anos, e ao ver o ginásio lotado, durante uma apresentação cênica da passagem bíblica da vitória de Elias contra os profetas de Baal, fiquei maravilhado.
Perguntei: - Pai, todos eles são "crentes"?
Um ginásio lotado não era muito comum para minhas experiências gospel...
E o tempo passou.
E as igrejas cresceram.
Nós que quase nada éramos nos censos demográficos anteriores, hoje caminhamos para ser aparentemente quase 40 milhões.
E crescendo.
Elegemos senadores, deputados, vereadores.
Influenciamos grandes decisões da política nacional.
Em diversoso pleitos, fomos ou seremos decisivos.
Dizem que influenciamos até mesmo decisões da Presidência da República.
Não tenho como checar de fonte fidedigna, mas faz sentido.
O que quero enfatizar é que hoje, somos ouvidos.
Nossos templos estão em todos os bairros.
Em todos os tamanhos.
Todas as denominações representadas.
Talvez, milhares delas.
Cobertura nacional.
Quase não existem locais não alcançados no Brasil.
Embora saiba de bolsões com menor presença de igreja em lugares não alcançados no sertão nordestino, inegável que chegamos através do rádio e da TV aberta.
É verdade...
Alargamos mesmo nosso alcance!
Homens e mulheres de Deus, anônimos ou não, pregaram o evangelho nesta nação.
De todas as formas.
Pagando altos preços.
Nos lugares mais longínquos...
Chegou a Verdade que liberta.
Que salva.
Que transforma.
Chegamos até mesmo na programação da Globo!
Que entendeu nossa força.
Que tenta comprar nosso mercado musical.
O grupo de Ruppert Murdoch, que já fez este movimento no mercado americano, entre outros grupos, tenta fazer a mesma coisa no mercado editorial cristão nacional.
Somos um mercado comercial em expansão observável.
Mensurável.
Nos tornamos financeiramente influentes, mesmo!
A mini série "Rei Davi" desbanca outras grandes atrações no horário nobre.
Horas e horas intermináveis na televisão apresentam pastores, bispos e apóstolos.
Em tese, pregando o evangelho.
Em tese, falando de Jesus.
Digo "em tese" por que, os resultados são rasos se esta fosse mesmo a pregação.
O evangelho verdadeiro.
Incompatíveis com a real comparação que deve ser feita.
Com o princípio de tudo.
Lembro que poucos homens, que realmente pregaram o genuíno evangelho, sem todos estes "recursos", receberam a cooperação do Espírito na transformação do mundo da época imediata pós-Jesus.
Por que pregavam o evangelho genuíno, eram acompanhados pelo poder de Deus.
Genuíno.
E estes sim, influenciaram sua geração.
Não a política, não o entretenimento, não os negócios, não os grandes temas nacionais.
Mas as VIDAS.
O que importava eram as conversões.
As pessoas.
A transformação.
A salvação.
Pregavam arrependimento de pecados.
Pregavam salvação pela graça, por meio da fé.
Pregavam mudança interior de vida.
Tinha que haver uma real mudança na vida da pessoa.
Eram radicais.
E não se tornaram celebridades, não ficaram famosos na terra segundo seus princípios, mas se tornaram famosos no céu, segundo os princípios eternos...
E por este motivo, até hoje ouvimos ecos de suas vidas.
Dois mil anos depois, o que vejo na TV que supostamente prega este mesmo evangelho, me envergonho.
O que vejo me constrange.
Brigas por espaço, denúncias, escândalos, ataques, explicações, declarações, vídeos, entrevistas.
Igrejas que compram horários para tirar do ar outras igrejas.
Que pregam em tese o mesmo evangelho.
E que, na verdade, promovem uma triste transferência de riquezas invertida, para financiar todo o lixo que estas emissoras despejam nos lares do Brasil, como escrevi aqui.
Ministérios que atacam outros ministérios que, supostamente, pregam  a mesma Bíblia.
E tratam ainda de outros temas inconpreensíveis, se considerarmos que são pagos com dinheiro de dízimos e ofertas.
Matérias pseudo jornalísticas, entrevistas com demônios, falsa piedade, inestigação policial.
Sim, financiado com o dinheiro sagrado do Senhor.
E ainda isenta de impostos, por que, supostamente, usados para pregação da fé.
Até quando?
E estes temas lamentáveis passam a influenciar e pautar a mídia.
As conversas.
A visão que as pessoas passam a ter do evangelho de Jesus.
Qua já não é nem o evangelho, e muito menos de Jesus.
Não, não foi para isso que Ele morreu na cruz.
Não foi para isso que liberou a Grande Comissão para irmos por todo o mundo pregar o evangelho a toda a criatura.
Não através do sistema do mundo, mas, sim, do sistema dEle.
Vejo estes pregadores no vídeo, e não me reconheço neles.
Não compartilho deste tipo de polêmica.
Não aceito este tipo de palavras.
Não os vejo como pregadores de Jesus.
Na verdade, há muito tempo, nem os vejo mais.
Apenas colho ecos do que dizem, nas rodas de conversa do dia a dia.
Nas manchetes dos jornais na internet.
E me pergunto...
Se eles estivessem mesmo pregando o evangelho com este tamanho alcance que têm hoje...
Se tivéssemos mesmo 40 milhões de cristãos genuínos no Brasil...
Como estaria nosso país?
A América Latina?
Mas não é bem assim...
Tenho vergonha de ser confundido com estas pessoas, quando me identifico como cristão.
Fico constrangido quando tenho que explicar o que creio, quando confrontado com estas programações televisivas em que, tenho a impressão, o Espírito Santo nem passa perto.
E assim, como já disse, A Apostasia vai se disseminando.
Travestida de evangelho.
Muitas das pessoas que se professam cristãs ao entrevistador do censo não seguem mais a Jesus, mas seguem, sim, pessoas que nem pregam a Jesus como Salvador.
Que não sei, de verdade, a quem seguem.
A maioria nem mesmo sabe expressar sua fé!
Não sabe por que é salvo.
Talvez nem como alguém pode ser salvo.
Baseado em que crê que tem a vida eterna.
Pergunto: você sabe?
Assim, hoje...
Mais uma vez, neste espaço que Deus me dá...
No qual ainda posso escrever o que penso, o que acredito, o que vejo...
Sabendo que não sou o dono da verdade, e nem pretendo ser...
Quero fazer uma recomendação!
Você que é cristão e que é sincero...
Siga o pastor da sua igreja local.
Não importa o tamanho da sua igreja, você pode acompanhar a vida deste homem ou mulher.
São de carne e osso.
Você pode saber de sua vida real, e ouvir a sua pregação sincera.
O que aparece na televisão, muitas vezes, é um personagem que nem sempre é real...
Você nem mesmo sabe como é sua vida no dia a dia...
Aliás, em nossos dias, os últimos dias, nem mesmo sabemos quem são de verdade...
Mas a vida do seu pastor, você tem como saber.
Acompanhe.
Não importa, necessariamente, o alcance que ele está tendo.
Não meça o sucesso do seu ministério pelo tamanho da congregação, mas para a sinceridade como segue a Deus.
Pela coerência como vive o Evangelho.
Pela forma como lida com suas lutas pessoais, e até mesmo suas falhas.
Naquele Dia, diante do Senhor, vamos ter muitas surpresas...
Muitos que hoje são famosos, talvez nem mesmo estarão lá.
Mas alguns anônimos na terra, veremos que são famosos no céu.
Mais uma sugestão...
Ao assistir qualquer programação, em qualquer canal, em qualquer mídia, quem quer que seja...
Cantor, pastor, presbítero, bispo, apóstolo, produtor...
Não importa se são famosos, se vendem muito, se estão em muitos lugares...
Se tem livros, se tem grande audiência...
Nada disso faz, necessariamente, a menor diferença!
O importante é o que dizem quando estão no ar.
Preste atenção no que eles dizem.
Sinceramente, observe se falam de Jesus.
Se aproveitam para pregar o evangelho que salva.
Se falam em arrependimento de pecados.
Em transformação.
Em mudança de vida.
Em levar a cruz, como disse Jesus.
Vencer o mundo sim, mas passando pela Porta de entrada.
Jesus.
Para não ser injusto, assista algumas vezes.
Vamos dar uma chance, afinal...
Embora devessem pregar o evangelho todo o dia, entendo que possam escolher outra pauta, embora não seja o que dizem quando pedem dinheiro para ficar no ar.
Se falam de Jesus, continue com eles.
Apoie.
Ore por estes...
Afinal, por estarem onde estão precisam de muita oração.
Para não se desviarem do caminho por onde começaram...
Quando ainda tinham menor expressão...
Mas não desvie o dinheiro da sua igreja local para os televisivos.
Invista na sua igreja local.
Ali você deve dar seu dízimo.
Sua oferta.
Invista neste homem e mulher de Deus que realmente tem cuidado de sua vida.
O que proponho hoje é: Faça uma reflexão.
Veja a quem você segue.
Entenda o contexto em que vivemos hoje...
Estamos vivendo, como igreja, um tempo que a igreja antes de nós NUNCA viveu.

Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos dias alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm a sua própria consciência cauterizada.
I Timóteo 4:1 e 2

Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas. 
II Timóteo 4:3 e 4


Tenha vergonha da Apostasia...
NUNCA DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO.

Veja os sinais...

SHALOM!

Haroldo Maranhão

terça-feira, 6 de março de 2012

OUTRO ASTERÓIDE... EM 15 OU 16 DE FEVEREIRO DE 2013!


E... ao longo dos dias, cada dia que passa, as coisas ficam mais tensas.
Este ano de 2012 tem tido já várias passagens de luzes estranhas nos céus de alguns lugares.
Têm sido descritas pelas autoridades como passagem ou aproximação de pequenos corpos celestes, de massa mais frágil, que apenas causam impactos nos céus, produzindo sons e luzes ao serem destruídos ao tentarem entrar em nossa atmosfera.
No final do ano passado tivemos aquele que caiu em uma casa na Argentina, que foi destruída completamente.
Tivemos o "não evento" do Elenin, que foi muito acompanhado por muita gente.
Um "não evento" que poderia ter sido...
Eu mesmo embarquei nessa mais do que gostaria de ter embarcado olhando agora, calmamente, do "lado de cá".
E tivemos a passagem bastante perto do assim chamado YU 55, que passou por aqui em 8 de agosto do ano passado, que foi inclusive tema deste post!
Gostaria ainda de lembrar que a NASA sabe de muitas coisas que nós não sabemos, como escrevi aqui, com vários documentos e informações, inclusive um estranho vídeo institucional, de um Diretor da Agência, no site oficial, falando para os funcionários estarem preparados...
Curioso, não?
E sempre que isso acontece, somos lembrados por toda a mídia que existe uma "espada de Dâmocles" pairando sobre as cabeças dos habitantes da terra...
O Asteróide denominado Apophis...
E eis que, agora, "subitamente", aparece mais um.
O assim batizado 2012 DA 14 está apontado para nós.
Menor, mas bastante perigoso.
Vai passar zunindo na nossa Terra, a uma distância menor que a dos satélites artificiais que nós temos posto em órbita para diversos fins.
Isso é muito perto.
Perto demais.
Segundo os cientistas, não é possível ter certeza se ele vai passar perto, desviar, ou... bater!
Sim!
Bater!
Com data marcada para sabermos se é um boato ou fato: 15 ou 16 de fevereiro de 2013.
Veja no site da NASA..


Se bater, causará um grande estrago...
Como já disse, não há ainda como ter certeza.
Pelo seu tanho de aproximadamente 60 a 70 metros, o asteróide destruiria completamente um país do tamanho de Luxemburgo.
Como podem saber da proporção do estrago?
Por que um asteróide semelhante já caiu em Tunguska, Sibéria, no ano de 1908.
Pesquise no Google sobre isso, se quiser...
Causou um estrago deste tamanho...
E... para copletar a informação desinformada, ficamos sabendo que, além de não ser possível saber se ele vai mesmo bater aqui, não há como prever onde seria tal impacto.
Se soubessem, diriam?
Aparentemente, pelo tamanho deste asteróide, se for este mesmo, não se enquadra com aquele que vai bater na terra na segunda metade da grande tribulação, conforme descrito em Apocalipse 8.
Chamado por João de Absinto, este, sim, vai causar um grande estrago mesmo.
Apocalipse 8:10 O terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma grande estrela, ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas. 11 O nome da estrela era Absinto; e a terça parte das águas tornou-se em absinto, e muitos homens morreram das águas, porque se tornaram amargas.
Entretanto, a "descoberta" deste asteróide tão ameaçador, me faz pensar sobre algumas coisas.
1. Quando "eles" dizem que não há com que nos preocuparmos com NADA antes da passagem do Apophis, que supostamente vai passar aqui bem pertinho no ano de 2029 e é um asteróide ENORME, não posso acreditar no que dizem. Seja pelo fato de que uma primeira alternativa é que "eles" sabem e não vão nos avisar se tiver algo antes nem do real estrago que o Apophis vai causar, ou seja pelo fato de que "eles", na verdade, não sabem e nem conseguem prever se algo pode aparecer no horizonte antes.
2. Quando "eles" são "supostamente" surpreendidos por um asteróide ou algum outro fenômeno celeste, dizem que o espaço é infinito, e que ainda não há como saber todas as coisas... mas no dia a dia, quando tudo está "normal" dizem aos quatro cantos que sabem "com certeza" o que aconteceu aqui há bilhões e bilhões de anos... como tudo se formou...
Mas não sabem de onde veio um asteróide descoberto no ano passado... nem mesmo se vai bater na terra, e nem onde... deveriam ter mais critério o que dizem a respeito do que realmente sabem, ou do que efetivamente não sabem.
3 Quando "eles" se colocam na posição de que sabem todas as coisas, e de que a ciência tem todas as respostas para tudo, (quando está tudo "sob controle") e que crer na Bíblia é coisa de fanáticos religiosos, ou pessoas atrasadas que duvidam da ciência... bem, com este tipo de posição podem causar muita confusão na cabeça dos desavisados que acreditam que a ciência tem todas as respostas... e preferem assim rejeitar a Bíblia para acreditar na "infalível ciência humana"...
Que pena.
A ciência realmente evoluiu demais.
Sabe muitas coisas.
Mas apenas do Senhor vem as respostas certas, definitivas, seguras.
Infalíveis.
O que vai acontecer realmente daqui a um ano?
Não sei. Nem eles sabem.
Talvez, nada..
O que vai acontecer na eternidade futura?
Estou seguro que sei.
Tenho todas as respostas.
Pela fé.
Eu sei em Quem tenho crido, e estou bem certo que é Poderoso...
Minha confiança está em Deus, através de Jesus, O Cristo.
E você?

Veja os sinais...

SHALOM!

Haroldo Maranhão

sexta-feira, 2 de março de 2012

CONFUSÃO COM PROPÓSITO?


POST ATUALIZADO HOJE, 05 03, COM O DESMENTIDO DO PASTOR RICK WARREN SOBRE A MATÉRIA, COM UMA ENTREVISTA QUE PUBLICO LOGO ABAIXO DO POST.
O QUE ELE NÃO EXPLICOU E EU AINDA NÃO CONSIGO ENTENDER, É O FATO DELE TER ORADO EM NOME DE ISA NA POSSE DE OBAMA, O QUE NÃO É VERSÃO DE NINGUÉM, MAS, SIM, ALGO PÚBLICO QUE ESTÁ NO VÍDEO DA POSSE, PUBLICADO NO TEXTO DO POST.
NO MAIS, QUE DEUS NOS AJUDE A VIVER EM UM TEMPO TÃO CONFUSO... E QUE TODOS CONTINUEMOS CHECANDO O QUE OUVIMOS DE QUEM QUER QUE SEJA PELA PALAVRA... SEMPRE!
SHALOM...

HAROLDO MARANHÃO

Bem amigos deste BLOG!
Uma das marcas mais tristes dos últimos dias é A apostasia.
Em II Tessalonisences 2:3 lemos:
"Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição".
Sim, claro que já tivemos muitas manifetações de apostasia anteriormente.
Apostasia resumidamente, e de uma forma bem popular, significa abandonar sua posição de fé.
Fé em Jesus, obviamente...
Sim, muitos abandonaram antes...
Entretanto, o que vemos em nossos dias, e que veremos amplificadamente no futuro breve, é uma manifestação de apostasia "fora de propósito".
De proporção.
E assim será, por que há a necessidade de se preparar as "massas" para uma única religião.
Global.
Conduzida, provavelmente por líderes de grande expressão, com muito poder de mídia e de comunicação.
Que pregam um evangelho genérico...
Parecido com o verdadeiro... sutil...
Mas falso.
Para que estas massas recebam o anticristo como se fosse o Único e Verdadeiro JESUS Cristo.
No engano...
E que engano, não?
Engendrado, planejado, desenvolvido diante de nossos olhos.
Há anos.
Tenho visto muita coisa estranha, que afeta muita gente que se diz cristão, mas não conhece bem a Palavra de Deus.
Não maneja bem a palavra da verdade e nem sabe que esta frase em itálico é um texto bíblico.
Tenho começado a ter uma preocupação despertada para observar o que muitos dos assim denominados "mega-ministérios" têm pregado nos últimos tempos.
Em especial, os televisivos.
Vejo que têm pregado uma mensagem de auto ajuda, prosperidade, solução de todos os problemas.
Que embora sejam aspectos verdadeiros do evangelho, não são O evangelho.
Isso é reducionismo.
Usam na verdade seu tempo na TV pago com dinheiro de dízimos e ofertas para criticar publicamente outros assim denominados ministérios, para entrevistar demônios para firmar pontos de vista em suas brigas por "mercado consumidor de serviços gospel" contrariando frontalmente as Escrituras que proibem ensino até mesmo de anjos, e pouco têm falado com respeito à única verdade importante.
A salvação pela graça, por meio da fé.
Pela obra poderosa de Jesus.
Muitos têm, lamentavelmente, contribuido para uma perversa transferência de riquezas diferente do que muitos crêem, como postei aqui em setembro de 2010...
Têm sustentado emissoras de TV falidas com o dinheiro santo dos cristãos, para que estas emissoras continuem cambaleantes no ar, despejando toda sorte de lixo nos lares do Brasil.
E muitos cristãos têm sido transformado em verdadeiros "zumbis gospel", que dizem amém a tudo o que qualquer pastor ou bispo ou apóstolo que apareça na televisão pregue.
E não checam na Palavra.
Nem conhecem sua Bíblia.
Nunca leram.
Vejo que nem existem mais "bereanos" contemporâneos...
Aliás, temos cada dia menos seguidores de Jesus.
Tem sido substituídos por fás de celebridades gospel.
Felizes por que, agora, cantam no Faustão.
Os cantores, artistas, produtores, pregadores, tornaram-se celebridades.
Lembro de estar em feiras cristãs aqui em São Paulo, em que "celebridades gospel" tinham dificuldade de caminhar pois eram cercados por pessoas ensandecidas que queriam autógrafos!
Fotos.
Gritos... arrepios... quase que desmaios...
Tietagem gospel...
Incentivada pela "mídia gospel".
Lembro com pesar de ter estado em um evento cristão nos Estados Unidos há alguns anos, a NRB para quem sabe do que estou falando, quando vi o pastor Benny Hinn saindo de um local de eventos vestido impecavelmente de terno e gravata brancos, cercado por 6 ou 7 seguranças vestidos de terno e gravata pretos.
Com intercomunicadores...
Talvez estivessem até armados... isso não vi, portanto, não afirmo.
Fiquei pensando em Jesus, que realmente tinha pessoas que queriam matá-lO, que andava à luz do dia, no meio das multidões, entre os que realmente queriam tirar Sua vida, confrontando a todos eles olhos nos olhos.
Jesus confiava que ninguém iria tocá-lO enquanto não concluisse a Sua missão.
Por que o próprio Deus, O responsável por Sua missão, era responsável por Sua segurança.
Para assegurar que "não morresse antes da hora" por que Jesus sabia que estava em Deus e que portanto, o maligno não podia tocá-lO.
Até que Ele fosse morrer na cruz.
E não tocou.
Nem no momento da Sua morte, morte ilegal pois Ele não tinha pecado, morte voluntária por que deu Sua vida, o maligno pode passar perto dEle.
Por que Jesus entregou Seu espírito.
Voluntariamente.
E a morte nem mesmo O pode reter, pois  Jesus ressuscitou poderosamente dentre os mortos.
Ele deu a Sua vida, para tomá-la de volta...
Voltando...
Enfim, não consigo entender pregadores com seguranças, com carros blindados, com a necessidade de pregar nos púlpitos e sair pelas portas laterais e dos fundos para não serem perturbados pelas multidões...
Que hipnotizadas, não percebem o absurdo destas posturas...
A emblemática imagem do pastor Benny Hinn já apontava para o fato de que sua confiança tinha, talvez, mudado de foco... não mais estava em Deus...
Mas muitos cristãos enfeitiçados sei lá por quem ou o que, por que pelo Espírito Santo não estão, compram e consomem e seguem pessoas e não mais observam o que estes vivem, o que demonstram e, acima de tudo, o que pregam.
Sim, todos lutamos com o pecado.
Eu luto contra o pecado.
Mas não muda o fato que procuro pregar a Palavra de Deus.
E procuro, sim, viver o que prego.
Pregar o que vivo...
E pregar a verdade do Evangelho.
Da Palavra de Deus.
E não é fácil...
Bem, voltando ao tema do post...
Confesso que fiquei chocado três anos atrás quando o pastor Rick Warren, ao concluir sua oração na posse de Obama, chamado ali como pastor evangélico que é o que pensamos que ele é, ao encerrar sua oração o fez "em nome de Jesus, Isa, Yeoshua".
Você consegue imaginar um absurdo destes?
Isa é, supostamente, o nome de Jesus no Islam.
Mas lembre que lá, ele não é Deus... é mais um profeta...
Um pastor como este senhor, deveria saber a Quem serve...
Quem é Jesus!
Não há outro...
Mas achei que fosse uma certa empolgação pelo momento.
Pelas luzes...
Pelo presidente Obama...
Enfim, um deslize...
Entretanto, vejo que, talvez, não era bem isso.
Aparentemente, a luz veio à tona!
Rick Warren talvez faça parte do movimento herético americano denominado ChrIslam, misturando Cristianismo com o Islam.
Digo isso pois ele agora, aparentemente em uma progressão de sua obra, começou nos Estados Unidos uma movimento em conjunto com mesquitas na Califórnia para ensinar que Deus e Alá são os mesmos...
Se você lê inglês, por favor, leia aqui, no site americano Now The End Begins.
Rick Warren rasga o texto de Paulo a Timóteo em que diz, claramente, textualmente, que HÁ UM SÓ DEUS E UM SÓ MEDIADOR ENTRE DEUS E OS HOMENS, CRISTO JESUS HOMEM.
Apenas um.
Único.
E eu, aqui, modestamente, fico pensando...
O que farão as igrejas com propósito, dos livros com propósito, das agendas com propósito, dos CDs com propósito... aqui do Brasil?
Vão investigar a verdade acerca deste material publicado nos Estados Unidos?
Se ele estiver mesmo ingressando na apostasia, vão denunciar a posição do pastor Rick Warren?
Ou vão apenas ignorar a possibilidade desta sua "nova" posição, ou novo propósito?
Ou o que mais me assusta...
Irão abraçar esta heresia para ensinar aqui no Brasil também?
Por fazerem parte?
Acho muito importante que estas igrejas investiguem, e informem a todos aqui no Brasil que evangelho está sendo pregado com propósito.
Se posicionem... é mesmo verdade esta posição do pastor Rick Warren?
Mas enquanto eles talvez fazem isso, e quanto a você?
Heresias, virão.
De lá, daqui.
De todo o lugar.
Se não for verdade a posição deste pastor, outra vai acontecer.
O ecunemismo está entrando.
E virá.
Disfarçado de ajudas humanitárias, ecológicas, de maneira muito sutil.
Muitas falsas doutrinas tem entrado já aqui no Brasil.
Pela televisão.
Sim, A apostasia, virá.
Aliás, já chegou e vai crescer.
E eu repito minhas perguntas...
Você sabe o que crê?
Como um Felipe contemporâneo, perguntaria "entendes tu o que lês?"
Ou você é apenas um seguidor de homens-ídolos que, se mandarem você "pular da ponte" ou "comprar o shampoo abençoado", você "pula" e "compra"... como fazem os ídolos do mundo com seus seguidores?
Sim, podemos divergir se o batismo nas águas é por imersão ou aspersão.
Sim, também podemos discordar acerca da predestinação e livre arbítrio.
Claro que sim, sei muito bem o preço, podemos discordar se os dons são para hoje ou não.
Se há batismo no Espírito Santo em um segundo momento após a salvação, ou se é parte integrante da conversão...
Se oramos em línguas ou não...
Mas não podemos... nunca... sair fora da posição de que é APENAS JESUS, e não há outro.
Só o Senhor é Deus.
Jesus, O Cristo, é o Senhor, para a glória de Deus Pai.
Tudo com Jesus.
Nada sem Jesus.
E apenas Jesus...
Bem amigos...
O tempo encurta.
Veja os sinais!

SHALOM!

Haroldo Maranhão

Segue a entrevista original:
Dear friends:

This is a needed letter to correct the many false, slanderous messages about Pastor Rick Warren. Please read:
http://www.saddleback.com/blogs/newsandviews/
March 2, 2012
Dear friends,
A few days ago, an article appeared in the Orange County Register that included some outrageous statements about Saddleback that were incorrect. Of course, the media rarely gets everything right, and there's no way we could respond to every false statement made about us. But I felt this article created so many misperceptions that I agreed to do an interview in response. The interview transcript is included below. Please read it all and then forward it to everyone you know who would be interested.
Thanks!

[]


RICK WARREN ON MUSLIMS, EVANGELISM and MISSIONS
with Brandon A. Cox and The Christian Post



QUESTION: Do people of other religions worship the same God as Christians?
WARREN: Of course not. Christians have a view of God that is unique. We believe Jesus is God! We believe God is a Trinity: Father, Son, and Holy Spirit. Not three separate gods but one God. No other faith believes Jesus is God. My God is Jesus. The belief in God as a Trinity is the foundational difference between Christians and everyone else. There are 2.1 billion people who call themselves Christians . . . whether Catholic, Orthodox, Protestant, Pentecostal, or Evangelical . . . and they all have the doctrine of the Trinity in common.
QUESTION: A recent newspaper article claimed you believe Christians and Muslims worship the same God, that you are “in partnership” with a mosque, and that you both agreed to “not evangelize each other.” You immediately posted a brief refutation online. Can you expand on that?
WARREN: Sure. All three of those statements are flat out wrong. Those statements were made by a reporter, not by me. I did not say them . . . I do not believe them . . . I completely disagree with them . . . and no one even talked to me about that article! So let me address each one individually: First, as I’ve already said, Christians have a fundamentally different view of God than Muslims. We worship Jesus as God. Muslims don’t. Our God is Jesus, not Allah. Colossians 2:9 says “For in Christ dwells all the fullness of the Godhead bodily.” Second, while we urge our members to build friendships with everyone in our community, including Muslims and other faiths, (“Love your neighbor as yourself”), our church has never had any partnership with a mosque. Friendship and partnership are two very different levels of commitment. Some of our members have hosted a Bible study with Muslim friends, which I applaud, but I’ve never been to it, and a Bible study certainly isn’t any kind of partnership or merger! It’s just crazy that a simple Bible study where people explore scripture with non-Christians would be reported as a partnership and others would interpret that as a plan for a new compromised religion. Just crazy! Third, as both an Evangelical and as an evangelist, anyone who knows me and my 40 year track record of ministry knows that I would never agree to “not evangelizing” anyone! I am commanded by my Savior to share the Good News with all people everywhere, all the time, in every way possible! Anyone who’s heard me teach knows that my heart beats for bringing others to Jesus.
QUESTION: That same article mentioned that you ate an Iftar dinner with Orange County Muslims. What is that all about?
WARREN: It’s called being polite and a good neighbor. For years, we have invited Muslim friends to attend our Easter and Christmas services and they have graciously attended year after year. Some have even celebrated our family’s personal Christmas service in our home. So when they have a potluck when their month of fasting ends, we go to their party. It’s a Jesus thing. The Pharisees criticized him as “the friend of sinners” because Jesus ate dinner with people they disapproved of. By the way, one of my dear friends is a Jewish Rabbi and my family has celebrated Passover at his home, and he attends our Christmas and Easter services. I wish more Christians would reach out in love like Jesus.
QUESTION: Why do you think people who call themselves Christians sometimes say the most hateful things about Muslims?
WARREN: Well, some of those folks probably aren’t really Christians. 1 John 4:20 says, “If anyone says, ‘I love God,’ yet hates his brother, he is a liar. For anyone who does not love his brother, whom he has seen, cannot love God, whom he has not seen.” And 1 John 2:9 says “Anyone who claims to be in the light but hates his brother is still in the darkness.” I am not allowed by Jesus to hate anyone. Our culture has accepted two huge lies: The first is that if you disagree with someone’s lifestyle, you must fear them or hate them. The second is that to love someone means you agree with everything they believe or do. Both are nonsense. You don’t have to compromise convictions to be compassionate.
QUESTION: Let's talk about evangelism. In the past 10 years, Saddleback Church has baptized over 24,000 new believers. No other church comes close to that record. You are likely the most evangelistic church in America. What's the key?
WARREN: We are willing to do what many other churches are unwilling to do. We are willing to go beyond our comfort zone.
QUESTION: For instance?
WARREN: Because Jesus commanded us to take the Gospel to everyone, I spend much of my time with groups of people who completely disagree with what I believe. I’m constantly trying to build a bridge of love to nonbelievers, to atheists, to gays, to those I disagree with politically, and to those of other faiths. We don't wait for these people to come to church; we go to them and share with them on their turf, not ours. Every member is a minister and a missionary. Saddleback was a missional church 30 years before the term became popular. We just called it being “purpose driven”.
QUESTION: “Building a bridge” sounds like compromise to many people.
WARREN: Building a bridge has nothing to do with compromising your beliefs. It's all about your behavior and your attitude toward them. It's about genuinely loving people. People don't care how much you know until they know how much you care. Before people ask, “Is Jesus credible?” they want to know if you are credible. Before people trust Jesus they must trust you. You cannot win your enemies to Christ, only your friends. It's part of what Paul calls “the ministry of reconciliation.” It is Christ-like to treat people with dignity and listen to them with respect.
QUESTION: Why are most Christians so ineffective at sharing their faith?
WARREN: I have a whole seminar on that! First, they don't really have any unbelieving friends. They spend all their time with other Christians. As a result, they are afraid to share their faith because it feels unnatural to them. For most people to come to Christ, you must build a relationship with them first. You must love them. The truth is, most Christians love everything else more than the people around them that Jesus died for. Second, many don't really believe that people are lost without Christ. Third, many Christians are afraid of the criticism they will receive from other Christians if they hang out with unbelievers. It was the religious people who hated Jesus the most. They criticized him for associating with tax collectors and lepers and prostitutes and politicians and going to parties. Lost people loved Jesus but the religious folks saw his associations as dangerous compromise. The same is true today. Modern Pharisees still use guilt by association as a weapon. Just read the blogs. They'd rather hunker in a bunker and attack those courageous enough to reach out to non-Christians. I do not fear the disapproval of others. I fear the disapproval of God on my disobedience to what he has clearly commanded us to do.
QUESTION: What is the P.E.A.C.E. plan?
WARREN: It is a biblical strategy of ministry based on five activities Jesus modeled in his ministry. Saddleback members have been beta testing it for the past nine years all around the world. Each letter of P.E.A.C.E. represents one of five things Jesus taught his disciples to do: P stands for Plant churches. E stands for Equip leaders. A stands for Assist the poor. C stands for Care for the sick. E stands for Educate the next generation. The PEACE plan is accomplished by local churches through local churches. It is based on three passages of Scripture and the specific instructions Jesus gave to his teams that he sent out. There are at least a dozen major differences between the PEACE Plan and the traditional, typical mission program of NGOs and parachurch organizations of the past 100 years. It is a return to the missional strategy.
QUESTION: What is the PEACE Center?
WARREN: Based on Jesus’ instructions in Acts 1:8, we practice the PEACE Plan in three dimensions: PERSONAL PEACE – my ministry to those closest to me; LOOCAL PEACE -our congregation’s ministry to our community; and GLOBAL PEACE - serving other local churches around the world as those congregations do their own local PEACE. The PEACE Center is the building on our church campus that houses about three dozen of our 300 ministries to the community. It offers our food bank, job training, family counseling, legal aid, tutoring, English as a second language, legal immigration assistance, and many other ministries.
QUESTION: I read an article that claimed you were building a PEACE Center to bring Muslims and Christians together in peace.
WARREN: It was the writer’s mistake. He got two different stories confused. Our recently opened PEACE Center, on the Saddleback Church campus has NOTHING . . . zero . . . to do with our Muslim friends.
This is an example of why I always doubt what I read in newspapers and blogs about ministries. Secular reporters trying to cover churches and theological issues often get it wrong. But then Christian bloggers, instead of contacting the ministry, blindly believe, quote and repost the errors made by secular reporters. Then those errors become permanent, searchable, and global on the Internet. I couldn’t count the number of times a secular reporter has gotten a story about Saddleback wrong but then it is perpetuated by Christians who never fact-check. And the three factors I mentioned about the Internet make it impossible to correct all the misperceptions, and outright lies that get repeated over and over.
QUESTION: You mentioned legal immigration services. How many languages do Saddleback members speak?
WARREN: At last count, I heard we speak 76 languages in our church family. One of our 10 values, the “A” in our S.A.D.D.L.E.B.A.C.K. strategy, is that we are an ALL-nation congregation. We are a multi-ethnic church. We want our congregation to look like heaven will look – with every age, race, tribe, aand economic background represented.
QUESTION: What is the goal of your ministry?
WARREN: To know Christ and make Him known! To live out Jesus’ Great Commandment and Great Commission! In fact, this has been the motto of Saddleback Church since we started it in 1980: “A great commitment to the Great Commandment and the Great Commission will grow a great church.” Everything we do comes out of these two great texts. God's five eternal purposes for both our lives and the church proceed from these verses. The Purpose Driven Church and The Purpose Driven Life explain this in detail.
QUESTION: Through the PEACE Plan, Saddleback became the first local congregation in 2,000 years of Christian history to send its members to literally “every nation” as Jesus commanded.
WARREN: That's correct.
QUESTION: How did you accomplish that?
WARREN: By taking Jesus’ command seriously. When Jesus said, “Go to EVERY nation” we asked ourselves as a church family, “Has any local church in 2,000 years ever actually done that? If not, why don't we be the first!” So we set a goal to send our members to every nation of the world to do the five tasks of the P.E.A.C.E. Plan by the end of 2010. Of course I know that the Greek ta ethne refers to people groups or tribes not political nations, but you have to start somewhere! So we decided that we would send our members on mission to all 197 nations in the world. (There are 195 nations in the United Nations. The only two nations not in the United Nations are Taiwan and Serbia.) On November 18, 2010, a Saddleback team went to the last nation, #197, a small island in the Caribbean called, St. Kitts. Now, our goal for the next decade, which we call our Decade of Destiny is to mobilize a network of churches who will commit to planting new churches in the final 3,600 unengaged people groups that still do not have a Christian church.
QUESTION: How many members did you send out to complete your church’s goal of taking the gospel to every nation?
WARREN: 15,867 members were sent out. Of course, we’ve gone way past that in the last year.
QUESTION: What is your mission goal this year?
WARREN: Within a year from this Easter, we intend to plant new churches in 12 strategic cities around the world as resource centers and base camps for the greater goal of planting churches in the 3,600 unengaged people groups.
QUESTION: What are those 12 cities?
WARREN: Tokyo, Berlin, Johannesburg, Bangalore, Buenos Aires, Hong Kong, London, Freetown, Moscow, Mexico City, Amman, and Manila. Anyone who’d like to be a part of the team should contact me at PastorRick@saddleback.com or on Twitter, Facebook, or LinkedIn.
QUESTION: Are you promoting Chrislam?
WARREN: Of course not. It's the lie that won't die. No matter how many times we refute it and correct that lie, people keep passing it on as truth. Jesus is the only way to salvation. Period. If I didn’t believe that, I’d get into a much easier line of work! But I do believe that everybody needs Jesus and I am willing to put up with false statements and misunderstandings in order to get the Gospel out.
QUESTION: What are your greatest frustrations about evangelism?
WARREN: That Christians would rather argue than evangelize. That people are more interested in winning arguments that in winning people. That people are more interested in making a point than in making a difference. That people put politics above the souls of people. That people are more afraid of guilt by association than allowing others to go to hell.
QUESTION: If anyone wants to learn or teach their church how to be more effective in evangelism and missions what should they do?
WARREN: Write to me at PastorRick@saddleback.com and ask me for an invitation to the group of leaders I train each week through a private webcast.
QUESTION: Any last word?
WARREN: Reach one more for Jesus! Anyone who’s read Purpose Driven Life knows those were my father’s last words and deathbed instructions to me. It is the theme of my life and I invite you to make it yours. Nothing is more important than the eternal destiny of those around us.
Saddleback Church
Purpose Driven Network
P.E.A.C.E. Coalition