Postagens Recentes

sábado, 17 de janeiro de 2015

A ÚLTIMA GERAÇÃO E O ANO DE 2017


Quando eu penso acerca dos cenários bíblicos e proféticos considerando alguns pontos de numerologia bíblica, reconheço, sou de certa forma, tendencioso...
Explico!
Há um interessante texto em Apocalipse 9:15, em que lemos acerca de quatro anjos terríveis do tempo do Juízo:
“Foram, então, soltos os quatro anjos que se achavam preparados para a hora, o dia, o mês e o ano, para que matassem a terça parte dos homens.
Considero esta referência muito interessante, pois posso pensar, por inferência, que quando Jesus diz que “ninguém sabe o dia nem a hora” da Sua vinda, eventualmente eu posso crer que Ele nos deixa exercitar o pensamento que, em algum momento, poderemos saber o ano... depois o mês... e talvez, mais perto, o dia e a hora...
Ou não? Será?
Bom, sei que é controversa esta matéria...
Mas eu tendo a pensar que saberemos sim, muitas coisas sobre este contexto tão importante e excitante sobre nosso futuro, como creio que somos chamados a fazer, como já escrevi aqui...
Voltando ao texto de hoje, quero convidar você a me acompanhar em um exercício diferente...
Entendendo que existem determinados ciclos de anos no contexto bíblico que marcam gerações, quero hoje aplicar determinados ciclos a determinados eventos e datas, para que possamos pensar em um período futuro bastante interessante e próximo...
O específico ano de 2017, ou ainda, o biênio 2017/2018!
Calma!
Não, minha idéia não é marcar datas...
Afinal, se você acompanha este Blog há mais tempo, sabe disso, que é um ponto fundamental do que escrevo...
Não marco datas para fim do mundo nem para arrebatamento.
Mas, sim, proponho que temos tido cada vez mais, períodos e eventos a serem observados...
Com muito cuidado!
Como fiz, por exemplo, com respeito a este biênio em que vivemos: 2014/2015...
Escrevi sobre isso aqui, por conta da ocorrência desta assim denominada (controversa e interessante!) TETRAD...
Não estou dizendo que algo vá acontecer necessariamente agora em 2015, mas sim, que poderiam ser desencadeadas circunstâncias proféticas a partir destes eventos.
Mas não posso dizer que este ano de 2015 acabará sem que nada importante e profético aconteça...
Creio que já temos coisas acontecendo, mas traterei disso em outro post mais a frente...
Se você não sabe nada sobre TETRADs, recomendo que leia o meu post no link acima...
Além da TETRAD tenho outro tema que acompanho há algum tempo, que é a interessante questão Rabino messiânico Jonathan Cahn.
Se você fala inglês recomendo dar um “search” no Google, e você vai encontrar sua tese.
Muitos o criticam, sim, sua tese para muitos é controversa, mas para mim, é, digamos, “interessante”!
Li seu livro The Harbingerainda sem tradução para o português, em que ele trata do conceito dos assim chamados anos sabáticos (shemittah years), que são ciclos bíblicos importantes, pois marcam períodos sete anos para ocorrer ou marcar um tempo de Juízo de Deus, repetidos e agravados, ciclo a ciclo, quando não há arrependimento para que este Juízo possa ser interrompido.
Resumidamente, segundo sua tese, isso está em curso com os Estados Unidos, considerados por ele como um Israel por figura, contemporâneo e profético, o que faz algum sentido para quem lê nas entrelinhas do papel norte americano no mundo em diversas formas, e principalmente, quanto ao Evangelho.
Ele inicia sua análise, considerando que “eventualmente” o ano de 2001 foi um ano de juízo do Senhor sobre os Estados Unidos. Isso ficaria marcado no que diz respeito a seu efeito sobre a economia americana “pós 11 de setembro”, quando houve uma importante queda econômica, no exato dia 29 de Elul, que em 2001 (5761 no calendário judeu) caiu em 17 de setembro de 2001, exatos seis dias após o fatídico 11 de setembro. Este dia de Elul 29 é o marcador deste tipo de ciclo!
Neste dia, naquele ano, tivemos aquela expectativa de reabertura da Bolsa, fechada desde o atentado. O dólar teve uma de suas maiores quedas desde a grande depressão, como uma consequência óbvia daquele terrível atentado terrorista. Foi uma queda econômica terrível para um só dia. Mas Cahn considera este evento como um sinal deste início de ciclo!
Tudo isso passaria despercebido, não fosse o fato de que algo terrível economicamente se repetiu no exato dia 29 de Elul de 5768, naquele ano esta data em nosso calendário 29 de setembro de 2008, quando no mesmo exato dia, tivemos a queda histórica da Dow Jones de 777 pontos, a maior da história, a bolha imobiliária estourou, e tivemos um grande efeito na economia global.
Curiosamente, este texto do G1 faz referência, inclusive à data anterior de 17 de setembro de 2001.
O mundo todo foi afetado, e, se você tem idade para ter acompanhado, vai lembrar que os mercados entraram em pânico, e os Estados Unidos passaram por um tempo muito difícil. Bancos importantes quebraram, empresas históricas balançaram, e o governo teve que despejar muito dinheiro para segurar a economia. Sobreviveram, e prosseguiram...
Se esta tese de Cahnn está correta, será que neste ano, um novo ano sabático, sete anos mais tarde, no dia 29 de Elul de 5775 teremos algo?
Em nosso calendário, apenas para você acompanhar, será no dia 13 de setembro deste ano de 2015. Outro fato importante é que neste exato dia 13 de setembro teremos um eclipse parcial do sol, e será exatamente dia de Yom Teruah, justamente em meio a ocorrência da TETRAD como publiquei.
E que será sucedido pelo último eclipse da lua na Festa dos Tabernáculos em 28 de Setembro de 2015, no último dia da TETRAD.
SE alguma coisa realmente acontecer ao longo deste ano de 2015, como mudanças econômicas globais que afetem a política das nações, que gerem algum tipo de unificação de mercados, troca de moedas e acordos multinacionais... enfim, SE algo desta monta acontecer, será que desembocaria em algo relevante nos anos 2017/2018?
E porque penso tanto em 2017/2018? (Aliás, 2017 em Israel será o emblemático ano de 5777).
Se sim, algo acontecer nos próximos meses, saberíamos eventualmente, algum ano e o mês, mas ainda sem sabermos o dia nem a hora?
Não estou dizendo isso.
Estou apenas reunindo muitas informações interessantes para nossa observação, para fazer o que fomos chamados por Jesus a fazer.
Vigiar!
Deixe-me agora aprofundar o que quero propor para nossa reflexão hoje...
Quero apresentar os ciclos de tempo que proponho avaliar em relação a 2017/18.
Se você ler este post que publiquei há algum tempo, verá que, para mim, o ano de 1947 quando a Figueira (Israel) floresceu é bastante importante, principalmente porque segundo muitos estudiosos, com os quais eu tenho que concordar, desencadeia certo “marcador de tempo” para que uma geração seja considerada como a que “não pode passar sem que TUDO aconteça”.
Assim, alguns ciclos de tempo são importantes para marcarmos! E fazermos contas...
Por exemplo, não sei se você sabe quando começou o movimento sionista, que veio a contribuir de maneira decisiva para o retorno de Israel a sua terra: O primeiro Congresso Sionista oficialaconteceu na Basileia, Suíça, em 29 de agosto de 1897.
Não sei se você sabe, mas a assim denominada declaração Balfourd, documento que trouxe o sionismo ao cenário com poder de “fazer algo mais acontecer” para Israel voltar para sua terra, é uma carta datada de 2 de novembro de 1917.
Não sei se você lembra, mas Israel voltou a existir como nação. O processo se iniciou em de 29 de Novembro de 1947, em votação na ONU, presidida pelo brasileiro Oswaldo Aranha, e concluído em 1948...
Não sei se você lembra, mas Israel reconquistou Jerusalém na “Guerra dos Seis Dias”, em outubro de 1967, homologada sua conquista em 1968.
Porque tudo isso é importante? Porque referencio todas estas datas? Por que como apontei no post mais acima, Israel é o relógio profético de Deus. Tudo o que acontece por lá desde que voltou a existir é muito importante para avaliarmos o tempo em que vivemos e quanto tempo temos!
Mas após apontar todas estas datas, quero convidar você para que eu possa propor neste post uma “especulação gospel”, ou ainda um “exercício matemático curioso” com ciclos de tempos bíblicos...
O ciclo de 120 anos foi o tempo que Deus estabeleceu como prazo limite de vida para uma geração pré-diluviana. As pessoas daquela época, como você poderá constatar se ler os textos de genealogias viviam centenas de anos. Matusalém viveu 969 anos... Quando Deus decidiu fazer uma intervenção por conta do pecado, e destruir o mundo p elo dilúvio, ele reduziu a vida a 120 anos, conforme você pode ver em Gênesis 6:3. Interessante, esta mudança foi estabelecida no período de tempo batizado por Jesus como “dias de Noé”, que são considerados por Jesus, por figura, os dias do fim. Mais interessante ainda, este limite de 120 anos é discutido nas comunidadescientíficas nos dias de hoje...
O ciclo de 100 anos pode também definir uma geraçã ocompleta, pois quando Deus celebrou sua aliança com Abraão em Gênesis 15:13 e 16, Ele lhe disse que a sua semente (O povo Hebreu) estaria em cadeias no Egito por 400 anos, mas na 4ª geração, seriam libertados. Isso faz com que uma geração bíblica também possa ser considerada como um período de aproximadamenteo 100 anos.
O ciclo de 70 anos também define uma geração ou ciclo de tempo! Afinal, Israel esteve no cativeiro Babilônico por 70 anos e Moisés no Salmo 90:10 nos lembra que os dias da vida natural de um homem são 70 anos, e quando muito 80 anos. Portanto, a geração de um homem também pode ser considerada biblicamente como de 70 anos.
O ciclo de 50 anos marca o importante período de anos conhecido como Jubileu! Um Jubileu marca o tempo de uma libertação de Dívidas para uma geração. A cada 50º ano em Israel ocorria nos tempos bíblicos o assim chamado “Ano do Jubileu”, quando a terra deveria ser restituída ao seu dono original! Todos os débitos eram cancelados e todos os escravos eram libertados.
Adicionalmente o número 50 está associado também com a Festa de Pentecostes, próxima Festa que deverá ser cumprida por Jesus se entendermos que Ele já cumpriu as 3 primeiras festas da Menorah, as assim chamadas Festas da Primavera, mas este é assunto para outro dia...
Assim pensando, quero propor uma coincidência importante se fizermos uma associação destas datas importantes que mencionei mais acima, com estes ciclos de tempo de geração segundo o padrão bíblico:

1897 + 120 anos = 2017 (Congresso Sionista + Duração da vida nos Dias de Noé)
1917 + 100 anos = 2017 (Declaração Balfourd + Geração no cativeiro no Egito)
1947 + 70 anos = 2017 (Israel em sua terra + Geração no cativeiro na Babilônia)
1917 + 50 anos = 1967 (Declaração Balfourd + Jubileu = Reconquista de Jerusalém)
1967 + 50 anos = 2017 (Jerusalém + Jubileu = 5777 Divisão de Jerusalém com Israel/Palestina?)

Bem, queridos amigos aqui do Blog...
Sabem o que tudo isso significa biblicamente e profeticamente hoje?
Nada!
Nada a não ser, por enquanto, um bom exercício de matemática bíblica, que pode ou não vir a ser materializada.
O que mudará isso?
Se ALGO profético e de influência palpável em nossos dias, em conformidade a textos bíblicos de profecia. Se algo assim vier a ocorrer nos próximos meses adiante de nós...
Mas veja que já temos alguns fatos importantes que podem afetar nosso cenário profético!
O senhor Francisco disse algo sobre 2017! Disse que morrerá! Esta informação não teve tanta repercussão no Brasil, pois também está prevista uma visita sua aqui naquele mesmo ano...
Interessante ano para a morte de um papa e sua substituição, não acha?
As aparições de Fátima completarão 100 anos em 2017, e, o famoso terceiro segredo, conhecido apenas dos papas, mas especulado na mídia, apontaria para tempos do fim...
A rede de TV americana NBC, curiosamente, propõe o ano de 2017 para que os americanos tenham necessariamente que ter um chip implantado em seus corpos. Interessante data para termos como coincidência, não?
Os líderes da Palestina tinham proposto o ano de 2017 para solução do conflito com Israel...
Foram derrotados em seu projeto, mas... voltarão à carga? Porque tentaram justo o ano de 2017?
O controvertido Rabino Judá Bem Samuel em sua profecia acerca dos 10 jubileus, que tem acertos importantes, aponta para o ano de 2017 como ano do surgimento do Messias!
Também no ano de 2017 vamos completar os 500 anos da reforma protestante!
Não sei se você sabia dos estudos de Isaac Newton mas até mesmo ele chega a conclusões que apontam para ointeressante ano de 2017!
Bem, temos muita coisa convergindo para este ano de 2017.
Tudo isso pode significar um ano pofético do Senhor... Alguma intervenção Sua no cenário do fim.
Mas tudo isso pode significar que satanás vai usar estas datas (que não são bíblicas) para promover o engano, e apresentar o anticristo ao mundo, exatamente para cumprir estas datas que “parecem” bíblicas e proféticas, mas podem não ser... O que pode ajudar no seu convencimento e engano...
Ou ambos... ele pode ser liberado por Deus para agir através do engano, justamente por que O Senhor Deus vai intervir na história neste ano, retirando os Seus, e Seu Santo Espírito, liberando o "espírito do erro" e desencadeando assim um tempo profético do Juízo...
Bem, sim... estou especulando.
Na verdade, estou propondo uma reflexão para você que passa por aqui por que quer encontrar “provocações sinceras” que façam você avaliar o que crê...
E aí, pergunto...
E se eu pudesse dar certeza de que o ano de 2017 realmente trará alguma modificação importante, profética, e final...
O que isso causaria em sua vida hoje?
Você iria mudar sua vida espiritual?
Pasaria a ler a Bíblia com mais profundidade e dedicação?
Iria consagrar mais a sua vida a Deus?
Voltaria para Jesus?
Bem, SE pensar em tudo isso faz você ficar mais sensível, diria que deveríamos estar assim por amor a Jesus, gratidão pela salvação, desejo sincero de encontrar com Ele face a face, e por não por medo...
Mas mesmo que o medo gere em você pensamentos e sentimentos que façam com que você volte ao lugar em que deveria estar sempre, glória a Deus!
Melhor isso acontecer assim, do que não acontecer, e vir a ser tarde demais... Mas também sei pela Palavra que O Senhor não opera pelo medo, mas pelo Seu Santo Espírito...
E sim, espero que o Espírito Santo de Deus opere  em sua vida e promova uma reflexão profunda em seu coração, acerca da sua vida hoje, sua fé, sua visão do que está acontecendo no nosso mundo hoje, e o que você pensa acerca de tudo isso que, sim, irá acontecer como A Palavra diz.
Afinal, tudo a nossa volta está mudando rapidamente...
Ou não?
Você não consegue ver?
Veja os sinais...

SHALOM!

Haroldo Maranhão

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

APOCALIPSE EM 2015!


Não, não estou dizendo que teremos o fim do mundo em 2015.
Meu objetivo sincero é chamar a sua atenção para a necessidade de termos mais revelação sobre o que a Bíblia diz sobre o fim de todas as coisas, e acompanhar o que já está acontecendo hoje.
Em Apocalipse 1:1 lemos:

Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos o que em breve há de acontecer. Ele enviou o seu anjo para torná-la conhecida ao seu servo João.”

A palavra grega “apokalupsis”, derivada de “apokalupto” foi traduzida justamente para “revelação”, que é a primeira palavra do verso bíblico.
Mas pelo fato de que o livro de Apocalipse, ou Revelação, trata do assim chamado Juízo Final, que é precedido pela “Grande Tribulação” e o derramamento da “Ira”, quando eu trato do conceito de “Apocalipse em 2015”, o que tenho em mente é o mesmo objetivo que senti no coração no início de 2010: “De contribuir desde aquele ano com o estudo dos que buscando, venham passar aqui pelo Blog” para que haja “apocalipse”, ou seja, “revelação”.
Sim, cada dia mais nós precisamos de revelação nestes dias em que vivemos.
Tantos ingredientes bíblicos acerca dos últimos dias estão diante de nossos olhos, que cada dia que eu consulto das notícias do que acontece no mundo, mais fico maravilhado com a Sabedoria do Senhor Deus que nos avisou desde a antiguidade que este tempo chegaria.
Sim, O Senhor que “anuncia o fim desde o princípio”, e que lança a Sua Palavra, “que não volta a Ele vazia, mas cumpre o que lhe apraz”...
Mas entenda, não tenho a menor pretensão de ser o “detentor da revelação dos últimos dias”.
Aliás, se alguém lhe disser que “será assim, por que Deus me revelou”,  mesmo que seja através de um anjo, ou “será assim por que esta é a minha correta interpretação dos textos”, fuja.
Sou um dos que lê e aprende muito com aquilo que outros publicam sobre o tema.
Procuro ler e meditar na Palavra sobre o conteúdo deste tempo, e, sim, procuro prestar atenção nas notícias diárias que apontam para o cumprimento das profecias para estes dias.
Faço isso porque já tive o entendimento que os textos dos últimos dias têm sua compreensão de uma forma progressiva.
Estudo escatologia desde 1974 e vejo que a maneira como podíamos entender detalhes acerca dos textos tem mudado ao longo dos anos pelo cumprimento da própria Palavra.
Explico!
Em Daniel 12:4 lemos que a Palavra "está selada até os últimos dias"...

“Mas você, Daniel, feche com um selo as palavras do livro até o tempo do fim. Muitos irão por todo lado em busca de maior conhecimento”. (NVI) 

Ou ainda:

“Tu, porém, Daniel, encerra as palavras e sela o livro, até ao tempo do fim; muitos o esquadrinharão, e o saber se multiplicará”. (RA)

Sim, a Palavra está selada até os últimos dias (estes em que vivemos), até que tenhamos uma melhor compreensão, pois quando muitos esquadrinhem o livro e o saber, e compartilharem o seu entendimento acerca do cumprimento da profecia, nossa revelação se multiplicará.
Assim não teremos um único detentor “ungido” de toda a revelação, mas sim, teremos muitos estudando, compartilhando, e o que muitos receberem de revelação, ao compartilharem com os demais, contribuirão para que haja um entendimento cada vez maior, até aquele Dia.
Sim, o entendimento se multiplicará!
Glória a Deus!
Eu creio que o próprio Jesus vai retirando tanto os "selos" do nosso entendimento pelo seu Espírito, como também vai retirar (está retirando?) os selos do cumprimento da profecia para estes últimos dias.
Eu chego a este raciocínio associando o texto de Apocalipse 1:1 que publiquei acima, com o texto abaixo, de Apocalipse 5:1-10

“Vi, na mão direita daquele que estava sentado no trono, um livro escrito por dentro e por fora, de todo selado com sete selos. Vi, também, um anjo forte, que proclamava em grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de lhe desatar os selos? Ora, nem no céu, nem sobre a terra, nem debaixo da terra, ninguém podia abrir o livro, nem mesmo olhar para ele; e eu chorava muito, porque ninguém foi achado digno de abrir o livro, nem mesmo de olhar para ele. Todavia, um dos anciãos me disse: Não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos. Então, vi, no meio do trono e dos quatro seres viventes e entre os anciãos, de pé, um Cordeiro como tendo sido morto. Ele tinha sete chifres, bem como sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados por toda a terra. Veio, pois, e tomou o livro da mão direita daquele que estava sentado no trono; e, quando tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos, e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação e para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra”.

Sim, Jesus é Quem trás revelação aos seus, e é Ele mesmo quem pode abrir o Livro, e lhe retirar os selos. Na verdade, Seu testemunho é o próprio espírito da profecia! Leia Apocalipse 19:10:

“Prostrei-me ante os seus pés para adorá-lo. Ele, porém, me disse: Vê, não faças isso; sou conservo teu e dos teus irmãos que mantêm o testemunho de Jesus; adora a Deus. Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia”. 

Assim, sendo, quanto mais aquele Dia se aproxima, mais podemos ter acesso a Revelação dos últimos dias, se observarmos todos os sinais relacionados pelo próprio Jesus em Mateus 24 e 25 e nos textos paralelos nos evangelhos.
Por favor, não seja dos que acham que não é possível “saber o dia nem a hora”, pois, quem pensa assim, não sabe mesmo o que crê!
Se não entende o que estou dizendo, peço, por favor, que invista um tempo lendo este post no qual trato exatamente desta frase poderosa de Jesus, tristemente compreendida absolutamente fora de seu contexto.
Você precisa entender o que Jesus quis realmente dizer com esta frase: “ninguém sabe o dia nem a hora”...
Bem amigos do Blog.
Espero que, enquanto Deus permitir, possa estar aqui, ao longo deste ano de 2015, compartilhando minha compreensão acerca dos fatos que apontam para os últimos tempos.
Afinal, tem tanta coisa acontecendo na religião, na política, na economia, na tecnologia, na astronomia, na geologia, na psicologia, e até mesmo na própria igreja, apontando para este cumprimento, que é quase impossível passar um dia sem que nada associado ao texto bíblico aconteça.
Você não consegue ver?
Veja os sinais!

SHALOM!

Haroldo Maranhão

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

ALGUNS "MITOS BÍBLICOS" DO NATAL...


Bem amigos, todos os anos quando chegamos nesta época eu percebo o quanto muitos sabem cada vez mais MENOS sobre o natal de Jesus, O Cristo. O Messias. O Emanuel.
Aquele que era, que é, e que há de vir...
Não que a Bíblia nos mandasse guardar esta data de natal como um memorial... não...
Não há um único texto que nos diga para fazer isso.
Na verdade, Jesus nem mesmo nasceu no dia 25 de dezembro, mas isso pouco importa.
O que importa, sim, é que Jesus nasceu!
Mas entenda que O Evangelho aponta para fatos passados, e fatos futuros.
Sim, Jesus nasceu em Belém, e isso é bastante lembrado. É um fato universal irrefutável, embora os que não creem, queiram transformar em uma fábula...
Sim, Jesus morreu e ressuscitou. É um fato universal irrefutável, embora os que não creem, queiram transformar isso em uma fraude...
E sim, Jesus em breve voltará. Isso é uma promessa. Mais que isso...
Na realidade, Sua volta é um FATO futuro...
Embora muitos dos que creem em Jesus quanto aos quesitos anteriores, tenham dificuldades em tratar deste tema com o mesmo interesse. Estranho, não?
E o que tem acontecido em nossos dias é que o Natal de Jesus tem sido transformado em um fato “politicamente incorreto”, pois como pessoas de outras "religiões" se sentem ofendidas por isso, cada vez mais “Papai” (não meu...) Noel, duendes, gnomos, renas, e outros personagens ridículos, estes sim, oriundos de fábulas, povoam o dia 25 de dezembro.
Que sim, não é o dia em que Jesus nasceu... Apenas celebramos neste dia.
Comparo esta situação ridícula do Noel no natal, com a situação hipotética de que no aniversário do presidente da república de um país, a população fosse ao zoológico cumprimentar o macaco.
Qual a lógica de a data ser para celebrar o fato de Jesus ter nascido e as pessoas pensarem mais no (intruso) Noel do que nEle?
Qual a lógica de cristãos (?) ficarem mais ofendidos (?) quando se discute se é razoável ter ou não ter árvores de natal em casa ou na igreja (!), ter imagens do (intruso) Noel em suas casas, do que ficam quando Jesus é esquecido e substituído nesta data?
Para mim, a lógica manifesta é de que há uma clara atividade das trevas em curso para suprimir estas informações da memória das pessoas...
Afastando da mente das novas gerações a informação da VERDADE que Jesus nasceu.
Não há mais presépios, há não mais a lembrança do fato do nascimento de Jesus...
Aliás, em muitos lugares é quase que proibido desejar “Feliz Natal”, que deve ser substituído pela frase “politicamente correta” de “Boas festas”...
E ninguém nem mesmo se pergunta quem define o que é politicamente correto ou incorreto...
E sim, isso acontece justamente por que estamos vivendo os últimos dias.
Dias em que cada vez mais as pessoas mudam a verdade de Deus em mentira...
(Romanos 1:25 “Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém”.)
E dias quando pessoas tem coceira nos ouvidos para ouvir coisas assim... fábulas!
(II Timóteo 4:3-4 “Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, juntarão mestres para si mesmos, segundo os seus próprios desejos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para as fábulas”.)
E dias em que os que creem não sabem mais o que creem.
Ou não querem ter conflito, para não serem “politicamente incorretos”...
E aceitam até mesmo algumas fábulas acerca do natal, ou mitos como pus no título do post, por que nem mesmo sabem realmente o que creem, pois não conhecem A Palavra... ficam confusos com o que acontece por aí.
Vou exemplificar com quatro afirmações sobre o Natal, que, talvez, você pensava exatamente o contrário da verdade... por que nunca foi checar nas Escrituras.

1.       Jesus não nasceu na manjedoura porque era pobre.
2.       A configuração do presépio está errada.
3.       Os anjos não proclamaram “Paz na terra aos homens de boa vontade”.
4.       Não devemos mais adorar ao “Jesus menino”.

1.     Lucas 2:1-7 “Naquela época, César Augusto publicou um decreto, convocando para um recenseamento, todos os moradores das terras dominadas por seu império. Este foi o primeiro cadastramento da população de todo o império romano, quando Quirino era governador da Síria. E todos seguiam para as cidades onde haviam nascido, a fim de serem arrolados. Por isso, José também viajou da cidade de Nazaré da Galiléia para a Judéia, até Belém, cidade de Davi, porque pertencia à casa e à descendência de Davi. E partiu com o propósito de alistar-se, juntamente com Maria, sua esposa prometida, que estava grávida.  Enquanto estavam em Belém, chegou o momento de nascer o bebê, e ela deu à luz o seu primogênito. Envolveu-o com tiras de pano e o colocou sobre uma manjedoura, pois não havia lugar para eles na hospedaria”.

Sim, não houve lugar para Jesus no Seu nascimento, como não há agora no coração de milhões de pessoas... Não haver lugar naqueles dias profetizava o que acontece até agora...
Mas, o que o texto diz, é que não havia lugar para eles na hospedaria. José foi para uma hospedaria. O texto não diz que eles não tinham recursos para se hospedarem. Diz que todas as cidades estavam recebendo visitas de diversas pessoas de outros lugares, e, por este motivo, tudo estava lotado. Este foi o real motivo de Jesus nascer na manjedoura: Não havia lugar para Ele! 

2.     Lucas 2:15-20 “Quando os anjos partiram e foram para os céus, os pastores combinaram entre si: “Vamos até Belém, e vejamos este acontecimento que o Senhor nos deu a saber”.  Então correram até o local e chegando, encontraram Maria e José, e o recém-nascido deitado numa manjedoura. E depois de o contemplarem, comunicaram a todos o que lhes fora revelado a respeito daquele menino. Ao ouvirem o que os pastores relatavam ficaram sobremodo assustados. Maria, contudo, observava silenciosa todos os acontecimentos, e refletia sobre eles em seu coração. Os pastores retornaram glorificando e louvando a Deus por tudo quanto tinham visto e ouvido, assim como lhes fora predito”.

Mateus 2: 9-12 Depois de ouvirem o rei, eles seguiram o seu caminho, e a estrela que tinham visto no oriente foi adiante deles, até que finalmente parou sobre o lugar onde estava o menino. Quando tornaram a ver a estrela, encheram-se de júbilo. Ao entrarem na casa, viram o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se, o adoraram. Então abriram os seus tesouros e lhe deram presentes: ouro, incenso e mirra. E, tendo sido advertidos em sonho para não voltarem a Herodes, retornaram a sua terra por outro caminho. 

Sim... APENAS os pastores estiveram na ESTREBARIA, pois foram avisados e instruídos por anjos a procurar Jesus na MANJEDOURA. Sem estrela alguma aqui. Leia Lucas 2 inteiro...
Já os magos, estiveram em uma CASA de Belém, e viram Jesus com Maria. Foram dirigidos por uma estrela, sinal astronômico que eles entenderam corretamente, mas, equivocadamente, foram até o palácio de Herodes. Como entenderam pela estrela que um rei havia nascido, o mais lógico era procurar no palácio! Apenas quando os sacerdotes e escribas foram chamados por Herodes que ficou alarmado com o nascimento de um Rei, é que ficaram sabendo que Jesus estaria em Belém! Eles NUNCA estiveram na manjedoura, nem a estrela apontou para aquele lugar... Leia Mateus capítulo 2 inteiro...

3.     O texto que alguns pensam que os anjos cantaram “paz na terra aos homens de boa vontade” não existe neste sentido. Veja as traduções abaixo:

Nova Versão Internacional - NVI: “Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor”. 
Revista e Atualizada - RA: “Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem.”
Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH: “Glória a Deus nas maiores alturas do céu! E paz na terra para as pessoas a quem ele quer bem”!
Edição Contemporânea – EC: “Glória a Deus nas maiores alturas, paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem”. 
King James – KJV: “Glória a Deus nos mais altos céus, e paz na terra às pessoas que recebem a sua graça!”

Não, Jesus não veio trazer “paz na terra”. Não, não existem “homens de boa vontade”...
Houve sim, a boa vontade de Deus, o Seu favor, o querer bem de Deus quanto à humanidade, a Sua graça manifesta na vinda de Jesus!
Existem homens pecadores, mais amantes dos prazeres que de Deus, que amaram mais as trevas por que suas obras eram más. Naturalmente desobedientes, incrédulos, com o coração inclinado para o mal. Desviados como ovelhas. Sem "boa vontade"...
Jesus veio buscar e salvar o que se havia perdido (Lucas 19:10). 
Ele veio para o que era Seu, e os Seus não o receberam... (João 1:11).
Esta compreensão errada do cântico dos anjos leva as pessoas a crerem que Jesus veio para todas as pessoas que tenham “boa vontade”, e na verdade, as pessoas nem mesmo param para pensar o que seria esta tal “boa vontade”...
Se você tem dúvidas leia a frase de Jesus, que SABIA que diriam algo assim sobre Sua vinda...  
Mateus 10:34 “Não pensem que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada”.
Bem, talvez precisemos mesmo rever tudo o que pensamos acerca do que cremos, não?
Para muitos, abraçar o evangelho de Jesus significa ter sérios problemas em casa. Pode ser que aqui no Brasil isso não faça o menor sentido para nós, e por isso, ficamos confusos com esta frase, mas, HOJE, no Oriente Médio, em muitos países, alguém se converter a Jesus significa que A Espada entrou na sua casa.
Muitos são deserdados, expulsos de casa pelos próprios pais.
E muitos são mortos!
Não é por que não temos confronto aqui, que significa que o evangelho não traga confronto. Aliás, fico me perguntando se não deveríamos incomodar mais com nossa forma de viver o evangelho...
Mas PRECISO deixar algo bem claro: o Evangelho de Jesus não é uma “religião” de ódio, mas sim, de amor...
A espada de que Jesus fala é a que virá contra os que nEle creem...
Não há base bíblica para se agredir ou intimidar alguém em nome do Evangelho de Jesus... O que não significa chamar de pecado o que a Bíblia diz ser pecado...
Por que junto com a revelação do pecado, há uma solução dada por Deus gratuitamente...
João 15:19-21 “Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia. Lembrem-se das palavras que eu lhes disse: Nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês. Tratarão assim vocês por causa do meu nome, pois não conhecem aquele que me enviou”.

4.     Apocalipse 22:12-16 “Eis que venho em breve! A minha recompensa está comigo, e eu retribuirei a cada um de acordo com o que fez. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim. Felizes os que lavam as suas vestes, e assim têm direito à árvore da vida e podem entrar na cidade pelas portas. Fora ficam os cães, os que praticam feitiçaria, os que cometem imoralidades sexuais, os assassinos, os idólatras e todos os que amam e praticam a mentira.  “Eu, Jesus, enviei o meu anjo para dar a vocês este testemunho concernente às igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de Davi, e a resplandecente Estrela da Manhã.”
Apocalipse 19:11-19 “Vi os céus abertos e diante de mim um cavalo branco, cujo cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro. Ele julga e guerreia com justiça. Seus olhos são como chamas de fogo, e em sua cabeça há muitas coroas e um nome que só ele conhece, e ninguém mais. Está vestido com um manto tingido de sangue, e o seu nome é Palavra de Deus. Os exércitos dos céus o seguiam, vestidos de linho fino, branco e puro, e montados em cavalos brancos. De sua boca sai uma espada afiada, com a qual ferirá as nações. “Ele as governará com cetro de ferro.” Ele pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus todo-poderoso. Em seu manto e em sua coxa está escrito este nome: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES”.

Sim, não há mais um “Jesus menino”... isso é passado. Foi necessário para que Ele aqui viesse...
Mas hoje, Ele está irreconhecível,  se você ainda pensa em um "Jesus menino"...
Sua apresentação pessoal atual é tremenda. Poderosa. Vitoriosa.
Ele vem para julgar, para pisar o lagar do vinho do furor da ira de Deus contra o pecado, contra a impiedade.
Ele é Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, e quem ainda brinca com Ele, com Seu Nome, precisa imediatamente se arrepender, e mudar seus caminhos...
Não se confundam os que zombam hoje, e, aparentemente, nada acontece...
Porque Ele não manda ninguém "fazer justiça" por Ele, pois Ele não precisa que ninguém cuide de "Sua imagem pessoal atual", mas quando Ele mesmo for tratar dos que zombam de Seu Nome... 
Bem, talvez você saiba disso tudo...
Mas talvez você comprava alguns destes “mitos” como se fossem verdadeiros. Meu objetivo aqui é desafiar você a comparar o que crê com o que a Bíblia diz.
Este texto termina aqui com um convite a conhecer melhor sua Bíblia, e aprofundar sua revelação acerca de Jesus, O Cristo.
Digo isso porque entre tantas coisas estranhas hoje em dia, a pior é um cristão não conhecer a Bíblia que trás a revelação do que crê...
Não acha?
São tantos sinais...
Não consegue ver?
Meu convite hoje é...  Leia a Bíblia!
Saiba o que crê...
Jesus está voltando.
Reflita sobre isso neste natal.
Deus abençoe...

SHALOM!

Haroldo Maranhão

sábado, 8 de novembro de 2014

A FALTA DE CHUVA E O JUÍZO QUE VIRÁ...



"Choveu!"
Tive alguma dificuldade com português na escola quando eu era garoto.
Lembro de minha mãe, ao longo de manhãs comigo, com muita paciência, repassando conjugações verbais.
Análise sintática.
Quem é o sujeito? O predicado?
Advérbio. Conjunção adversativa…
Orações.
Bem, orações já ficava mais fácil, pois, como nasci em um lar cristão, desde bebê fui levado na igreja por meus pais. Então, eu sempre pensava em orações como as que se faziam na igreja...
Até que não estava de todo errado.
Assim, aprendi a fazer orações a Deus.
Mas ai, havia a questão das orações acerca dos fenômenos da "natureza".
Chover, nevar, fazer sol, relampear, são que não tem sujeito...
Quem é o sujeito destas orações? Quem faz chover, nevar, relampear?
Segundo alguém, "não há sujeito".
Bom, não sei se algo mudou ao longo de tantos anos de meu aprendizado, mas se dizia que “choveu” era uma oração sem sujeito.
Afinal, "ninguém" chove!
Não mesmo?
Bem, aqui em São Paulo, devido a falta de chuvas, pessoas estão tornando quase que povos primitivos.
Ontem choveu, e pessoas literalmente dançaram na chuva.
Como fizeram em outras poucas chuvas que tivemos nos últimos meses.
Outras, fazem até "simpatias" por chuva.
Já outras, mais bem formadas, buscam explicações plausíveis e científicas para a falta de chuva.
Explicações que at[e existem.
Os meteorologistas se tornaram celebridades.
Mesmo que errem, ao dizer que tal dia vai chover, a simples esperança que chova, já trás alivio e expectativa.
E mesmo que não chova no dia predito, dizemos algo como… “valeu a intenção”… e ainda, “na próxima, você acerta".
A esperança se renova, e "a luta continua".
E a oração “sem sujeito” continua: "tomara que chova..."
Por que, afinal, “ações da natureza” não tem sujeito.
E é verdade.
A natureza, que é o que vemos aí fora, o mundo em seu estado natural, para quem assim vê, não tem sujeito.
Já para alguém como eu, que crê que há Um Criador, o que vejo ai fora, não é a “natureza”, que está aí, por si só, mas sim, eu vejo A Criação.
E A Criação pressupõe O Criador…
E SE você crê em Deus, nunca mais deveria dizer "natureza", mas sim, Criação!
Bem, por que eu creio que há Um Criador, O Criador, passo a considerar que não há uma falta de sujeito na oração: “precisa chover”.
No meu caso, há Um Sujeito nesta oração, o que pode fazer com que gramáticos fiquem de cabelo em pé, e se eu estivesse fazendo uma prova de gramática, me levaria a uma reprovação…
Mas sim, creio que há um sujeito nesta ação…
Que para mim, será um Sujeito conhecido, embora para muitos, seja um Sujeito oculto.
Sim, Deus está por trás das chuvas e da falta de chuvas.
Não sou eu quem digo, mas a Bíblia diz. 
Ou melhor, Ele mesmo diz isso em Sua Palavra.
Na Bíblia encontramos diversos lugares em que Deus diz que cerraria os céus por conta do pecado das nações ou da humanidade.
Por que Deus controla o ciclo das chuvas do mundo todo.
Já fez chover tanto que destruiu o mundo anterior… esqueceu?
Mas por que vivemos em uma sociedade pseudo científica, conhecemos pessoas da ciência que conseguem explicar o que está acontecendo para que não chova… mas não conseguem chegar na causa real.
E esta não será científica, não poderá ser modificada pelos homens em sua essência, nem mesmo modificada em laboratórios por que será, necessariamente, espiritual.
Para os que crêem, claro.
Sempre…
Enfim, deixe me dar um exemplo na Palavra, em que veremos que falta de chuva está associada a Juízo!
Em II Crônicas 7:13 e 14 lemos:"Se eu cerrar os céus de modo que não haja chuva, ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra, ou se enviar a peste entre o meu povo; se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra”.
Sim, Deus retém chuvas para chamar a atenção das pessoas que precisam se voltar para Ele.
Se arrepender...
No juízo que virá, as duas testemunhas de Apocalipse, entre outras coisas, vão fechar os céus para que não chova. Por muito tempo!
Em Apocalipse 11:3-6 lemos: "Darei às minhas duas testemunhas que profetizem por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de pano de saco. São estas as duas oliveiras e os dois candeeiros que se acham em pé diante do Senhor da terra. Se alguém pretende causar- lhes dano, sai fogo da sua boca e devora os inimigos; sim, se alguém pretender causar- lhes dano, certamente, deve morrer. Elas têm autoridade para fechar o céu, para que não chova durante os dias em que profetizarem. Têm autoridade também sobre as águas, para convertê- las em sangue, bem como para ferir a terra com toda sorte de flagelos, tantas vezes quantas quiserem”.
Sim, secas graves são sinais do Senhor para que as pessoas se lembrem que o verbo chover tem Um Autor.
Que reina.
Que se mudar por alguns quilômetros o fluxo das chuvas, pode fazer com que em poucos anos, uma cidade aparentemente indestrutível, insubstituível, poderosa como São Paulo se torne um lugar deserto.
Abandonado…
Pela simples modificação incontrolável do circuito das chuvas…
Mas não, não creio que já seja o que vai acontecer.
Não agora.
Não, não acho que devamos fazer uma "caça as bruxas" para descobrir qual pecado foi cometido na cidade, para que Deus tenha permitido que tenhamos uma “breve amostra” do Juízo que virá…
Mas sim, creio que devemos prestar atenção no que está acontecendo.
Devemos entender que O Senhor reina!
Que a “natureza” não existe…
Que há uma Criação!
Gerada por Um Criador. Na verdade, pelo Único Criador!
Que reina. Que faz chover, Que governa sobre todo o sistema que nos envolve. O ecossistema.
Por que o criou. Sabe como funciona.
Que Se revela pela Criação.
Que Se revela em Sua Palavra.
E que, principalmente, Se revela em Jesus, O Cristo.
Que breve virá.
Mas antes de Sua volta, haverá O Juízo.
Tempo em que a falta de chuva será o de menos...
E Ele está avisando através de muitos e muitos sinais.
Claros!
Que Deus abençoe sua vida com revelação para observar o que está acontecendo a nossa volta.
Para estar preparado para encontrar com Jesus.
Aqui tenho sempre demonstrado coisas que acontecem ao redor do mundo…
Hoje, e nestes dias, vemos algo que acontece logo aqui, na nossa esquina…
Você não consegue ver?

Veja os sinais…

SHALOM!

Haroldo Maranhão

sábado, 18 de outubro de 2014

OS FALSOS PROFETAS! ... E OS APÓSTOLOS...



“Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer. Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas”.
Apocalipse 2:2-5

Se você é alguém que já acompanha os textos bíblicos sobre os últimos dias, sabe que há na Bíblia muitas passagens que apontam para a manifestação, nos últimos dias, de falsos profetas, mestres e mesmo falsos “cristos”.
Sendo que a palavra grega que nos levou a esta tradução "cristo", uma palavra que significa "unção", eu também sou levado a pensar que a Palavra nos está revelando acerca de "falsas unções" nestes últimos dias...
"Uma nova unção" ou "uma unção fresca" é uma expressão que virou quase que "um mantra" gospel nos dias em que vivemos...
Mas após tanto tempo, anos, imerso em meio a muitos movimentos de avivamentos, nestes dias últimos dias eu tenho chegado à conclusão que há uma única unção... dada pelo Espírito Santo...
E, se Deus é eterno, e é, e se o Espírito Santo é Deus, e é, a Sua unção não é nova, nem se renova, é a mesma!
Pois é Eterna!
Ou não?
Mas não vou tratar deste tema hoje... embora seja muito rico.
Mas se você não sabia da existência dos falsos, fique sabendo... pois haverão muitos!
Na verdade, já existem. Estão entre nós...
E a meu ver, temos também o surgimento de falsos apóstolos, aqueles que “se declaram apóstolos, mas não são”, como podemos encontrar no texto acima, de abertura do post...
Acompanho bem a distância uma discussão teológica de eminentes pastores e mestres renomados sobre a existência ou não do ministério apostólico em nossos dias...
E eu confesso que fico me perplexo por perceber o quanto pessoas ilustres e cultas podem falar do que não entendem,  gerar discussões inúteis, que mais atrapalham do que ajudam na expansão do Reino e na pregação do Evangelho em nossos dias.
Pessoas que provavelmente nunca conviveram diretamente no ministério com verdadeiros apóstolos contemporâneos...
Não viram diretamente o que estes creem e pregam, creio, com profundidade.
E além disso, se consideram os guardiões da sã doutrina, vivendo como, eu poderia pensar, numa certa casta “nikolaita”, também apresentada em Apocalipse 2:6 e 2:15.
Assim, quando generalizam todos os apóstolos contemporâneos, os bons e os maus, sem discernir uns dos outros, mas lançando todos em uma mesma "vala comum", criam uma "régua de medir", que também poderá atingir aos que combatem os aspectos equivocados e heréticos da igreja contemporânea...
Também ficariam generalizados, e ninguém poderia  mais separar os bons dos maus...
Ou não?
Voltando, a verdade da existência de apenas 12 “apóstolos do Cordeiro” é clara e bíblica.
Em Apocalipse 21:14 encontramos um texto irrebatível:

“A muralha da cidade tinha doze fundamentos, e estavam sobre estes os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro”.

Sim, segundo lemos na Bíblia existem apenas Doze apóstolos do Cordeiro!
Existem requisitos considerados por inferência pelos estudiosos de quem seriam estes doze, que deveriam ter sido chamados diretamente por Jesus, aprendido diretamente com Ele, e outros indicadores que, embora sejam bíblicos, não há um texto que os reúna a todos, nem os rotule como necessários para serem considerados como apóstolos...
Mas embora existam estes Doze, não significa que, segundo a mesma Bíblia, não existam outros apóstolos...
Talvez, poderíamos pensar, "apóstolos menores"...
Se formos simplesmente organizar os textos para ler o que está escrito, encontraremos Matias sendo escolhido em substituição a Judas Iscariotes, conforme direção do apóstolo Pedro, que presidiu a eleição cujo relato encontramos em Atos 1:26.
Embora possamos avaliar que não há referência alguma ao ministério apostólico de Matias nas Escrituras, consideremos que sim, sua eleição foi correta, e que ele foi guindado a ser um dos Doze.
Substituiu a Judas Iscariotes, e foi tratado como parte dos Doze. como lemos que foi tratado em alguns outros textos bíblicos.
Assim, os apóstolos voltariam a ser doze, supostamente os Doze do Cordeiro.
Mas eu perguntaria: e como fica a situação de Paulo? Leia comigo Romanos 1:1?
 
"Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus".

Quem chamou Paulo para o ministério apostólico? Veja ainda... I Coríntios 1:1:

"Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus"...

E agora? Paulo também viu a Jesus...
Mas ele sim, se declara o “menor dos apóstolos” em I Coríntios 15:9-10

Porque eu sou o menor dos apóstolos, que mesmo não sou digno de ser chamado apóstolo, pois persegui a igreja de Deus. Mas, pela graça de Deus, sou o que sou; e a sua graça, que me foi concedida, não se tornou vã; antes, trabalhei muito mais do que todos eles; todavia, não eu, mas a graça de Deus comigo.

Sim, sejamos sinceros... Ele trabalhou muito mais que todos os outros.
Pelo menos, segundo os relatos bíblicos que possuímos...
A Palavra fala muito mais dele do que de Matias, ou mesmo do que a maioria dos Doze originais...
Ou você conhece o ministério apostólico de Bartolomeu? De Tadeu? Ou de Simão o Zelote? Ou mesmo, ainda, de Tomé, que ficou muito famoso por precisar ver Jesus para crer?
Claro que eles fizeram coisas extraordinárias, pois foram chamados para ser apóstolos do Cordeiro!
Mas se compararmos, inegável é que Paulo é um apóstolo, de ministério ainda mais extraordinário, segundo relato bíblico inspirado pelo Espírito Santo.
Inegavelmente. Inequivocamente...
E neste caso, pela matemática moderna simples, aqui já teríamos 13 apóstolos...
Doze do Cordeiro, e um adicional... Seja Matias, seja Paulo...
Mas e se também incluirmos nesta lista, Tiago, irmão de Jesus?
Sim, ele foi apóstolo, conforme lemos em Gálatas 1:19

"...e não vi outro dos apóstolos, senão Tiago, o irmão do Senhor".

Sim, e podemos pensar pelo texto, que haviam outros...
Que, eventualmente nem nos foram informados seus nomes...
Se existiram já neste momento, não sabemos quem foram, nem quantos foram...
Mas também é possível que o texto estivesse falando apenas dos que conhecemos.
E por agora, por faltar mais informações, vamos ficar assim mesmo...
Mas pelo texto sabemos que, sim, Tiago, irmão de Jesus, autor da Epístola de Tiago, foi um dos apóstolos...
E assim, neste caso, agora teremos quatorze apóstolos bíblicos... os Doze do Cordeiro, mais dois...
Mas tudo bem, pois com certeza saberemos na eternidade se a escolha do próprio Cordeiro, (na verdade, agora, O Leão), caiu mesmo sobre Matias, ou se caiu sobre Paulo, a quem Ele mesmo chamou no caminho de Damasco...
Mas isso não mudará o fato que teremos dois apóstolos adicionais... Biblicamente falando!
Isso, claro, se não incluirmos nesta lista, a Barnabé, se assim entendermos o conteúdo do texto de Gálatas 2:9-10

"... e, quando conheceram a graça que me foi dada, Tiago, Cefas e João, que eram reputados colunas, me estenderam, a mim e a Barnabé, a destra de comunhão, a fim de que nós fôssemos para os gentios, e eles, para a circuncisão; recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também me esforcei por fazer".

Os apóstolos estenderam a Paulo, apóstolo, a destra de comunhão...
E Barnabé? Será que esta destra de comunhão apostólica foi dada a ele também?
Interessante texto...
E o mesmo poderia aplicar a Apolo!
Afinal, Paulo sempre pôs Apolo em um mesmo nível de autoridade espiritual consigo mesmo.
Isso fica subentendido no texto em que, referindo-se a Apolo, Ele diz "nós os apóstolos", com lemos em I Coríntios 4:6-9. 

"Estas coisas, irmãos, apliquei-as figuradamente a mim mesmo e a Apolo, por vossa causa, para que por nosso exemplo aprendais isto: não ultrapasseis o que está escrito; a fim de que ninguém se ensoberbeça a favor de um em detrimento de outro. Pois quem é que te faz sobressair? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te vanglorias, como se o não tiveras recebido? Já estais fartos, já estais ricos; chegastes a reinar sem nós; sim, tomara reinásseis para que também nós viéssemos a reinar convosco. Porque a mim me parece que Deus nos pôs a nós, os apóstolos, em último lugar, como se fôssemos condenados à morte; porque nos tornamos espetáculo ao mundo, tanto a anjos, como a homens".

Apolo e Barnabé!
Se inferirmos pelos textos acima, também eram apóstolos!
E veja que ambos são muito mais citados como inspiração, ministério e influência, mais que os aqueles próprios apóstolos que fazem parte dos Doze, como destaquei antes neste texto.
Bem, podemos perceber que, biblicamente, não existiram apenas 12 apóstolos, mas sim, vários outros...
Creio que você já entendeu que não creio que os apóstolos foram apenas doze, nem que foram “extintos” no início da igreja primitiva.
Já provei pela Palavra que existiram outros...
Mas meu principal argumento reside no texto em que Paulo nos ensina sobre o tema, o qual devemos ler com bastante cuidado. Estou falando de Efésios 4:11-14:

E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro”.

Perdoem-me os ufanistas gospel, mas, sinceramente, eu não creio que tenhamos, em algum momento de nossa história como Igreja, desde Pentecostes até hoje, chegado “à unidade da fé, nem à medida da estatura da plenitude de Cristo”.
Pelo contrário, a meninice está estampada em diversos setores da igreja, e ventos sopram sobre doutrinas ainda hoje...
Além disso, também me parece que os demais dons dados em conjunto ao de apóstolos, continuam ativos até os dias de hoje... se você tem dificuldades com profetas, lembre dos evangelistas, pastores e mestres...
Aceitação seletiva não me parece ser uma boa prática diante de textos bíblicos...
Na verdade, se olhar para os lados nos dias de hoje, me parece que, enquanto igreja contemporânea, continuamos como meninos, agitados “para lá e para cá”, em meio a tanta discussão teológica inútil nas igrejas.
Discussão que muitas vezes escandaliza os novos convertidos...
E que manda, em muitos casos, uma mensagem ridícula a nosso respeito aos perdidos que assistem estes embates inúteis “do lado de fora”.
E neste caso, também me parece que muitos fazem questão de se enquadrar no grupo dos religiosos que Jesus denunciou, “os fariseus contemporâneos”, que “nem entram nem deixam o povo entrar” (Mateus 23:13)...
E em assim fazendo, justamente comprovam que ainda precisamos de apóstolos, (e de profetas, pastores, mestres e evangelistas) conforme Paulo ensina, pois o Senhor ainda está edificando o Corpo de Cristo... Esta obra ainda não terminou...
Edifício que, creio, já esteja em sua fase final, mas será concluído apenas naquele Dia!
Mas nada disso muda o fato que existem falsos apóstolos.
Lembre-se que para existirem os falsos, é necessário haver os verdadeiros!
Como falsos mestres, pastores e bispos necessitam da existência dos verdadeiros para que as fraudes sejam denunciadas.
E eu conheço verdadeiros apóstolos de contemporâneos.
E também, eventualmente, posso saber da existência de alguns outros que podem me causar dúvidas...
Mas o que tem tudo isso a ver com o conteúdo principal deste Blog?
O meu ponto hoje é que a ocorrência do reavivamento do ministério apostólico nas últimas décadas é mais um sinal dos últimos tempos!
Se não tivéssemos o ministério apostólico restabelecido e reconhecido, o texto de Apocalipse que pauta este post não nos chamaria a atenção para a existência dos que “se dizem apóstolos, mas não são”...
Que se confrontados no Espírito, tanto pelos cristãos da igreja de Éfeso antiga, e também, principalmente, em nossos dias, pela igreja de “Éfeso” profética e contemporânea destes últimos dias, podem ser achados mentirosos...
Sim, a existência de toda sorte de falsos líderes cristãos nestes últimos dias comprova a Palavra profética da confusão sendo instaurada no seio da igreja antes da vinda de Jesus.
E no cenário profético contemporâneo, toda esta discussão também faz parte das causas que geram a apostasia que virá, ou que, na verdade, já veio!
E está, tristemente, estabelecida diante de nossos olhos.
E pior, este tipo de discussão, de confusão e de perplexidade para tantos sobre “quem está com a razão doutrinária”, me parece também abrir as portas para o Juízo de Deus que virá sobre estes outros...
Afinal, veja o texto abaixo, em II Pedro 2:1-3

“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme”.

Bem me parece que tudo isso está acontecendo hoje...
Ou não?
Veja os sinais...
Fundamente o que você crê na Palavra, não em pessoas, nem em “títulos gospel”...

Haroldo Maranhão
Pastor
Por chamado, e pela misericórdia de Deus (inspirado na assinatura de um pastor amigo meu...)