sexta-feira, 4 de março de 2011

VIDA PASSAGEIRA...

Eclesiastes 3:11 Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs na mente do homem a idéia da eternidade, se bem que este não possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até o fim.

I Pedro 1:24 Porque: Toda a carne é como a erva, e toda a sua glória como a flor da erva. Seca-se a erva, e cai a sua flor; 25 mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que vos foi evangelizada.


Salmos 90:9 Pois todos os nossos dias vão passando na tua indignação; acabam-se os nossos anos como um conto ligeiro. 10 A duração da nossa vida é de setenta anos; e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, a medida deles é canseira e enfado; pois (a vida) passa rapidamente, e nós voamos.

Outro dia estava conversando com um de meus mais preciosos amigos.
E ele me fez uma pergunta que tem sido recorrente desde que me propuz a estar aqui observando os cenários à nossa volta, que apontam para o fim da vida presente, ou pelo menos como nós a conhecemos.
- Haroldo, como você consegue ficar analisando estes cenários apocalípticos e viver uma vida "normal'?
Boa pergunta!
Fiquei pensando no que ele me disse, e analisando como esta percepção afeta meus dias.
Todos os dias, antes de sair para trabalhar, observo indicadores que fazem parte de minhas avaliações.
Sites que informam sobre terremotos, vulcões, cenários astronômicos, sites de notícias nacionais e internacionais, blogs ao redor do mundo...
Meu macrocenário já está bem construído, o que me permite obter informações sobre novidades rapidamente.
Quanto vejo algo fora do comum, checo as informações.
E leio a Bíblia.
Leio muito.
E, vou trabalhar.
Tenho um casamento abençoado, especial e muito feliz.
Tenho meus filhos, que, embora morem em outro estado, são alvo de meu amor, e fazem parte de meus pensamentos, orações, e cuidados possíveis à distancia, diariamente.
Tenho minha vida profissional, contratos, viagens, planejamentos.
Tenho o ministério pastoral que Deus me confiou, que envolvem pessoas preciosas, com suas as vidas, suas histórias que passam diante de mim, todos os dias...
E... respondendo a pergunta...
Estes cenários me dão um senso de urgência de que a vida é passageira.
Como diz o salmista acima, a vida é um conto ligeiro.
Um conto que eu escrevo dia a dia.
Deus nos chama de cartas vivas...
Mas considere comigo...
Ontem (não importa que dia você esteja lendo este post), milhares de pessoas saíram de casa ao redor do mundo, e falaram para seus queridos: "até a noite" e não mais voltaram.
Alguns tinham planos de aposentadoria sensacionais.
Garantidos até o fim da vida.
Tinham quitado suas dívidas, financiamentos de casa própria, carros...
Outros tinham data de casamento marcada.
Tudo pronto. Tudo pago.
Outros, tinham viagens compradas para o feriado.
Final de semana.
Férias.
Alguns, às portas de verem seus filhos nascerem.
Sonhos.
Planos.
Ideais...
Que nunca mais serão concluídos.
A morte chegou.
Passaram para o outro lado da existência.
(Se você tem questões sobre a morte, neste BLOG, aqui à direita, descendo ao página tenho um powerpoint que você pode baixar gratuitamente, em que falo sobre a questão da morte em uma perspectiva bíblica).
Mas voltanto à sábia pergunta de meu querido amigo...
Em que observar os sinais dos últimos dias afeta minha vida?
Afeta no fato de que nenhum de nós sabe quando vai morrer, e, portanto, não se prepara para este dia... e são pegos de surpresa.
Muitos nem mesmo conseguem arrumar sua casa, seus documentos...
Nem mesmo conseguem se preparar para se encontrarem com Deus!
Eu, por outro lado, por ter a compreensão do tempo em que vivemos, posso me preparar dia a dia.
Cada dia que passa, percebo que estou mais perto de me encontrar com o meu Criador.
Cada dia que passa, percebo o quanto sou pecador e preciso rever minha vida, para poder estar diante dEle, talvez hoje.
Cada dia que passa, posso me decidir por buscar agradar mais a Deus.
Cada dia que passa, procuro ser alguém melhor, que pode apontar para as pessoas o Caminho da salvação.
Cada dia que passa, percebo o quanto sou passageiro, o quanto minha vida é frágil.
Cada dia que passa, percebo o quanto a Palavra de Deus é Rocha, Sol, Escudo, Proteção.
A Verdadeira proteção.
Muitos até mesmo se sentem desconfortáveis com o que escrevo aqui, e pensam que eu quero atrapalhar suas vidas, seus sonhos, seus planos... por que não percebem que eles próprios não garantem suas vidas.
Se cada um de nós considerasse que a vida é breve, viveríamos de outra forma.
Viveríamos melhor.
Não perderíamos tempo com discussões estúpidas, com sentimentos ruins em relação ao próximo.
Perdoaríamos mais.
Gastaríamos mais tempo para estar perto de Deus.
Decidiríamos encerrar relacionamentos que não servem
(... sobre relacionamentos e a Bíblia, veja meu outro BLOG, que assino com minha esposa, o Vinho Novo... hoje falando sobre Sexo e a Bíblia...) e fugiríamos de atitudes pecaminosas.
Assim, ao perguntar hoje "Quem somos nós?" meu real desejo, de coração, é que você traga para o pessoal.
E pergunte para você mesmo:
- Quem sou eu?
Não... você não é eterno.
Não, você não vai alcançar todos os seus planos...
Sim, você precisa pensar na sua eternidade.
Se não for por achar que vai morrer, que seja por observar que o mundo está entrando em um tempo final.
Pois isso permite que você planeje a sua busca pelo Pai.
É melhor fazer isso, do que, tendo conquistado muito nesta vida, ouça a terrível frase de Jesus:
Lucas 12:20 Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?
Hoje é o tempo aceitável.
Hoje é o Dia da Salvação.
Leia a Bíblia.
Conheça Jesus.
Veja os Sinais...

SHALOM!

Haroldo Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário