terça-feira, 20 de abril de 2010

RENÚNCIA?


Confesso que tive em meu coração a preocupação de que alguns de vocês possam ficar um tanto desapontados comigo pelo conteúdo deste post. 
Afinal, este é um blog que pretende fundamentar todas as suas opiniões na Bíblia.
Mas também, se você tem acompanhado o que tenho escrito por aqui, já percebeu que quero acompanhar tudo (ah, se isso fosse possível...) o que acontece no mundo que, de alguma maneira, combina com os cumprimentos proféticos previstos na Palavra de Deus, que é INERRANTE!
A profecia Bíblica é INERRANTE!
Apenas e tão somente ela, a Bíblia, e quero deixar isso ABSOLUTAMENTE CLARO!
Entretanto, hoje vou tratar de um assunto, que, embora não bíblico, joga mais ¨lenha na fogueira¨ do cenário profético que, parece, aglomera muitos fatos ao mesmo tempo. 
E todos eles, nos próximos poucos anos adiante de nós.
Mas vamos ao tema de hoje.
São Malaquias!
Nascido em 1094, e ordenado padre em 1119.
Se quiser, dê uma olhada neste site, um dos que pesquisei, que tem um resumo acerca de sua vida...
Em 1139 ele começou a ter visões, as quais ele registrou por escrito, até 1140... e aqui não me cabe avaliar se foram de Deus ou não. O que é muito interessante é o fato de que ele profetizou acerca de todos os papas da igreja católica. 
E, sobre cada um ele dava alguma característica pessoal, ou de seu papado. 
E os limitou a 112.
E, mais interessante ainda, é que acertou muito. 
Agora, o principal. 
Segundo suas profecias, o atual papa, Bento XVI é o penúltimo da história.
Seu número? 
111!
Portanto, ao observarmos o atual papa enfrentando tanta oposição, e acusações... sendo inclusive pressionado a considerar uma hipótese de renúncia, passa a ser um assunto de interesse deste blog.
O último papa a renunciar, Celestino 5o. o fez há 700 anos aproximadamente. 
A renúncia papal está prevista na lei canônica, em seu cânone 332, parágrafo 2. Esta lei permite ao papa renunciar, quando desejar, sem pedir permissão a ninguém. 
Apenas fruto de seu coração, desejo, ou consciência.
Mas claro está que, em condições normais, um papa não renuncia... 
O ponto mais importante da convergência de interesses deste tema com o meu blog, é uma interessante coincidência na profecia de São Malaquias acerca do próximo papa. 
Que virá a seguir, caso Bento XVI renuncie, ou, como todos os seus antecessores, morra.
O papa que vier a suceder Bento XVI é alvo da seguinte profecia:
¨Seu nome será Pedro, o Romano. Ele irá cuidar do rebanho através de muitas tribulações, ao fim das quais a cidade das sete colinas será destruída, e um tremendo Juíz irá julgar seu povo. Fim...¨
Assim se concluiria a história de Roma.
Um suposto primeiro papa, Pedro. 
Um suposto último papa, Pedro.
Será que você entende agora, por que decidi publicar um conteúdo assim tão diferente?
Claro está que não levo em consideração uma profecia não bíblica para fins proféticos...
Posso buscar andar no limite, mas não sou herege. 
Por favor...
Mas, para quem entende as entrelinhas do que falo aqui neste meu espaço, o fim de um papado e início de outro é um fato controlável por pessoas. 
E neste contexto, um suposto último papa não pode ser desprezado por quem entende o que está acontecendo em nossos dias. Ainda mais com estes números.
Segue o quadro inteiro com as tais profecias, apenas para seu conhecimento. 
Perdoem-me, mas está em inglês...
The Prophecies
Pope No.
Name (Reign)
Motto No.
Motto (and explanation)
167
Celestine II (1143-1144)
1
Ex castro Tyberis
(from a castle on the Tiber)
Hist.: Celestin II was born in Citta di Castello, Toscany, on the shores of the Tiber
168
Lucius II (1144-1145)
2
Inimicus expulsus
169
Eugene III (1145-1153)
3
Ex magnitudine montis
(Of the greatness of the mount)
Hist.: Born in the castle of Grammont (latin: mons magnus), his family name was Montemagno
170
Anastasius IV (1153-1154)
4
Abbas Suburranus
171
Adrian IV (1154-1159)
5
De rure albo
(field of Albe)
Hist.: Born in the town of Saint-Alban
Antipope
Victor IV (1159-1164)
6
Ex tetro carcere
Antipope
Paschal III (1164-1168)
7
Via trans-Tyberina
Antipope
Calistus III (1168-1178)
8
De Pannonia Tusciæ
172
Alexander III (1159-1181)
9
Ex ansere custode
173
Lucius III (1181-1185)
10
Lux in ostio
174
Urban III (1185-1187)
11
Sus in cribo
175
Gregory VIII (1187)
12
Ensis Laurentii
176
Clement III (1187-1191)
13
De schola exiet
177
Celestine III (1191-1198)
14
De rure bovensi
178
Innocent III (1198-1216)
15
Comes signatus
(signed Count)
Hist.: descendant of the noble Signy, later called Segni family
179
Honorius III (1216-1227)
16
Canonicus de latere
180
Gregory IX (1227-1241)
17
Avis Ostiensis
(Bird of Ostia)
Hist.: before his election he was Cardinal of Ostia
181
Celestine IV (1241)
18
Leo Sabinus
182
Innocent IV (1243-1254)
19
Comes Laurentius
183
Alexander IV (1254-1261)
20
Signum Ostiense
184
Urban IV (1261-1264)
21
Hierusalem Campaniæ
(Jerusalem of Champagne)
Hist.: native of Troyes, Champagne, later patriarch of Jerusalem
185
Clement IV (1265-1268)
22
Draca depressus
186
Gregory X (1271-1276)
23
Anguinus vir
187
Innocent V (1276)
24
Concionatur Gallus
188
Adrian V (1276)
25
Bonus Comes
189
John XXI (1276-1277)
26
Piscator Tuscus
190
Nicholas III (1277-1280)
27
Rosa composita
191
Martin IV (1281-1285)
28
Ex teloneo liliacei Martini
192
Honorius IV (1285-1287)
29
Ex rosa leonina
193
Nicholas IV (1288-1292)
30
Picus inter escas
194
Nicholas IV (1288-1292)
31
Ex eremo celsus
(elevated from a hermit)
Hist.: prior to his election he was a hermit in the monastery of Pouilles
195
Boniface VIII (1294-1303)
32
Ex undarum benedictione
196
Benedict XI (1303-1304)
33
Concionator patereus
197
Clement V (1305-1314)
34
De fessis Aquitanicis
(ribbon of Aquitaine)
Hist.: was archbishop of Bordeaux in Aquitaine
198
John XXII (1316-1334)
35
De sutore osseo
(of the cobbler of Osseo)
Hist.: Family name Ossa, son of a shoe-maker
Antipope
Nicholas V (1328-1330)
36
Corvus schismaticus
(the schismatic crow)
Note the reference to the schism, the only antipope at this period
199
Benedict XII (1334-1342)
37
Frigidus Abbas
(cold friar)
Hist.: he was a priest in the monastery of Frontfroid (coldfront)
200
Clement VI (1342-1352)
38
De rosa Attrebatensi
201
Innocent VI (1352-1362)
39
De montibus Pammachii
202
Urban V (1362-1370)
40
Gallus Vice-comes
203
Gregory XI (1370-1378)
41
Novus de Virgine forti
(novel of the virgin fort)
Hist.: count of Beaufort, later Cardinal of Ste-Marie La Neuve
Antipope
Clement VII (1378-1394)
42
De cruce Apostilica
Antipope
Benedict XIII (1394-1423)
43
Luna Cosmedina
Antipope
Clement VIII (1423-1429)
44
Schisma Barcinonicum
204
Urban VI (1378-1389)
45
De Inferno pregnani(From the hell of Pregnani)
Hist.: He was a town called Inferno in the region of Pregnani.
205
Boniface IX (1389-1404)
46
Cubus de mixtione
206
Innocent VII (1404-1406)
47
De meliore sydere
207
Gregory XII (1406-1415)
48
Nauta de ponte nigro
Antipope
Alexander V (1409-1410)
49
Flagellum Solis
Antipope
John XXIII (1410-1415)
50
Cervus Sirenæ
208
Martin V (1417-1431)
51
Corona veli aurei
209
Eugene IV (1431-1447)
52
Lupa cælestina
Antipope
Felix V (1439-1449)
53
Amator crucis
210
Nicholas V (1447-1455)
54
De modicitate lunæ
211
Callistus III (1455-1458)
55
Bos pascens
(grazing ox)
Hist.: Alphonse Borgia's arms sported a golden grazing ox
212
Pius II (1458-1464)
56
De capra et Albergo
213
Paul II (1464-1471)
57
De cervo et Leone
214
Sixtus IV (1471-1484)
58
Piscator Minorita
215
Innocent VIII (1484-1492)
59
Præcursor Siciliæ
216
Alexander VI (1492-1503)
60
Bos Albanus in portu
217
Pius III (1503)
61
De parvo homine
218
Julius II (1503-1513)
62
Fructus jovis juvabit
219
Leo X (1513-1521)
63
De craticula Politiana
220
Adrian VI (1522-1523)
64
Leo Florentius
221
Clement VII (1523-1534)
65
Flos pilæi ægri
222
Paul III (1534-1549)
66
Hiacynthus medicorum
223
Julius III (1550-1555)
67
De corona Montana
224
Marcellus II (1555)
68
Frumentum floccidum
225
Paul IV (1555-1559)
69
De fide Petri
226
Pius IV (1559-1565)
70
Æsculapii pharmacum
227
St. Pius V (1566-1572)
71
Angelus nemorosus
228
Gregory XIII (1572-1585)
72
Medium corpus pilarum
229
Sixtus V (1585-1590)
73
Axis in medietate signi
230
Urban VII (1590)
74
De rore cæli
231
Gregory XIV (1590-1591)
75
De antiquitate Urbis
232
Innocent IX (1591)
76
Pia civitas in bello
233
Clement VIII (1592-1605)
77
Crux Romulea
234
Leo XI (1605)
78
Undosus Vir
235
Paul V (1605-1621)
79
Gens perversa
236
Gregory XV (1621-1623)
80
In tribulatione pacis
237
Urban VIII (1623-1644)
81
Lilium et rosa
238
Innocent X (1644-1655)
82
Jucunditas crucis
239
Alexander VII (1655-1667)
83
Montium custos
240
Clement IX (1667-1669)
84
Sydus Olorum
(constellation of swans)
Hist.: upon his election, he was apparently the occupant of the Chamber of Swans in the Vatican.
241
Clement X (1670-1676)
85
De flumine magno
242
Innocent XI (1676-1689)
86
Bellua insatiabilis
243
Alexander VIII (1689-1691)
87
Pœnitentia gloriosa
244
Innocent XII (1691-1700)
88
Rastrum in porta
245
Clement XI (1700-1721)
89
Flores circumdati
246
Innocent XIII (1721-1724)
90
De bona Religione
247
Benedict XIII (1724-1730)
91
Miles in bello
248
Clement XII (1730-1740)
92
Columna excelsa
249
Benedict XIV (1740-1758)
93
Animal rurale
250
Clement XIII (1758-1769)
94
Rosa Umbriæ
251
Clement XIV (1769-1774)
95
Ursus velox
252
Pius VI (1775-1799)
96
Peregrinus Apostolicus
253
Pius VII (1800-1823)
97
Aquila rapax
254
Leo XII (1823-1829)
98
Canis et coluber
255
Pius VIII (1829-1830)
99
Vir religiosus
256
Gregory XVI (1831-1846)
100
De balneis hetruriæ
(bath of Etruria)
Hist.: prior to his election he was member of an order founded by Saint Romuald, at Balneo, in Etruria, present day Toscany.
257
Pius IX (1846-1878)
101
Crux de cruce
(Cross of Crosses)
Hist.:Pius XI was the last Pope to reign over the Papal States (the middle third of what is today Italy). He ended up being a prisoner of the Vatican, never venturing outside Vatican City. A much heavier burden than his predecessors.
258
Leo XIII (1878-1903)
102
Lumen in cælo(Light in the Heavens)
Hist.: Leo XIII wrote encyclicals on Catholic social teaching that were still being digested 100 years later. He added considerably to theology.
259
St. Pius X (1903-1914)
103
Ignis ardens
(ardent fire)
Hist.: The Pope had great personal piety and achieved a number of important reforms in the devotional and liturgical life of priests and laypeople.
260
Benedict XV (1914-1922)
104
Religio depopulata
(Religion laid waste)
Hist.: This Pope reigned during the Bolshevik Revolution in Russia which store the establishment of Communism.
261
Pius XI (1922-1939)
105
Fides intrepida
(Intrepid faith)
Hist.: This Pope stood up to Fascist and Communist forces lining up against him in the lead up to World War II.
262
Pius XII (1939-1958)
106
Pastor angelicus
(Angelic Shepherd)
Hist.: This Pope was very mystical, and is believed to have received visions. People would kneel when they received telephone calls from him. His encyclicals add enormously to the understanding of Catholic beliefs (even if they are now overlooked because of focus on the Second Vatican Council, which occurred so soon after his reign).
263
John XXIII (1958-1963)
107
Pastor et Nauta
(pastor and marine)
Hist.: prior to his election he was patriarch of Venice, a marine city, home of the gondolas
264
Paul VI (1963-1978)
108
Flos florum
(flower of flowers)
Hist.: his arms displayed three lilies.
265
John Paul I (1978)
109
De medietate Lunæ
(of the half of the moon)
Hist.: Albino Luciani, born in Canale d'Agardo, diocese of Belluno, (beautiful moon) Elected pope on August 26, his reign lasted about a month, from half a moon to the next half...
266
John Paul II (1978-2005)
110
De labore Solis
(of the eclipse of the sun, or from the labour of the sun)
Hist.: Karol Wojtyla was born on May 18, 1920 during a solar eclipse. He also comes from behind the former Iron Curtain (the East, where the Sun rises). He might also be seen to be the fruit of the intercession of the Woman Clothed with the Sun labouring in Revelation 12 (because of his devotion to the Virgin Mary). His Funeral occurred on 8 April, 2005 when there was a solar eclipse visible in the Americas.
267
Benedict XVI (2005-)
111
Gloria olivæ
The Benedictine order traditionally said this Pope would come from their order, since a branch of the Benedictine order is called the Olivetans. St Benedict is said to have prophesied that before the end of the world, a member of his order would be Pope and would triumphantly lead the Church in its fight against evil. While the Holy Father chose the name "Benedict", this does not seem enough to fulfil the prophecy. Nor is it clear how Benedict XVI (a Bavarian) is "Glory of the Olives". Since he is said to have remarked in the Conclave after saying he would take the name Benedict that it was partly to honour Benedict XV, a pope of peace and reconciliation, perhaps Benedict XVI will be a peacemaker in the Church or in the World, and thus carry the olive branch.



In persecutione extrema S.R.E. sedebit Petrus Romanus, qui pascet oves in multis tribulationibus: quibus transactis civitas septicollis diruetur, & Judex tremêdus judicabit populum suum. Finis.
(In extreme persecution, the seat of the Holy Roman
Church will be occupied by Peter the Roman, who will feed the sheep through many tribulations, at the term of which the city of seven hills will be destroyed, and the formidable Judge will judge his people. The End.)

Como digo sempre... Vejam os sinais!

SHALOM!

Haroldo Maranhão

7 comentários:

  1. Ah, meu irmão! Que pena que você pensa assim! Que pena que você nos tenha como seus inimigos!
    Que pena que você torce para o fim do berço de onde vocês saíram!

    Já que você gosta tanto de profecias bíblicas, aqui vai uma pra você: (Mt 16, 15 - 19)
    "Disse-lhes Jesus: E vós quem dizeis que eu sou? Simão Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo! Jesus então lhe disse: Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus. E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; AS PORTAS DO INFERNO NÃO PREVALECERÃO CONTRA ELA. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus."

    Estamos passando por um tempo difícil, mas nosso querido Papa, com a graça de Deus saberá lidar com tudo, sem renunciar. E o seu sucessor, não será o último, mas comoa maioria deles, um grande instrumento de Deus.

    Tomara que você em vez de esperar nosso fim, reze (ou ore) por nós, assim, como eu rezo por vocês!

    A Paz, meu querido irmão!

    Vinícius Pereira Siva

    ResponderExcluir
  2. Caro Vinícius,

    Lamento não ter sido claro em meu post.
    De forma alguma desejo o fim da Igreja Católica.
    De forma alguma me alegro com os momentos difíceis que o Papa tem passado.
    O meu assunto aqui, é final dos tempos, por que eles apontam para a Gloriosa Volta de Jesus, O Cristo, O Filho Unigênito de Deus. Volta esta que vai acabar com TODAS as igrejas, incluindo a minha própria.
    Ao publicar a profecia de São Malaquias, um padre canonizado pela Igreja Católica, tive a intenção de mostrar mais um indicador interessante apontando para os últimos dias.
    A profecia é de um Padre, não minha.
    Agradeço a oportunidade que seu comentário me dá, de poder esclarecer minha intenção, e agradeço pela sua atitude de enviar este comentário.
    Que Deus abençoe ricamente sua vida também, em Nome de Jesus.
    Quanto a mim, quero perseverar, atento a tudo o que acontece no mundo em nossos dias, vigiando e orando aguardando a Gloriosa volta de Jesus.

    MARANATA!

    SHALOM!

    Haroldo Maranhão

    ResponderExcluir
  3. Caro Irmão Haroldo!

    Desculpe me se não entendi seu post... é que é muito comum vermos evangélicos que só criticam a Igreja Católica, portanto, afastando do verdadeiro sentido evangélico!
    Que bom que você é diferente! É trabalhando juntos, apesar das diferenças, que consiguiremos de fato ser trabalhadores na construção do Reino de Deus, que já está aí.
    Embora não concorde com você em algumas questões teológicas, é muito bom ver que o diálogo entre cristãos é possível na serenidade!
    Agradeço a respost em mesma tranquilidade com a qual lhe escrevi, comportmento incomum em conversas deste assnto.
    Conte com minhas orações!

    Paz e Bem!

    Abraços!

    Vinícius Pereira Silva

    ResponderExcluir
  4. Vinicius
    O próprio Pedro jamais se referiu a si mesmo como sendo esta pedra, mas de forma clara e consistente, ele diz que esta pedra representa Cristo. Ele chega ao ponto de dizer que não há nenhum outro nome debaixo do céu, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos, a não ser através desta Pedra, rejeitada pelos homens (Atos 4:8-12; I Pedro 2:4-8).

    O nosso Senhor usou várias vezes este símbolo da pedra referindo-se a Si mesmo (Mat. 21:42; Lucas 20:17-18). Em outras partes da Bíblia encontramos diversas passagens que relacionam a pedra como um termo específico para Deus (Deut. 32:4; Salmos 18:2 e outros). Isaías 32:2, fala da grande Rocha em terra sedenta e da Pedra preciosa, angular, solidamente assentada (Is. 28:16). Em (I Cor. 10:4), Paulo diz que esta Pedra era Cristo (ver também II Samuel 22:32; Salmos 18:31). Jesus também se referiu a Pedra como sendo a Sua Palavra, a qual é o único alicerce seguro para o homem (Mateus 7:24-25), e que Ele é a Palavra Viva (João 1:1; Marcos 8:38; João 3:34; 6:63,68; 17:8).

    Paulo claramente afirma que Cristo é o único fundamento da Igreja (I Cor. 3:11). Pedro também diz que Cristo é o fundamento (a Rocha) sobre o qual construímos o templo espiritual como pedras vivas, ou tijolos, (ver Efésios 2:21; I Pedro 2:4-8). Quando Pedro fez sua declaração de fé, o fez em nome de todos os demais discípulos, pois a pergunta havia sido feita para o grupo. Nenhum dos discípulos jamais entendeu que Jesus estava concedendo a Pedro uma distinção especial entre eles. Tanto é que continuavam discutindo sobre quem seria o maioral entre eles. Caso Jesus tivesse dado a Pedro uma posição de liderança não haveria mais motivo para tanta discussão.
    Como então se deve interpretar esta passagem? Na língua grega existem dois termos para pedra: 1º – “petra” que significa uma enorme massa de rocha, a qual além de ser grande, é fixa ou imovível; 2º – “petros” que significa uma pequena pedra, ou um pedregulho.

    Assim podemos dizer que Cristo se dirigiu a Pedro desta forma: Tu és “petros” (pedregulho) e sobre esta “petra” (rocha, se referindo a Si mesmo), construirei a minha Igreja. Na parábola registrada em Mateus 7:24-27, Cristo diz que o homem sábio constrói sua casa sobre a Rocha, e que qualquer edifício construído sobre “Pedro”, ou sobre um homem falho como este discípulo, era mesma coisa que construir sua casa sobre a areia.
    Cristo é o único fundamento da Igreja (I Cor. 3:11).

    ResponderExcluir