sábado, 27 de agosto de 2011

JUNTANDO OS PONTOS, ANALISANDO DATAS, REVENDO TEXTOS

Bem amigos deste blog.
Talvez você já saiba, mas para quem não sabe, faço parte de uma família de estudiosos da Palavra de Deus.
Meu bisavô foi pastor evangélico. Temos pastores, mestres, professores, estudiosos.
Cresci vendo meu pai na sala da casa em que morávamos estudando a Bíblia em horários alternativos a seus compromissos de trabalho.
Um advogado que tinha um tremendo discernimento bíblico acerca do Juízo Final.
Em sua dimensão espiritual e também em seu aspecto legal.
Hoje parei para pensar sobre tudo o que estou acompanhando, e cheguei a uma conclusão bastante clara:
Estudar escatologia era algo muito simples anos atrás.
Tínhamos tudo muito nítido em nossos raciocínios.
Primeiro vai acontecer isso, que desencadeia aquilo.
Estes aspectos não podem acontecer antes destes outros... e pronto.
Mas o tempo foi passando.
Já se vão dois anos desde quando fui convidado a ensinar Apocalipse na Igreja de que faço parte.
Os áudios ainda estão aí ao lado.
Apocalipse em 5 arquivos.
Ensinados em 5 domingos.
Por favor, me dê o devido desconto, já que o que preguei ali foi com base no mundo dois anos atrás.
Quando preparava aquele material percebi que muito do que estudávamos antes não cabia mais.
Não que a Palavra de Deus tivesse mudado.
Claro que não.
Mas a forma como líamos e entendíamos antes continha alguns "gaps"...
Aquele estudo gerou uma sede minha de estudar.
Gerou novos estudos.
Gerou conversas.
Gerou este BLOG!
Que é uma grande bênção para mim mesmo, pelo fato de que eu sou obrigado a pensar, estudar, ler, acompanhar, organizar meus pensamentos, filtrar o que publico, o que não publico, andar no fio da navalha entre teorias da conspiração, verdades ocultas, mentiras travestidas de verdade, verdades apresentadas como mentiras...
Glória a Deus por que posso depender sempre, inteiramente e completamente de Sua Palavra e do Espírito Santo!
Aproveitando, se puder, por favor, ore por mim neste sentido.
Tenho temor ao escrever.
Não quero, não posso e não devo ser um profeta do apocalipse que não virá no momento em que creio, e levar pessoas a se escandalizar e afastar do evangelho, como aquele povo do fim do mundo em 21 de maio.
Mas também não posso cometer omissão de socorro, e ser um atalaia que não avisa o que está vendo.
Este é o desafio que senti em meu coração ao escrever aqui.
Andar no meio destes dois extremos.
Que Deus me ajude!
Assim, retornando ao fio de raciocínio em que caminhava, sinto que hoje, ao olhar em volta e perceber no que o nosso mundo está se tornando, confesso que tenho a nítida sensação de que eu penso que não deveria mais estar aqui.
Há muito do anticristo estabelecido claramente entre nós, embora ele ainda não tenha um rosto claro.
As tragédias deste ano de 2011 já são apocalípticas demais.
Ameaças sidererais próximas e sinais no céu deveriam acontecer apenas na segunda metade da 70ª Semana de Daniel...
A apostasia está mais intensa do que pensei que fosse ver. O evangelho se tornou financeiro. A cruz de Jesus, que é a essência do evangelho, está cada vez mais longe dos corações de muitos que se denominam “cristãos”...
Amigos me perguntam o que acho disso, o que penso daquilo...
Acompanho o que meu pastor prega e o que discute em seus grupos de estudos. Conversamos muito, trocamos impressões, textos, vídeos.
Tenho amigos próximos que respeito demais e, sempre que posso, ouço o que estão pensando.
Leio também o que pensa muita gente ao redor do mundo. A internet tem este lado abençoador.
Agilidade.
Acesso.
Conexão.
Leio pessoas que crêem como eu creio, e também pessoas que crêem de uma maneira diferente da que eu creio.
Isso é necessário, pois preciso conhecer seus argumentos.
Preciso entender seus pontos de vista, e os textos em que fundamentam suas posições.
Apenas fazendo assim posso criticar a minha própria posição.
A grande questão, claro, é: AFINAL, EM QUE PONTO ESTAMOS DO CENÁRIO PROFÉTICO?
O que vai acontecer com a Igreja de Jesus?
Melhor... o que vai acontecer com a Noiva de Jesus?
Bem meu amigo...
Como você pode ver no meu post sobre tudo o que pode acontecer neste mês de Setembro, o ano de 2017/2018, para mim, é muito importante como um marco profético.
Por que?
Justamente pelo fato de ser um ano que se relaciona com datas importantes para Israel, considerando fatos que JÁ ACONTECERAM.
Coincidentemente, 1897, 1917, 1947, 1967, apontam para 2017.
Se formos preciosistas podemos pensar que Jesus deveria reinar a partir desta data, pelo fato de que será um ano de Jubileu, se considerarmos 1917 e 1967 desta forma.
Como Jubileus.
Pense ainda, olhando para o mundo a seu redor, se você crê, sinceramente, que temos mais 50 anos de existência enquanto humanidade da forma como vivemos...
Por que 50 anos?
Por que Israel é o relógio profético de Deus, e Jubileus fazem parte do Seu sistema...
Vamos projetar o futuro?
A água tem data para acabar. As geleiras derretendo. O alimento para a população mundial, que passou de 7 bilhões e continua crescendo. Os sinais no céu. O cometa Apofis, supostamente, deve bater na terra em 2029 ou 2036, uma data que em nada faria sentido com uma hipotética data bíblica de um próximo Jubileu em 2067...
Ou seja, uma série de fatos absolutamente desconexos para uma nova data de Jubileu em 2067.
Entende o cenário?
Entende meu raciocínio?
Mesmo que estejamos em um calendário gregoriano errado em relação a um calendário hebraico errado...
Mesmo que 2017 ou 5777 não sejam os anos que pensamos que serão.
Podem ser 2 mil e qualquer coisa ou 5 mil e qualquer outra coisa... pouco importa.
O que realmente importa é o fato de que temos fatos importantes acontecendo com saltos de 50 anos que apontam para Israel.
Ponto!
Israel voltou a ser uma  nação PONTO DE EXCLAMAÇÃO!
A Geração que viu isto, não pode passar... lembra?
Palavras de Jesus!
Assim, assumindo que este raciocínio esteja correto...
Teríamos que ter assistido ao arrebatamento da Noiva no ano passado, aparentemente.
Sete anos antes, pela forma de estudo clássica...
Pré tribulacionista...
Se considerarmos que “aqueles dias serão abreviados”, temos que considerar que estamos às portas do arrebatamento da Noiva.
Se analisarmos os sinais a nossa volta, veremos que podemos constatar, de forma clara, os seguintes sinais:
Israel começa a ficar absolutamente cercado.
O Egito mudou, a Líbia, os Estados Unidos também.
Aliás, todo o Oriente Médio tem passado por uma profunda mudança política neste ano de 2011 como nunca nas últimas décadas!
E todas as mudanças pioraram o ambiente político global para Israel.
Acontecem terremotos em todos os lugares.
O amor de muitos têm se esfriado no mundo como um todo.
Um bilhão de pessoas passa fome.
Existem sinais nos céus em profusão para os próximos tempos.
Tsunamis já fazem parte da nossa cultura contemporânea.
Falsos profetas, pastores, apóstolos e tudo o mais proliferam.
O engano cresce.
O sol assusta.
Estudos científicos descrevem como possibilidades de curto prazo, fatos proféticos de nossa Bíblia, como inversão de pólos magnéticos, a terra fora de sua órbita, pessoas construindo abrigos subterrâneos.
A economia global parece que vai quebrar de novo, e aponta para uma moeda global breve. Temos totais condições tecnológicas de obrigar pessoas a não poderem comprar nem vender sem uma marca. Temos controles em todos os lugares por cartões magnéticos, celulares, câmeras de segurança, satélites, reconhecimentos por íris, mãos, chips.
O preço do trigo sobe...
O movimento ecumênico parece crescer, e pastores conhecidos, famosos, influentes também fazem parte. Ou, ainda, não concordam nem discordam... hmmmm!!!
Por outro lado, intolerância religiosa.
Guerras. Rumores de guerras.
Muitos ficaram apavorados com uma gripe global...
Pecado não é mais pecado.
O Evangelho pregado é outro...
A agenda gay chegou para ficar.
Não param de nos bombardear com ETs, UFOs, lobisomens, vampiros, demônios, universos paralelos, realidades virtuais, filmes de Hollywood.
Bem, você acompanhou o raciocínio.
Você poderá listar outros indicadores... eu também.
Estou seriamente pensando que, sim, estamos na 70ª Semana de Daniel... que não combina, necessariamente, com a grande tribulação de Apocalipse integralmente.
Mas contém a grande tribulação, com certeza.
Meu querido, se você ler Apocalipse novamente, verá que em nenhum lugar encontramos um período de Tribulação marcado para exatos 7 anos.
Enquanto quantidade de tempo descrito, encontramos apenas períodos de 3 anos e meio, 42 semanas e tempo, tempos e metade de um tempo.
Por inferência, assumimos equivocadamente, creio, que a 70ª Semana de Daniel bateria exatamente com os eventos de tribulação narrados em Apocalipse.
Mas pense comigo...
Para cumpri-los literalmente, não precisamos da divisão clássica de 7 anos em duas metades.
Podemos perfeitamente compreender a visão dos midi-tribulacionistas.
Podemos perfeitamente pensar como José (um tipo de Jesus na Bíblia), que disse, "no momento em que foi se revelar aos seus irmãos (percebe o paralelo?)" que já tinham se passado 2 anos de fome e que haveriam mais 5.
Veja, José dividiu 7 anos em 2 anos e mais 5 anos!
Por que não?
Podemos ainda, perfeitamente, pensar que de hoje até o fim de 2017 temos "quase" 7 anos, se pensarmos que o ano em Israel não vira na mesma data do nosso, e que os dias serão abreviados...
Podemos e devemos pensar em escatologia fora da caixa dos teólogos que vieram antes de nós, sem deixar de sermos bíblicos!
Deixar de ser bíblicos, isso NUNCA!
Mas, enfim, é tempo de avaliarmos tudo.
De nos santificarmos.
De estarmos prontos para ser arrebatados hoje.
De estarmos prontos para passar por eventos apocalípticos que não pensamos que fossemos passar.
Sem perder a fé.
Sem perder a certeza de quem somos em Jesus.
Sem seguir falsos profetas, mestres, apóstolos, “cristos”...
Eu não sou dono da verdade.
Não leve a sério quem se declara como sendo.
Sou alguém que deseja, sinceramente, aprender e compartilhar.
Ouvir e aprender.
Que Deus nos abençoe para isso, em Nome de Jesus.
Enquanto isso, leia a Bíblia.
Veja as notícias, mas com outros olhos...
Veja os sinais.

SHALOM!

Haroldo Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário