domingo, 27 de março de 2011

UMA PARÁBOLA SOBRE O FIM...

Finalmente chegou o dia!
Multidões de fãs, seguidores, e enfim, adoradores, estavam esperando aquela data tão especial.
Ao entrarem no local especial reservado para aquele Evento Verdadeiro Internacional, ficaram impactados.
Tudo era muito mais lindo do que se esperava.
Absolutamente indescritível.
No centro do palco, um cenário magnífico, com um Grande Trono posto no centro do palco, e o Grande Produtor daquele evento estava ali sentado...
Aguardando as participações especiais dos protagonistas secundários, de todos os que faziam parte das músicas, e claro, do grande coral.
Além de todos os convidados que tinham adquirido seus ingressos de acesso.
Além destes, claro, o Protagonista Principal, esperava o momento de Sua aparição espetacular e triunfante.
A decoração era luxuosa e suntuosa.
Gloriosa.
Mas ao mesmo tempo apresentava detalhes tão precisos em seus acabamentos que demonstrava uma sabedoria superior.
Incompreensível.
Surpreendia e impactava até os críticos de mais bom gosto que puderam entrar neste local.
Nunca se usou de tanta riqueza, glória, efeitos e demonstrações de um Poder sem comparações, além de toda a sorte de utensílios preciosos para um evento, deixando claro para todos que este é um Evento Único, sem a menor base para comparações com nada que já aconteceu antes.
Inesquecível.
Eterno.
Em torno do palco havia 24 assentos especiais, para convidados importantes.
Como todos sabiam, ninguém poderia ir ao evento para estar naqueles lugares, se não estivesse completamente vestido de branco, vestes especiais que foram compradas especialmente para aquele dia.
Aliás, vestes caríssimas.
Compradas por alto preço.
E nem entraria sem ter o convite adequado para estar em tal lugar.
Os efeitos especiais que iam se desenrolando no palco principal, eram impressionantes.
O que pareciam ser relâmpagos e trovões saindo daquele trono eram tão tremendos, que vozes de espanto e de apreciação se misturavam aos sons que vinham do palco.
Diante do trono, o que parecia com Sete Lâmpadas de fogo iluminava plenamente o local, causando um tremendo impacto em todos pela beleza indescritível de Sua luz...
Luz transbordante.
Que ia além dos limites do local do Evento Verdadeiro.
Todo o ambiente do palco tinha um piso que parecia um gigantesco mar de vidro, limpo, puro e brilhante como cristal.
Mais a frente, ao redor do trono, quatro protagonistas especiais, com aparência tão diferente, impactavam todos os presentes.
Tinham como que quatro rostos e, aparentemente, pairavam ao redor daquele Trono, enquanto davam início ao repertório musical daquele evento, tão tremendo.
E não paravam mais de cantar.
As músicas eram sobre Aquele que estava no meio do palco, e também faziam referência a quem Ele era.
Parecia que o tempo parava.
Na verdade, nem existia.
Cada vez mais.
Todos os presentes perderam a noção de quanto tempo passavam naquele lugar tão impressionante.
Nunca tinham visto, ouvido, nem imaginado em seu coração, nada que pudessem comparar com o que estavam experimentando naquele ambiente tão tremendo.
Quando esta música tomava conta de todo o lugar, aqueles que estavam nos 24 lugares especiais demonstravam de forma clara, o quão tremendo era estarem naqueles lugares.
A busca por demonstrarem a apreciação por fazerem parte, era perceptivelmente insuficiente para que se sentissem saciados em seu desejo de manifestarem seu reconhecimento por poderem fazer parte daquele Evento.
Faltavam palavras.
Faltavam gestos.
Faltavam expressões corporais.
Nada era suficiente, nem adequado.
Nada tinha valor.
Tudo o que tinham e que podiam retirar de si, e lançar aos pés Daquele que estava assentado no Trono, faziam.
Cantavam, aplaudiam, e diziam que só Ele era Digno de todo reconhecimento e honra.
E glória e poder.
Que nunca imaginaram como seria estar em um Evento parecido.
Que nada do que viveram antes era comparável a toda aquela experiência emocional, sensorial, e por que não dizer, espiritual, que estavam vivenciando naquele Dia.
Naquele momento, o Principal Protagonista entra no ambiente.
Aquele que estava sentado no Trono, e que preparou tudo para que O Protagonista se manifestasse e se posicionasse, demonstrou toda a Sua alegria e prazer.
O Produtor era, na verdade, Seu Pai.
O Protagonista era, na verdade, Seu próprio Filho.
Todos estes preparativos foram feitos ao longo de muito tempo, para que este Dia, este momento, este Evento, tivesse lugar.
Sua vestimenta era indescritível.
Impossível usar palavras para descrever Sua aparência.
Ele apresentou diante de todos um grande Livro, que recebeu das mãos dAquele que estava assentado no Trono.
Neste momento, aqueles que estavam assentados naqueles lugares especiais, surpreenderam a todos, ao se levantarem para uma participação musical especial.
Tocavam harpas, e cantavam uma música completamente nova.
Aliás, este evento apresentou vários lançamentos preparados exclusivamente para este Dia.
Músicas que nunca tinham sido nem cantadas nem apresentadas em lugar algum.
Toda a audiência perdeu o fôlego diante da beleza destas músicas que falavam sobre o Protagonista do evento.
Além disso, eles trouxeram consigo mensagens de milhões de pessoas, de diversos lugares da terra, para O que estava no centro do palco, e que tinha uma roupa indescritível.
Pareceria um Cordeiro?
Ou seria um Leão?
Os seus olhos eram como chama de fogo e sobre a sua cabeça havia muitos diademas.
Tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo.
Estava usando um manto que parecia ter sido salpicado de sangue.
Seu Nome, pelo qual se chama, é o Verbo de Deus.
Da sua boca parecia sair uma espada afiada.
Ele confirmava ter autoridade suficiente para governar sobre tudo e sobre todos.
No manto, sobre a sua coxa está escrito: Rei dos reis e Senhor dos senhores.
Enquanto estes cantavam este cântico novo, um coral de milhares de vozes se posicionou ao redor do Trono no centro do palco.
Anjos.
Não era possível contar o número de participantes daquele coral, tamanha sua beleza, tamanha a quantidade de participantes.
E, principalmente, por que a emoção que envolvia aquele ambiente tão especial fazia com que isso não fosse mais possível.
Aquele cântico, aquele movimento e todos aqueles seres engrandeciam o Protagonista Principal, que estava em pé no centro do palco.
A repercussão daquele momento foi tão tremenda, que transbordou para todos os lugares possíveis.
A platéia era composta de uma multidão absolutamente impossível de ser contada por qualquer ser humano.
Somente a organização do Evento tinha este número preciso.
Conforme todos sabiam, para estar naquele Evento tinham que estar vestidos com roupas especiais, compradas, aliás, por um preço caríssimo.
Roupas brancas.
Todos estes também cantavam, e as músicas que cantavam misturavam-se com aquelas que eram cantadas a partir do palco.
De tão impactante que foi aquele momento, muitos se lançavam ao chão no palco, na direção do Trono dAquele que estava assentado.
Declaravam palavras de gratidão por estarem ali, e procuravam expressar toda sua alegria em poderem participar de um momento como aquele, que apenas Ele, o Grande e Sábio Produtor das maiores belezas que existem, poderia criar e promover.
Mas as palavras se tornaram insignificantes.
Faltavam expressões adequadas em quaisquer dos idiomas originais falados naquele Evento.
Que continuou dias e noites sem parar.
Na verdade, como já disse, o tempo perdeu a sua razão de ser.
Ninguém mais conseguia se preocupar com isso.
Nada mais fazia qualquer diferença, a não ser estar ali.
Os que chegaram por último no Evento, contaram que passaram bastante aperto até poderem entrar.
Chegaram a passar fome, sede, e calor, pois perderam o primeiro momento quando as portas foram abertas...
Os últimos que conseguiram adentrar perceberam que nada era comparável ao que estavam presenciando.
Contaram sobre muitos que estavam do lado de fora, se lamentando por terem perdido o prazo para adquirir o ingresso de entrada.
Deixaram para a última hora, por acreditarem que sempre haveria tempo...
Outros pensaram que poderia haver uma outra apresentação, ou que poderiam encontrar ingressos com os cambistas...
Mas descobriram tarde demais, que o Evento era Único
E também que os que vendiam ingressos naquele momento, tinham apenas bilhetes falsos.
De tamanha luz que envolvia todo o ambiente do Evento, por tamanho contraste que esta luz produzia, eles estavam agora lançados nas trevas exteriores.
Chorando e se lamentando por não poderem mais participar daquele momento único.
Estes que entraram por último também disseram que do lado de fora já havia muita falsificação há algum tempo.
Ingressos falsos, e cópias piratas de eventos de imitação estavam sendo vendidos como autênticos.
Além de informações indicando endereços errados, o que fazia com que as pessoas que deixaram para a última hora perdessem muito tempo tentando achar o endereço correto.
Além disso, muitos outros palcos falsos, com efeitos artificiais e músicas até que razoavelmente bonitas, e que faziam muito sucesso entre todos os habitantes da terra, tinham sido montados em diversos lugares, por muito tempo até aquele dia.
Alguns eram até bem parecidos com o Evento Verdadeiro.
Muitas pessoas também estavam usando branco.
Mas era um branco encardido.
Claramente artificial.
E o tecido de muito pior qualidade.
Na verdade, era o mesmo que muitos usavam em festas de final de ano, e outras celebrações.
Outros usavam roupas de times de futebol, de personagens de filmes de Hollywood, de personagens de novelas de televisão.
Outros imitavam celebridades bastante cultas e influentes.
Outros, roupas de carnaval.
Era bastante difícil entender como tantas coisas pudessem estar misturadas em um local assim...
Principalmente, misturadas com alguns dos que tinham sido convidados para o Evento Verdadeiro.
Os nomes dos protagonistas dos eventos eram até parecidos com os do Evento Verdadeiro, mas a maioria eram pessoas bastante conhecidas de todos.
Na verdade, alguns eram chamados de ídolos.
Alguns dos organizadores destes eventos diziam, inclusive, que conheciam o Grande Produtor, e que no fim, todos os espetáculos seriam integrados com o Evento Verdadeiro.
Seria na verdade uma grande série de eventos, e que todos eram parte de um mesmo.
Aliás, por serem eventos tão bons em relação ao que todos estavam acostumados a presenciar ali, do lado de fora, muitos foram enganados e pararam para participarem por um certo tempo, mas acabaram ficando mais tempo do que deviam
Perderam muito tempo enquanto seguiam pelo caminho que levava ao local do Evento Verdadeiro.
E nunca chegaram...
Desperdiçaram todo o tempo disponível, por que ficaram entretidos nestes eventos falsos e de imitação.
Quase que enfeitiçados.
Alguns casaram, outros compraram carros novos, e outros não conseguiram sair de suas casas, por que tinham compromissos familiares.
Suas reservas de ingresso ficaram em cima do criado mudo.
Empoeiradas.
Alguns dos que entraram nestes shows falsos, e que estavam no caminho do Evento Verdadeiro, ao verem que tinha um trono no centro do palco, até acreditaram que não tinha ninguém assentado neste lugar, e que, portanto, na verdade, estavam apenas participando de um evento musical comum.
Igual a todos que sempre viram.
Com músicas que, na verdade, sempre lhes foram muito familiares.
Faziam parte de suas vidas, de seus momentos românticos, de situações inesquecíveis que viveram.
E que além de tudo, era muito bonito, e também muito popular.
Não parecia ter nada de mal, segundo o que podiam entender.
E, afinal, vários de seus amigos estavam ali...
Inclusive alguns que diziam ter decidido não serem religiosos.
Consideraram, também, que ainda faltava muito tempo para o Evento Verdadeiro, e que também poderiam se divertir e distrair um pouco até a hora do Evento Verdadeiro.
Afinal, não fazia mal algum.
Outros dos que entraram para participar destes eventos falsos, acharam que o que estava assentado naquele trono que conheciam, era, na verdade, o Grande Produtor do Evento Verdadeiro, que, por ser Onipresente, estaria ali também.
E que Ele achava normal que eles estivessem nestes eventos, por fazer parte do caminho que levava ao Evento Verdadeiro...
Afinal, todos os caminhos levavam ao Evento Verdadeiro.
Infelizmente todos perceberam a verdade apenas no momento em que as luzes que iluminavam o Evento Verdadeiro, transbordaram do lugar Central, e iluminaram até os palcos destes eventos falsos...
E naquele momento, apenas naquele momento, todas as multidões que estavam entretidas até então, perceberam que tinham sido enganadas, mas que, agora, não havia mais tempo para chegarem no Evento Verdadeiro.
Mesmo aqueles que tinham sido convidados anteriormente.
Mesmo aqueles que já tinham até reservado seus ingressos para uma confirmação no último momento...
A porta estava fechada e não havia mais ingressos.
Infelizmente, agora era tarde demais...

Haroldo Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário